Antiga presidente Raríssimas deve 350 mil euros à instituição

Rarissimas / Facebook

A presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa

A antiga presidente e fundadora da associação Raríssimas, Paula Brito da Costa, deve à instituição quase 350 mil euros, de acordo com dados publicados na página oficial da entidade.

No dia em que decorreu a Assembleia Geral da Raríssimas, para apresentação e aprovação do relatório e contas do exercício de 2017, e para divulgar os resultados de uma auditoria às contas da associação até 2017, foram divulgados dados que indicam essas dívidas, relacionadas nomeadamente com alimentação e transporte.

O documento oficial (Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados) lembra que em janeiro de 2018 foi instaurado um processo disciplinar a Paula Brito da Costa, no seguimento do escândalo relacionado com a instituição do final de 2017.

A Raríssimas – Associação Nacional de Deficiências Mentais Raras, foi fundada em abril de 2002 e destina-se a apoiar pessoas com doenças raras. Em dezembro de 2017 uma reportagem na TVI denunciava irregularidades na gestão da associação.

O escândalo levou à demissão do então secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, e afastou a presidente da associação, Paula Brito da Costa, que segundo as notícias da altura usava o dinheiro da Raríssimas para gastos pessoais.

Segundo o documento publicado na página da associação, no âmbito do processo disciplinar foram identificadas despesas não relacionadas com a atividade da Raríssimas, como reembolso de despesas de alimentação em simultâneo com subsídio de alimentação, “reembolso de despesas estranhas à atividade da entidade”, e quilómetros pagos por deslocações não efetuadas, quer a Paula Brito da Costa quer ao seu marido.

Paula Brito da Costa deve devolver à Raríssimas 349.308,11 euros, a que acresce montantes pagos a título de remuneração. A decisão final do processo foi comunicada a Paula Brito da Costa a 24 de agosto do ano passado, “aguardando-se ainda a competente decisão judicial sobre o desfecho do processo”.

Além de todas as contas sobre a associação no final de 2017 o documento contém também outras informações, como a de que a Casa dos Marcos, na Moita, onde funciona a Raríssimas, está hipotecada, ou que um terreno que tinha sido cedido na Maia já não está disponível por não ter sido cumprido o contrato.

E diz que na sequência do escândalo de 2017 houve “repercussões graves ao nível dos apoios recebidos de parceiros e mecenas” e que a instituição se encontra “num período de fragilidade económica e financeira”.

Fonte da instituição ouvida pela Lusa disse que no último ano saiu da Raríssimas “grande número de funcionários”. A próxima Assembleia Geral da associação realiza-se em maio, disse a fonte.

Lusa ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Não está na minha ideia recuperar Eça de Queirós – ele valerá por si mesmo qualquer que seja a circunstância -, mas a Srª Paulo Brito e Costa fez-se acompanhar do um membro de governo de segundo ou terceiro lugar hierárquico justamente para garantir ao seu marido que não era uma mulher qualquer, mas uma mulher que, quando se deslocava, o fazia sempre em boas companhias para garantir a sua idoneidade. Por esse lado, a Dona Paula agiu como uma Senhora de bem, não restam dúvidas.
    Mas evidentemente: uma boa companhia não podia ser alimentada a sopas de burro cansado e, por isso, a Dona Paula teve de recorrer aos fundos, que nunca lhe saíram do bolso, da instituição de menos válidos a que presidia. Reparei bem: para tão alta companhia, o mínimo exigível era começar em lagostas e pão-de-ló.
    Por outro lado, a Dona Paula não se podia apresentar, nas praias tropicais, com aquelas cuecas de folhos que as mães e as esposas de Bragança se apresentavam quando um dia, já lá vai algum tempo, as meninas brasileiras começaram a invadir os seus domínios e a conquistar os seus maridos que, aliás, andavam desejosos de mulheres esteticamente corretas. Diz um excelente copo, nosso compincha e falado psiquiatra, que nessa época as depressões masculinas, na região, diminuíram mais de 50% e muitas tiveram remissão completa. É preciso, afinal, tão pouco para que o povo tenha saúde!
    Pois bem, voltando ao caso, a Dona Paula, mulher de olho de lince e informada destes teres e haveres, não esteve com meias medidas e, expeditamente, sem andar com reuniões inúteis, resolveu passar a fatura à instituição a que presidia e, da conta da mesma, tirar o que foi necessário para nunca fazer má figura. Se isto é crime…

RESPONDER

Peritos revelam critérios do desconfinamento. Escolas e restaurantes devem reabrir após a Páscoa

Presidente da Repúblicas e Governo ouviram, nesta segunda-feira, as explicações dos especialistas sobre a situação da covid-19 em Portugal. Na reunião no Infarmed, foram apresentados os critérios para o plano de desconfinamento. Os especialistas que têm …

Rúben Amorim arrisca suspensão de 1 a 6 anos após acusação de fraude

O Sporting está a ser acusado de fraude na inscrição de Rúben Amorim como treinador. Um caso que resulta de participação feita pela Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF) e que pode valer ao …

MAI impõe mínimo de mulheres no recrutamento para a GNR e PSP

O Ministério da Administração Interna (MAI) vai incluir nas regras de recrutamento em 2021 indicadores mínimos de 15% de mulheres na incorporação para guardas da GNR e de 20% para agentes da PSP. No âmbito da …

Pedro Nuno Santos diz que PS não se pode comportar como se tivesse maioria absoluta

O ministro das Infraestruturas e da Habitação defendeu, este domingo, que o PS não se pode comportar como se tivesse maioria absoluta, mas sim colaborar com BE e PCP porque a geringonça "não pode ser …

Joan Laporta eleito presidente do Barcelona (e já falou sobre o futuro de Messi)

Joan Laporta foi eleito presidente do FC Barcelona, este domingo, sucedendo ao contestado Josep Maria Bartomeu, ao recolher 30.184 votos (54,28% do total), nas eleições para os órgãos sociais do clube espanhol. Joan Laporta, que já presidiu …

Há cargos de supervisão há anos por preencher. João Leão assume atrasos

O Ministério das Finanças assume atrasos na procura por supervisores. Não podem vir do setor bancário e é preciso encontrar mulheres. O gabinete do ministro das Finanças, João Leão, assume atrasos na procura por administradores para …

"Temos de nos preparar". Benfica vai pôr travão no investimento

Após ter gasto mais de 100 milhões de euros em transferências, Jorge Jesus antecipa que o SL Benfica, assim como as outras equipas, vai ter de pôr um travão no investimento. O Benfica foi um dos …

Áustria retira por precaução lote da vacina AstraZeneca após morte de vacinada

As autoridades austríacas suspenderam por precaução as inoculações com um lote da vacina da AstraZeneca. O lote retirado não é usado em Portugal. A Áustria anunciou, este domingo, a retirada por precaução de um lote da …

Amorim não quer surpresas e prepara nuances na estratégia da equipa

Rúben Amorim vai promover alterações na estratégia da equipa para evitar que a equipa se torne previsível na fase final do campeonato. A segunda volta do campeonato está em andamento e o Sporting CP lidera categoricamente …

Medina sondou BE e PCP para coligação. Levou uma nega, mas o futuro depende do sucesso de Moedas

Fernando Medina quis uma coligação pré-eleitoral com Bloco de Esquerda e o PCP, mas os partidos não aceitaram. No entanto, a hipótese poderá voltar a estar em cima da mesa de Carlos Moedas começar a …