Brasil passa a votar na ONU de acordo com a Bíblia

Marcelo Camargo / ABr

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, afirmou na quinta-feira que no seu Governo o país passou a votar de acordo com a Bíblia na ONU, tendo citado um versículo do Evangelho de São João, segundo a imprensa local.

“Nós não fugimos a tradição nenhuma. Nós passamos a votar na ONU, nas questões dos Direitos Humanos, de acordo com João 8:32 (“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”). E, de acordo com a verdade, então, por coincidência, passamos a votar junto com Estados Unidos e Israel, além de outros países”, declarou Bolsonaro num encontro com pastores evangélicos no Rio de Janeiro, citado pelo Jornal Globo.

Um dos convidados e oradores foi o pastor norte-americano John Hagee, da organização Cristãos Unidos por Israel, que relatou ter defendido em conversa com o Presidente dos EUA, Donald Trump, o reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel.

Durante uma transmissão em direto na sua conta do Facebook, Bolsonaro reforçou a ideia de se querer alinhar com países como os EUA e Israel na tomada de posições dentro da ONU, ao invés de seguir países que “não têm qualquer amor à democracia e à liberdade”.

“Na sua pregação, falou muito da Embaixada americana em Jerusalém. Da nossa parte, passamos a votar na mesma sintonia de Israel e dos EUA na Comissão de Direitos Humanos da ONU. Então é uma mudança radical de um voto de cabresto [voto controlado] do Brasil que era sempre afinado com a Venezuela, Irão, Cuba e outros países que não têm qualquer amor à democracia e à liberdade”, afirmou o chefe de Estado brasileiro.

Bolsonaro mencionou ainda o jantar que teve na quarta-feira com embaixadores de países árabes, no qual afirmou que o seu Governo “está de braços abertos para todos”, salientando esperar que os laços comerciais se transformem “em amizade”.

Este jantar aconteceu dez dias depois de Bolsonaro ter anunciado, durante a visita oficial a Israel, a abertura de um escritório comercial na cidade de Jerusalém, o que não agradou aos países árabes. Após o anúncio, a Autoridade Nacional Palestiniana condenou a decisão do Governo brasileiro e indicou que ia mandar regressar o seu representante diplomático no Brasil para estudar uma resposta à medida anunciada por Bolsonaro.

No entanto, o Presidente brasileiro afirmou que sentiu no semblante desses embaixadores que existe “um carinho muito grande” pelo Brasil, segundo a Globo. “Conversei com vários deles, de forma bastante rápida, não tinha intérprete, mas o semblante que pude notar deles, não sou psicólogo, mas senti que existe, sim, um carinho muito grande de todos no mundo pelo Brasil”, disse.

O setor agrícola tem forte interesse em que o Brasil mantenha uma boa relação com os países árabes e teme que a aproximação do atual Governo a Israel abale as relações comerciais.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Estamos em 2019 e estes loucos querem levar o Brasil de volta aos tempos medievais!…
    De acordo com a bíblia?!
    Mas será que ainda não perceberam que biblia está cheia contradições?
    Este Bolsonabo, como militar foi um fracasso, como politico, uma vergonha e agora quer ser líder religioso!…
    Quando se misturaram religiões com coisas sérias o resultado nunca é bom e já se está mesmo a ver o que isto vai dar…
    Ai Brasil, Brasil… que país poderias ser sem o LIXO das religiões!!

RESPONDER

Berardo escapou ao boicote. Vinhos da Bacalhôa no top dos mais vendidos em Portugal

Apesar dos boicotes promovidos a Joe Berardo após as suas polémicas declarações na Comissão Parlamentar de Inquérito à gestão da Caixa Geral de Depósitos, os vinhos da Bacalhôa, empresa de Azeitão de que o empresário …

Maré de algas invadiu praias do Algarve

Além de a água do mar mais fria do que o habitual, as praias foram invadidas por algas. O fenómeno natural causou estranheza e preocupação entre os banhistas, mas não existem riscos para a saúde. No …

Há livrarias a recusar vouchers de manuais gratuitos por falhas no pagamento do Estado

Algumas livrarias estão a enfrentar problemas financeiros com a entrega dos manuais escolares gratuitos que, neste ano, foram alargados até ao 12.º ano. Tudo devido a atrasos no pagamento dos reembolsos do Estado. Nalguns casos, …

Renato Sanches pode estar de saída do Bayern. "Está tudo em aberto"

O médio português voltou a expressar desagrado com a falta de tempo de jogo no Bayern Munique e o Lille poderá estar interessado na sua contratação. Renato Sanches voltou a expressar desagrado com a falta de …

De Chaves a Faro. Costa vai percorrer o país de lés a lés para "ganhar novas forças"

Com as eleições legislativas a aproximarem-se, António Costa comprometeu-se a percorrer os mais de 700 quilómetros da Estrada Nacional 2 durante as próximas semanas. António Costa já começou a preparar a campanha para a corrida às …

Aberto processo urgente de protecção das gémeas presas em garagem. MP conhecia caso há 3 anos

O Ministério Público (MP) instaurou um processo de protecção urgente das duas crianças de 10 anos que viveram nos últimos anos numa garagem, na Amadora. As gémeas estavam sinalizadas há 6 anos pela Comissão de …

Venda da madeira do Pinhal de Leiria já rendeu 13,6 milhões de euros

A venda de lenha do Pinhal de Leiria rendeu já 13,6 milhões de euros, segundo o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), citado pela presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande. Segundo comunicado …

Cristiano Ronaldo: "2018 foi o ano mais difícil da minha vida"

O internacional português considera que 2018, ano marcado pela acusação de violação de que foi alvo nos Estados Unidos, que acabou por cair em julho, foi o pior da sua vida. "2018 foi possivelmente o ano …

Marcelo promulgou lei com gralha: citou acórdão que não existe

O Presidente da República promulgou alterações ao código de trabalho, recusando as suspeitas de inconstitucionalidade que as bancadas de esquerda levantam. Marcelo cita um acórdão do tribunal constitucional que não existe. É “uma gralha dos serviços …

Mil funcionários prometidos às escolas ainda não foram contratados. Só chegam em outubro

Os 1.067 assistentes operacionais prometidos em fevereiro às escolas portuguesas para o início do próximo ano letivo ainda não foram contratados. De acordo com o Jornal de Notícias, o Ministério da Educação admitiu que 60 escolas …