Centeno em entrevista à Folha de S. Paulo: Redução do papel do Estado levou ao populismo radical

André Kosters / Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno

O ministro das Finanças português deu uma entrevista ao jornal brasileiro Folha de São Paulo na qual falou sobre a geringonça, as negociações à esquerda e a necessidade de “virar a página da austeridade”.

Numa entrevista concedida ao jornal Folha de São Paulo, Mário Centeno afirmou que “era preciso virar a página da austeridade e das políticas pró-cíclicas para reconquistar a confiança dos cidadãos e fazer as reformas necessárias para ganhar a confiança dos investidores”.

Centeno acrescentou ainda que o desafio assumido pelo anterior Governo passava por alcançar uma “consolidação orçamentária com credibilidade, que cumprisse as metas” – que acabou mesmo por ser cumprida com uma “reforma abrangente do setor financeiro”; pela “devolução de rendimentos” e com “uma gestão rigorosa do Orçamento”.

No plano económico, a geringonça não surpreendeu o ministro das Finanças. Durante a entrevista, Centeno confessou que foi a solução que permitiu a “devolução de um sentimento de confiança aos portugueses”. E sublinhou: “Portugal é hoje uma referência de estabilidade política e económica numa Europa minada pela implosão do centro político.”

Em relação ao papel do Estado na economia, Centeno admite que a redução desse papel “foi longe demais”, e foi essa realidade que, na sua opinião, “abriu caminho ao populismo radical”. “O Estado deve fazer uso dos mecanismos de mercado, não se pode deixar usar por estes”, rematou o ministro, citado pelo Expresso.

Evitar “o descontrolo do déficit e do endividamento público” são as prioridades do Governo que tomou posse este sábado apontadas por Mário Centeno ao diário brasileiro. Uma vez que Portugal é uma “pequena economia aberta” e, por isso, “vulnerável”, é obrigação do Executivo “acautelar esses imprevistos para proteger os nossos cidadãos”.

Numa referência ao Brexit, que acaba por abalar também Portugal, Centeno considera que é “preciso colocar um ponto final nesta incerteza e avançar“, e afirma que a União Europeia está preparada para um cenário de saída desordenada: “estado de preparação adequado”, é a expressão utilizada pelo ministro.

Ainda no panorama mundial, Centeno abordou a questão comercial que divide a China e os Estados Unidos, alertando para o risco de se chegar a “uma verdadeira guerra comercial”.

“Os EUA estão a tentar a todo o custo melhorar a sua posição nas relações comerciais com os seus principais parceiros, o que desestabilizou o sistema comercial mundial e tem gerado tensões entre os principais blocos”, diz, admitindo que “do lado europeu, se os nossos interesses forem postos em causa não teremos alternativas a uma retaliação”.

“A nossa função como políticos é manter abertas as vias de diálogo e cooperação“, conclui Mário Centeno.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Pedro Nuno Santos quer receitas da rodovia a ajudar a financiar a ferrovia

Há dois anos, o ministro defendia a possível separação da REFER das Estradas de Portugal. Agora, volta atrás e quer que as receitas de rodovia ajudem a financiar a ferrovia. O Ministro das Infraestruturas e da …

A China está a construir 110 novos silos nucleares. Estados Unidos estão preocupados

Na segunda-feira, a Federação de Cientistas Americanos (FAS) publicou um relatório no qual denuncia a existência de um campo de instalações nucleares perto da cidade de Hami, na província chinesa de Xinjiang. Estarão a ser …

Inglaterra desconfinou totalmente. Então, porque estão os novos casos a descer?

O fim das restrições a 19 de Julho fez soar alarmes por toda a Europa sobre o possível aumento exponencial de casos. Na verdade, o número de novos casos tem vindo a descer e a …

Siza Vieira admite possibilidade de "alargar" funcionamento das atividades económicas

O ministro de Estado e da Economia disse que o Conselho de Ministros desta quinta-feira vai analisar "todas as medidas restritivas" atualmente em vigor e terá a possibilidade de "alargar" o funcionamento das atividades económicas. "Eu …

Relatório do Novo Banco. Centeno, Costa e Ramalho ficam mal na fotografia

A versão final do relatório do Novo Banco apontou mais responsabilidades a Mário Centeno e António Costa, visto estarem ambos no governo durante a venda. A tese do Banco de Portugal sobre as injecções de …

OE. PSD fecha a porta a negociações, mas socialistas preferem mantê-la aberta

Rio remete a posição do PSD para declarações de António Costa em que o primeiro-ministro admitiu a intenção de se demitir caso o Orçamento só seja aprovado com votos dos sociais-democratas. Já José Luís Carneiro, …

FC Porto empata com a Roma em jogo manchado por conflito entre jogadores

O FC Porto empatou hoje 1-1 com os italianos da Roma, treinados pelo português José Mourinho, em jogo de preparação para a próxima temporada, disputado no Estádio Municipal da Bela Vista, em Lagoa. A equipa italiana, …

Benfica abre investigação para averiguar eventuais conflitos de interesses de Vieira

O SL Benfica vai abrir uma investigação interna para averiguar eventuais conflitos de interesses durante a presidência de Luís Filipe Vieira. O clube diz que não pode afirmar nem excluir a "eventual existência no passado de …

Estados Unidos e Rússia em diálogo discreto em Genebra para estabilizar relações

Delegações dos Estados Unidos e da Rússia continuaram esta quarta-feira, em Genebra, o diálogo iniciado na mesma cidade pelos respetivos presidentes, Joe Biden e Vladimir Putin, em junho, para discutir a estabilidade estratégica entre as …

Primeira medalha para Portugal nos Jogos Olímpicos

Jorge Fonseca conseguiu a medalha de bronze no judo. Cãibras condicionaram o acesso do português à final. "Quero ser o maior desportista nacional de todos os tempos", comentou. Portugal entrou para a lista de países com …