Apesar de apoiarem a reivindicação, Bloco e PCP não compram guerra dos professores

Estela Silva / Lusa

A coordenadora nacional do Bloco de Esquerda, Catarina Martins

PCP e Bloco de Esquerda já aceitaram deixar de fora das negociações do Orçamento do Estado para 2019 a questão que divide os dois partidos face ao PS e ao Governo: os professores.

Esta segunda-feira, a líder do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, disse ontem o que Jerónimo de Sousa já tinha afirmado há uma semana, em entrevista à RTP: forma como o Orçamento do Estado tem de resolver as exigências salariais dos professores já está prevista do Orçamento atualmente em vigor (OE 2018).

Assim, não será a carreira dos professores a fazer com que o Orçamento do Estado para 2019 não seja aprovado. A chave para a solução deste problema está no Orçamento do Estado corrente, consideram os partidos, atirando para o Governo a responsabilidade pela forma como levou à prática o que estava previsto.

Apesar de não deixaram de criticar o Governo pelas suas escolhas, PCP e Bloco não farão disso uma guerra sua, adianta o Jornal de Negócios.

“A contagem do tempo de serviço dos professores foi decisiva no Orçamento passado. Votámos que em todas as carreiras o tempo de serviço seria contado. Pela nossa parte é uma matéria a que não voltaremos no próximo Orçamento“, disse a líder do Bloco.

Jerónimo de Sousa também considera que o seu partido já fez o que tinha a fazer. “O Orçamento do Estado para 2018 consagrou a reivindicação dos professores”, afirmou, acrescentando que a questão dos professores não seria uma condição necessária para que o PCP aprovasse o Orçamento.

Para o líder dos comunistas, a forma como o tempo passado será considerado é uma matéria que deve ser discutida com os sindicatos. “É neste quadro [negociação entre sindicatos e Governo] que se deveria considerar esta justa reivindicação dos professores”, sustentou.

O Governo ofereceu aos docentes a restituição de apenas dois anos, nove meses e 18 dias de serviço, e anunciou, na sequência do falhanço da reunião negocial da passada sexta-feira, que será publicado em breve um decreto-lei a formalizar esta decisão.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Assunto mal gerido pelo governo.
    Primeiro não deveria ter prometido o que não podia cumprir.
    Segundo, os professores têm todo o direito de ver reconhecido o tempo integral em que trabalharam.
    Já a afectação da progressão nas carreiras pelo tempo, deveria ser reavaliado e ajustado às possibilidades orçamentais. Desconheço porque o governo não faz isso, que está nas suas mãos e é perfeitamente aceitável pelos restantes cidadãos.

RESPONDER

Acesso à Internet deve ser considerado direito humano básico

Uma nova investigação, levada a cabo pela Universidade de Birmingham, no Reino Unido, concluiu que acesso à Internet deve ser um direito humano básico, pois significa a capacidade participar na vida pública. Merten Reglitz, professor de …

Fórmula 1 quer atingir emissões zero de CO2 até 2030

A Fórmula 1 pretende reduzir a zero as emissões de CO2 até 2030, com base num plano que pretende “pôr em marcha de imediato”, anunciou esta terça-feira a Federação Internacional do Automóvel (FIA). O plano divulgado …

A Tesla vai lançar a sua misteriosa pickup “cyberpunk” elétrica ainda este mês

A nova Tesla Cybetruck já tem data de lançamento após um longo tempo de espera. O fundador da empresa, Elon Musk, anunciou que a carrinha "pickup" será revelada no dia 21 de novembro. O anúncio foi …

Asteróide "potencialmente perigoso" aproxima-se da Terra esta quarta-feira

Um asteróide com 147 metros de diâmetro, caracterizado pela NASA como "potencialmente perigoso" vai aproximar-se da Terra esta quarta-feira. Em causa está o corpo rochoso UN12 2019, explica a agência espacial norte-americana, dando conta que o …

Encontrado submarino da II Guerra Mundial que esteve perdido durante 75 anos (devido a um erro de tradução)

Uma equipa de exploradores oceânicos privada encontrou na costa do Japão um submarino do exército norte-americano do tempo da II Guerra Mundial, que estava desaparecido há 75 anos por causa de um erro num dígito …

Uma casa esteve a afundar-se no Tamisa para alertar para a subida do nível dos oceanos

No passado domingo, quem passou junto ao rio Tamisa, em Londres, não deverá ter ficado indiferente à típica casa dos subúrbios ingleses que se afundava perto da Tower Bridge. Felizmente, de acordo com a agência Reuters, …

A defesa de Lage é a melhor do Benfica em quase 30 anos

A defesa de Bruno Lage leva apenas quatro golos sofridos em 11 jornadas, o que faz dela a melhor defesa do campeonato e a melhor do Benfica desde a temporada de 1990/1991, escreve o jornal …

OE2020. “Não vamos para negociar”, esclarece Jerónimo de Sousa

O PCP vai reunir esta quarta-feira com o Governo com vista ao Orçamento de Estado para 2020. Jerónimo de Sousa esclareceu esta terça-feira que os comunistas não vão para negociar, sendo "manifestamente exagerado dizer que …

Benjamin "morreu" enquanto cumpria pena de prisão perpétua. Agora está vivo e quer a liberdade

Um norte-americano, de 66 anos, que cumpre pena de prisão perpétua por ter espancado um homem até à morte em 1996, pretendia ser libertado, uma vez que o seu coração parou por breves instantes. Em 1996, …

“Máfia do Sangue”. Ministério Público deixa Octapharma fora da acusação

O Ministério Público (MP) deixou a farmacêutica Octapharma fora da acusação da operação "O Negativo" por considerar que o ex-administrador Lalanda e Castro montou um esquema de corrupção para a venda de plasma ao Serviço …