Assembleia da República paga dormidas em hotel que pertence a deputada

Hortense Martins / Facebook

A deputada Hortense Martins (PS)

A Assembleia da República adjudicou a estadia dos deputados da Comissão do Ambiente em Castelo branco a um hotel que tem como proprietária a deputada do PS Hortense Martins.

A comissão fez uma visita de estudo ao rio Tejo nos dias 1 e 2 de abril e os deputados acabaram por dormir no hotel da deputada na véspera para que pudessem estar a horas no primeiro ponto do programa: uma reunião às 8h30, na segunda-feira, cujo anfitrião era o presidente da câmara municipal de Castelo Branco, e marido da deputada, Luís Correia.

Hortense Martins diz ao Observador que desconhecia que os colegas iam ficar no hotel, detido por uma empresa onde é sócia do pai. O gabinete do secretário-geral do Parlamento justificou a escolha, alegando que a AR “escolheu o hotel mais barato” após lhe terem sido apresentadas duas hipóteses pela agência de viagens que trabalha com o Parlamento.

Hortense Martins garantiu que “não integra a Comissão de Ambiente e Ordenamento do Território nem integrou a delegação que se deslocou a vários distritos, onde se incluiu o distrito de Castelo Branco”. Contudo, segundo o Observador, a deputada participou na reunião e falou em nome da bancada do PS num evento em Vila Velha de Ródão.

A deputada do PS justificou essas intervenções por ter sido “sempre uma das vozes ativas sobre os assuntos da região, em defesa intransigente dos interesses das populações e do interesse público”.

Quanto ao facto de o hotel do qual é também proprietária ter sido contratado pela Assembleia, Hortense Martins alega que a “contratação” foi feita a “uma agência de viagens e não à mencionada empresa proprietária da referida unidade hoteleira”. Por isso, é “totalmente alheia às questões referidas relacionadas com reservas ou estadias”.

O deputado bloquista Pedro Soares, rejeita responsabilidade dos deputados na escolha do hotel. Pedro Soares referiu que “aos deputados que compõem a Comissão de Ambiente cabe a definição do programa da visita“. O presidente da comissão esclareceu que “a logística, incluindo o alojamento, é proposta e organizada pelos serviços da Assembleia da República, tendo o critério para a escolha sido a oferta mais barata”.

A agência de viagens “indicou, na zona de Castelo Branco, os hotéis Rainha D. Amélia (54€/noite) e Tryp Colina do Castelo (75€/noite)” e que “estas opções foram transmitidas à Comissão”. Segundo o gabinete do secretário-geral, o custo total “ascendeu a 486 euros“, referente a uma noite para 9 pessoas. Esta prestação de serviços, por ser inferior a 5.000 euros, pôde ser feita por ajuste direto simplificado.

O número de dormidas contratualizado não bate certo com as informações referentes à delegação que compôs a visita, que indicam que pelo menos 11 pessoas iriam ter alojamento em Castelo Branco na noite de 31 de março.

O que justifica a dormida é o primeiro agendamento do dia seguinte: uma reunião com autarcas nos Paços do Concelho de Castelo Branco. O anfitrião da reunião foi o presidente da câmara de Castelo Branco, Luís Correia, que é marido de Hortense Martins. Luís Correia foi recentemente associado a um grupo de autarcas que criou uma ONG-fantasma para receber subsídios públicos. Além disso, já teve problemas com adjudicações feitas a empresas de familiares.

O hotel da deputada

Hortense Martins é detentora de 24% da Martinurb — Urbanismo Imobiliário, informação que consta do registo de interesses entregue na AR na atual legislatura. A mesma Martinurb detém 26% da Investel — Investimentos Hoteleiros, a empresa proprietária do Hotel Rainha Dona Amélia, Arts & Leisure, em Castelo Branco, onde ficaram os deputados.

Ao deter 24% de uma empresa que detém 26% da empresa proprietária do hotel, isso significa que Hortense Martins tem menos de 10% da Investel. Ou seja: segundo o artigo 21.º dos estatutos dos deputados, o hotel não está impedido de fazer contratos com o Estado. Mas há um detalhe relevante: os outros 74% do hotel pertencem a Joaquim Martins, pai de Hortense Martins.

Ainda assim, a lei n.º 64/93 estabelece no ponto 1 do artigo 8.º que “as empresas cujo capital seja detido numa percentagem superior a 10% por um titular de órgão de soberania ou titular de cargo político, ou por alto cargo público, ficam impedidas de participar em concursos de fornecimento de bens ou serviços, no exercício de atividade de comércio ou indústria, em contratos com o Estado e demais pessoas coletivas públicas”.

O ponto dois estabelece que “ficam sujeitas ao mesmo regime” de incompatibilidade as “empresas de cujo capital, em igual percentagem sejam titulares os seus ascendentes e descendentes em qualquer grau e os colaterais até ao 2.º grau” e “as empresas em cujo capital o titular do órgão ou cargo detenha, direta ou indiretamente, por si ou conjuntamente com os familiares, uma participação não inferior a 10%”.

Seguindo a lei, a Investel não pode fazer contratos públicos com a AR. A única coisa que pode livrar o Parlamento de cometer uma ilegalidade é a fatura ter sido passada à agência de viagens e não ao hotel.

ZAP //

 

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

  1. … este país está mesmo uma pouca vergonha. Ao descaramento que chegou o PS e seus assalariados. Povo português dai o vosso voto ao PS carago estes indivíduos estão com sede de arranjos políticos.

  2. Será possivel não existir um dia sequer onde estas Mer..s não aconteçam.
    quando começam a prende-los?
    … oh não é possivel pois estão todos na mesma gamela (politicos e Justiça).

  3. Se não houvesse tantos esquemas, má gestão do estado, funcionários públicos incompetetes a ganhar balurdios, bancos a gamar, empresas de pessoas com interesses no estado a gamar, reformas milionárias, rendimentos minimos para quem pode trabalhar (ou trabalha ao negro)… dava para baixar os impostos e ainda estávamos melhor que a Suécia! E TODA a gente que trabalha vivia melhor. Pelo menos temos sol e segurança, ah… e o futebol, para deixar toda a gente entorpecida.

  4. Este é o PS “TUDO É NOSSO”. Aproveitar para comer à fartazana por todo o lado, nas barbas do povo. E o Presidente da República não comenta esta pouca vergonha socialista? Costa transporta no seu currículo o fazer parte de um governo que nos ofereceu uma bancarrota. Agora chefia um governo e um partido cuja norma é “JOBS PARA TODOS OS SOCIALISTAS”. Que país é este ? O Presidente da República, como mais alto magistrado da nação, não pode pôr mão neste regabofe desvergonhado e miserável ?

  5. Digam quem pode ir para o governo ou para deputado?
    Familiares até aos primos em 4º grau——-Não
    Amigos—————————————–Não
    Quem tem uma micro Empresa————–Não
    Quem trabalhar numa Grande Empresa—–Não
    Podem ir buscar alguém à minha terra é uma aldeia pequena, 1000 habitantes.
    È pá também não, porque são todos conhecidos/amigos/familiares.
    Talvez ir buscar ao estrangeiro, mas também tem de ser feito um grande escrutínio, pois somos um País de emigrantes e ainda vai acontecer ser familiar de alguém.
    Não há paciência para estas ladainhas. Quando começam a falar nisto desligo a televisão.

  6. Isto é à boa maneira XUXIALISTA. Sabiam criticar o anterior Governo, por tudo e por nada. E agora Senhora Deputada? Este Governo merece levar um GRANDE PONTAPÉ NO TRASEIRO E IR TOCAR VIOLA PARA A SERRA DA ESTRELA NUM DIA DE UM GRANDE NEVÃO!

RESPONDER

Concorrência condena MEO a pagar 84 milhões por combinar preços com a NOWO

A Autoridade da Concorrência (AdC) aplicou uma coima de 84 milhões de euros à MEO por combinar preços e repartir mercados com a operadora NOWO nos serviços de comunicações móveis e fixas. “A Autoridade da Concorrência …

PEV quer reverter privatização dos CTT. PS admite todos os cenários

O Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) defendeu hoje, no parlamento, a “reversão da nacionalização” dos CTT, e ouviu o PS admitir “todos os cenários”. Numa declaração política no parlamento, o deputado José Luís Ferreira afirmou que, …

Voltar à normalidade "não está longe, mas não é já", avisa Pfizer

O administrador executivo da Pfizer, Albert Bourla, apelou na quarta-feira para que os governos de todo o mundo não reabram as suas economias demasiado depressa devido ao otimismo gerado pelas vacinas de covid-19. Bourla, de 59 …

Biden quer retomar acordo nuclear com o Irão, embora reconheça que será "difícil"

O vencedor das eleições presidenciais norte-americanas, Joe Biden, pretende retomar o acordo nuclear com Irão antes mesmo de novas negociações, assumiu o democrata numa entrevista ao New York Times. Joe Biden afirmou, durante a campanha eleitoral, …

Processo de reprivaticação da Efacec atrasado devido à discussão do OE2021

Apesar de as avaliações no âmbito do processo de nacionalização e futura reprivatização da Efacec já estarem concluídas, o processo esteve condicionado pela discussão do Orçamento de Estado para 2021 (OE2021). De acordo com o Jornal …

Costa sobre vacinação: “Há uma luz ao fundo do túnel, mas o túnel é muito comprido e penoso”

O primeiro-ministro, António Costa, advertiu esta quinta-feira que o processo de vacinação terá imponderabilidades externas a Portugal, sendo também complexo ao nível interno, com as dificuldades a aumentarem quanto maior for o universo de cidadãos …

Alterações climáticas podem colapsar os sistemas de saúde, alertam especialistas

O quinto relatório anual da Lancet sobre saúde e clima revelou que todos os países enfrentam ameaças à saúde humana, "que se multiplicam e se intensificam" à medida que as alterações climáticas originam novas pandemias …

Obama, Bush e Clinton vão vacinar-se publicamente para encorajar os norte-americanos

Os ex-presidentes dos EUA Barack Obama, George W. Bush e Bill Clinton disseram que estão prontos para serem vacinados publicamente contra a covid-19, a fim de encorajar os seus concidadãos a fazer o mesmo. Obama disse …

Retenção na fonte mensal reduzida em cerca de 2%. Salários terão um "ligeiro aumento"

As retenções na fonte em 2021 sobre salários de trabalho dependente vão reduzir-se em cerca de 2% face às praticadas este ano e irão permitir um “ligeiro aumento” do rendimento líquido mensal, segundo simulações da …

Em março já deverá haver imunização “suficientemente grande” da população

O epidemiologista Manuel do Carmo Gomes defendeu esta quinta-feira que “se tudo correr normalmente” com a vacinação contra a covid-19, no final de março haverá uma imunização “suficientemente grande” na população para evitar “grandes aumentos …