Centeno em entrevista à Folha de S. Paulo: Redução do papel do Estado levou ao populismo radical

André Kosters / Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno

O ministro das Finanças português deu uma entrevista ao jornal brasileiro Folha de São Paulo na qual falou sobre a geringonça, as negociações à esquerda e a necessidade de “virar a página da austeridade”.

Numa entrevista concedida ao jornal Folha de São Paulo, Mário Centeno afirmou que “era preciso virar a página da austeridade e das políticas pró-cíclicas para reconquistar a confiança dos cidadãos e fazer as reformas necessárias para ganhar a confiança dos investidores”.

Centeno acrescentou ainda que o desafio assumido pelo anterior Governo passava por alcançar uma “consolidação orçamentária com credibilidade, que cumprisse as metas” – que acabou mesmo por ser cumprida com uma “reforma abrangente do setor financeiro”; pela “devolução de rendimentos” e com “uma gestão rigorosa do Orçamento”.

No plano económico, a geringonça não surpreendeu o ministro das Finanças. Durante a entrevista, Centeno confessou que foi a solução que permitiu a “devolução de um sentimento de confiança aos portugueses”. E sublinhou: “Portugal é hoje uma referência de estabilidade política e económica numa Europa minada pela implosão do centro político.”

Em relação ao papel do Estado na economia, Centeno admite que a redução desse papel “foi longe demais”, e foi essa realidade que, na sua opinião, “abriu caminho ao populismo radical”. “O Estado deve fazer uso dos mecanismos de mercado, não se pode deixar usar por estes”, rematou o ministro, citado pelo Expresso.

Evitar “o descontrolo do déficit e do endividamento público” são as prioridades do Governo que tomou posse este sábado apontadas por Mário Centeno ao diário brasileiro. Uma vez que Portugal é uma “pequena economia aberta” e, por isso, “vulnerável”, é obrigação do Executivo “acautelar esses imprevistos para proteger os nossos cidadãos”.

Numa referência ao Brexit, que acaba por abalar também Portugal, Centeno considera que é “preciso colocar um ponto final nesta incerteza e avançar“, e afirma que a União Europeia está preparada para um cenário de saída desordenada: “estado de preparação adequado”, é a expressão utilizada pelo ministro.

Ainda no panorama mundial, Centeno abordou a questão comercial que divide a China e os Estados Unidos, alertando para o risco de se chegar a “uma verdadeira guerra comercial”.

“Os EUA estão a tentar a todo o custo melhorar a sua posição nas relações comerciais com os seus principais parceiros, o que desestabilizou o sistema comercial mundial e tem gerado tensões entre os principais blocos”, diz, admitindo que “do lado europeu, se os nossos interesses forem postos em causa não teremos alternativas a uma retaliação”.

“A nossa função como políticos é manter abertas as vias de diálogo e cooperação“, conclui Mário Centeno.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Solução para Novo Banco pode não passar por um OE retificativo, diz João Leão

O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, disse que a alternativa à anulação da transferência de 476 milhões de euros para o Novo Banco não tem "necessariamente que passar" por um orçamento retificativo …

Plano de vacinação arranca em janeiro com três fases. 950 mil pessoas no primeiro grupo prioritário

Pessoas com mais de 50 anos com uma patologia frequente nos casos graves de covid-19, residentes e/ou internados em lares e profissionais de saúde integram o primeiro grupo prioritário para a administração da vacina de …

Segunda vaga de moratórias autorizada pela Autoridade Bancária Europeia

A Autoridade Bancária Europeia (EBA) autorizou a reabertura de moratórias de crédito, com efeitos a partir de 01 de outubro até 31 de março de 2021, dois meses após ter suspendido novas adesões. Num comunicado publicado …

Turquia alvo de críticas duras em reunião da NATO e em risco de sanções

A Turquia esteve esta quarta-feira sob um fogo de críticas na reunião virtual dos Ministros dos Negócios Estrangeiros (MNE) da NATO e, com a deceção manifestada pelos Estados Unidos, deve preparar-se para sanções económicas americanas …

O que Neymar mais quer é voltar a jogar com Messi. Só se vier a custo zero, diz o Barça

O internacional brasileiro Neymar, que alinha pelo PSG, confessou esta quarta-feira que o mais deseja é voltar a jogar com o astro argentino Lionel Messi, com quem partilhou balneário entre 2013 e 2017 no Barcelona. …

Ministro da Administração Interna e procuradora-geral da República vão ser ouvidos no Parlamento

Eduardo Cabrita será ouvido sobre o caso do cidadão ucraniano assassinado nas instalações do SEF e Lucília Gago sobre a "recente diretiva sobre os poderes hierárquicos" na magistratura do Ministério Público. A comissão de Assuntos Constitucionais …

Portugal regista mais 79 mortos e 3.772 novos casos de covid-19

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais 79 mortos relacionados com o novo coronavírus, que provoca a covid-19, e 3.772 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da …

França investiga 76 mesquitas por suspeita de radicalização islâmica

A França vai investigar nos próximos dias 76 mesquitas por suspeitas de radicalização islâmica, anunciou esta quarta-feira o ministro do Interior do país, Gerald Darmanin. Trata-se de 16 templos na região de Paris e 60 no …

Medidas estão a dar resultados. Novas regras apresentadas sábado vão vigorar até 7 de janeiro

O primeiro-ministro afirmou que as medidas adotadas estão a produzir resultados, havendo uma trajetória descendente de novos casos de covid-19, mas advertiu que janeiro é mês de risco e as restrições não podem ser aliviadas. Esta …

Interpol alerta para ameaça do crime organizado ligado às vacinas. Falsificações podem ser fatais

A Interpol emitiu um alerta global aos perigos de burlas à volta da nova vacina para a covid-19. As falsificações podem ser lucrativas para os criminosos e fatais para quem as usar. A Interpol emitiu um …