/

Ana Rita Bessa renuncia ao lugar de deputada do CDS

Ana Rita Bessa renunciou ao lugar de deputada do CDS-PP, anunciou a própria, numa carta enviada ao líder do partido, Francisco Rodrigues dos Santos.

A sua substituição já está a ser tratada pelo líder parlamentar, Telmo Correia, avança a Renascença.

Ana Rita Bessa foi eleita em 2019 pelo círculo de Lisboa, onde era número dois numa lista encabeçada pela então líder do partido, Assunção Cristas. Com a saída de Cristas, João Gonçalves Pereira tomou o seu lugar. O deputado acabaria também por renunciar, dando o lugar a Pedro Morais Soares.

O lugar de Ana Rita Bessa pode agora vir a ser ocupado por Isabel Galriça Neto, que surge a seguir na lista para o Parlamento. A médica de profissão liderou a lista de Carlos Moedas para a Assembleia de Lisboa e já terá sido contactada pelo CDS.

Segundo a rádio, estará a ponderar a decisão a tomar. O nome seguinte na lista é o do comentador Sebastião Bugalho.

Francisco Rodrigues dos Santos, que não é deputado, foi colocado como número dois da lista pelo distrito do Porto, sendo que só pode ocupar o lugar de deputado se a cabeça de lista, Cecília Meireles, renunciar.

Na reação aos resultados das eleições autárquicas deste domingo, Rodrigues dos Santos começou por falar do “cenário particularmente difícil” e “inédito na história” do CDS “depois do pior resultado de sempre em legislativas”.

Mas depois realçou que “o CDS superou todos os objetivos a que se propôs nestas autárquicas”, notando que as seis Câmaras que já eram dominadas pelo partido foram reconquistadas “com maioria absoluta”.

O CDS-PP, que concorreu na maioria dos concelhos em coligação, conseguiu manter em listas próprias as seis câmaras municipais que já liderava: Velas (Açores), Santana (Madeira), Ponte de Lima (Viana do Castelo), Vale de Cambra, Oliveira do Hospital e Abergaria-a-Velha (Aveiro). No entanto, em número de votos, o partido de Francisco Rodrigues dos Santos obteve um resultado do pior do que nas últimas autárquicas, descendo dos 2,59% então adquiridos para os 1,48%.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.