Aos 16 anos, Ahed Tamimi é o rosto da luta palestiniana

Abir Sultan / EPA

Ahed Nariman Tamimi, 16 anos, rosto da luta palestiniana

Ahed Nariman Tamimi tem 16 anos e sonha com um Estado Palestiniano. Contesta a ocupação israelita desde os oito anos e é o rosto da luta palestiniana. Esta segunda-feira, a jovem irá ser ouvida em tribunal.

Já é conhecida como a Malala da Palestina ou Joana d’Arc palestiniana. O seu verdadeiro nome é Ahed Nariman Tamimi, e tem 16 anos.

Aos oito anos, começou a participar nas manifestações em Nabi Saleh, localidade da Cisjordânia onde vive com a família, contra a construção de colonatos na região e aos 12, enfrentou um grupo de soldados que tinham prendido um dos irmãos.

Já teve cartazes nas paragens de autocarro londrinas a pedir a sua libertação e viu um documentário centrado na sua vida ser interdito em Singapura. Em 2012, um tio foi morto a tiro por militares israelitas e esta segunda-feira Tamimi vai ser ouvida em tribunal.

A jovem é acusada de agressão agravada a um militar israelita, de obstruir a sua ação, de perturbação da ordem pública e de incitamento à violência.

De acordo com o Diário de Notícias, as provas da agressão resultam de um vídeo feito pela mãe da palestiniana, em dezembro, também ela acusada de agressão e incitamento à violência por ter publicado nas redes sociais o vídeo da adolescente em que esta, após a agressão, apela a novos ataques contra Israel.

No dia 15 de dezembro de 2017, Tamimi e a prima Nur foram filmadas a ameaçar dois soldados israelitas, agredindo-os no rosto. Segundo os militares, eles estavam próximos da casa de Tamimi quando a jovem os empurrou, ameaçando-os verbalmente.

Ahed Tamimi terá dito aos israelitas que iria bater-lhes caso não se afastassem. De acordo com a sua versão, quando foi detida no final do mês de dezembro, a jovem afirmou que agrediu os soldados por os ter visto a disparar uma bala de borracha sobre o primo, que o deixou em coma.

Os soldados israelitas não responderam às ameaças e agressões das duas jovens palestinianas, motivando uma polémica em Israel. No entanto, um porta-voz das forças armadas defendeu o comportamento dos militares, considerando que atuaram de forma “profissional“.

Depois do ataque, Tamimi declarou que “a força está nas pedras” e que todos se deviam unir para libertar a Palestina, criticando a decisão de Donald Trump de transferir para Jerusalém a Embaixada dos EUA em Israel.

“Quer seja um ataque com punhais ou um atentado suicida, algo deve ser feito para que nossa mensagem chegue a todos os que querem libertar a Palestina”, disse a jovem.

Contudo, esta não é a primeira vez que Ahed Tamimi é o centro das atenções. Em maio passado, foi acusada de tentar impedir soldados de prenderem um manifestante que lhes atirava pedras. Em junho, elogiou os autores da morte de uma agente das forças de segurança israelitas, Hadas Malka, classificando-os como “heróis”.

Segundo o DN, foi em 2012 que o então primeiro-ministro turco Recep Tayyip Erdogan tomou o pequeno-almoço com Tamimi e a mãe, tendo-lhe entregue um prémio pela coragem demonstrada ao enfrentar o soldado israelita que pretendia prender o irmão. Na altura, Tamimi tinha apenas 12 anos.

A um jornal turco, a menina afirmou que o seu sonho era formar-se em Direito para conseguir ajudar os ativistas palestinianos e contribuir, assim, para a criação de um Estado para o seu povo.

“Não há um lugar seguro na Palestina para onde mandarmos as nossas crianças. Temos de ensinar-lhes a serem fortes, a vencerem o medo e a resistirem“, afirmou Bassem Tamimi, o pai da jovem.

Se Tamimi fosse maior de idade, poderia ser condenada até dez anos de prisão. A advogada da jovem, Gaby Lasky, afirma que “é certo que irão tentar mantê-la presa o mais tempo possível. Não querem uma voz de resistência como a dela cá fora“.

ZAP //

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Tanta fantochada para promover os árabes! Agora esta é uma “deusa”, deve ser por ser uma loura numa terra de “morenos” carregados! A falta de vergonha da imprensa internacional, manipuladora e agindo de má fé e paga com os petrodólares dos árabes, anda a gozar com a inteligência das pessoas promovendo o ódio contra os israelitas e mentindo e fazendo dos árabes que inventaram o terrorismo internacional de santos! Os judeus (israelitas) já no século XIX eram perseguidos na sua terra e nem falo dos da diáspora para não citar autênticas vergonhas na História da Humanidade! Ainda por cima falam do raio de um país que nunca existiu e mas sim ocupado pelos árabes em 632, perseguindo os habitantes, e os verdadeiros donos do lugar, por mais de uma vez! Jerusalém é uma cidade israelita sempre o foi. Só um perfeito ignorante não o sabe ou finge não o saber! Os antigos cananeus são so israelitas de hoje, nunca houve qualquer tomada de Jerusalém pelo povo hebreu, já lá estava! vão estudar isso e expliquem de uma vez às pessoas a verdade!

  2. A Joana D’Arc deve estar a dar voltas no túmulo, por estar a ser comparada com esta terrorista. Pura propaganda muçulmana, ideologia totalitária e supremacista que, não fosse estar disfarçada de religião, seria proibida em todo o mundo civilizado. Se esta tal Tamimi sonha com um Estado Palestino, que peça contas aos seus avós, que tiveram isso nas mãos e o deitaram a perder porque quiseram destruir Israel mas correu-lhes mal. Game over. Esse assunto já passou à história há demasiado tempo, seria como se houvesse um grupelho de alemães há 70 anos a atirar pedras porque queriam reaver a Prússia Oriental… Ridículo.

  3. Palhaca a provocar os soldados com o tlm na mao. Mas eles mantiveram a postura e nada fizeram, por isso a menina nao pode alegar violencia…

    Os drogaditos do BE, ja devem estar a espumar com tanta violencia por parte dos soldados…

    Parece alguns portugueses de passaporte em Portugal!!!!

  4. Miuda insolente e mal criada, é isto o que chamam heroísmo??? Uma desgraçada mentirosa que incita à violência?? Cambada de imbecis os que dizem que ela é uma heroína.
    Que estupidez

  5. “Quer seja um ataque com punhais ou um atentado suicida”….está claro!
    A religião da “paz” deles, aos infiéis pregam a morte.

RESPONDER

"Checkmate". Rússia apresenta o seu novo jacto de combate revolucionário

O novo jacto é a aposta do governo russo para as exportações e pode vir a ditar o fim da supremacia (aérea e no mercado) do F-35 norte-americano. A Rússia apresentou o protótipo do novo jacto …

"É demasiado tarde". As palavras dos médicos aos doentes com covid-19 que recusaram a vacina

Estados Unidos da América contam com 48.49% da população totalmente vacinada, apesar de o processo ter estagnado nas últimas semanas. Os números de novas infeções crescem, assim como as mortes face ao crescimento galopante da …

"Pingdemic". Há uma nova "pandemia" a causar escassez de comida e combustível no Reino Unido

As medidas de distanciamento social no Reino Unido caíram e, como consequência, centenas de milhares de pessoas estão a ser notificadas para cumprir isolamento. A partir desta segunda-feira o uso de máscara e outras medidas de …

O lago mais improvável de Roma é um refúgio urbano (que impulsiona o ativismo ambiental)

O lago mais improvável de Roma, que nem sequer devia existir, motivou uma luta pela proteção ambiental do local. No anos 90, num local de construção a apenas alguns quilómetros a leste do Coliseu de Roma, …

Afeganistão. EUA lançam ataques aéreos enquanto Talibãs exigem a renúncia do Presidente

Os Estados Unidos (EUA) entraram num confronto pela cidade de Kandahar, realizando ataques aéreos em apoio às forças afegãs, enquanto os Talibãs apelam ao Presidente Ashraf Ghani para renunciar. O porta-voz do Pentágono, John Kirby, avançou …

A primeira casa impressa em 3D no Canadá é inspirada na sequência de Fibonacci

Depois de ter inspirado inúmeros edifícios, a sequência de Fibonacci serviu de musa à empresa de impressão em 3D Twente Additive Manufacturing (TAM), que criou a primeira casa impressa em 3D do Canadá. A Fibonacci House é …

Marcha do Orgulho de Budapeste será um protesto contra as leis anti-LGBTQI, diz organização

A marcha do Orgulho em Budapeste, que ocorrerá no sábado, será "uma celebração, mas também um protesto", disseram os organizadores, enquanto a comunidade LGBTQI húngara se prepara para desafiar a escalada da campanha anti-homossexual do …

PSD propõe máximo de 215 deputados e divisão de grandes círculos eleitorais

O PSD apresentou, esta sexta-feira, a sua proposta para a reforma do sistema eleitoral, que fixa um máximo de 215 deputados, menos 15 do que o total atualmente em vigor. A proposta do PSD para a …

Variante Lambda: o que saber sobre a nova mutação que preocupa as autoridades

Está a ter um foco mais circunscrito à América Latina, mas já houve dois casos desta mutação em Portugal. A OMS está atenta e de momento classifica a Lambda como uma variante de interesse. Foi inicialmente …

PSD força audição de Eduardo Cabrita sobre inquérito da IGAI

O PSD recorreu à figura da audição potestativa a que os partidos têm direito a usar regimentalmente para ouvir membros do Governo e entidades públicas.  O PSD requereu esta sexta-feira a audição parlamentar obrigatória do ministro …