Ambientalistas pedem demissão do ministro do Ambiente

Manuel Araújo / Lusa

Ambientalistas acusam o Governo de não ouvir a sociedade civil e afirmam ter perdido a confiança no ministro João Matos Fernandes.

Vários movimentos ambientalistas, concentraram-se esta quinta-feira, junto ao Ministério do Ambiente, em Lisboa, para pedir a demissão do ministro João Matos Fernandes e contestar a prospeção de petróleo na costa de Aljezur, sem um estudo prévio.

O pedido de demissão do ministro do Ambiente foi expresso numa carta aberta e entregue em mãos ao governante, que reuniu com os representantes das associações.

Viemos exigir a demissão do sr. Ministro do Ambiente”, anunciou Rui Horta, membro do movimento Futuro Limpo. “Representamos 35 movimentos de todo o país, todos os autarcas do Algarve e do sudeste Alentejo, associações económicas e empresariais e todas se manifestaram neste sentido”.

“Encontrámo-nos com o senhor ministro com uma posição muito dura. Pedir a demissão de um ministro não é algo que se faça de ânimo muito leve. Eu acho que ele ficou chocado com esta nossa atitude, mas a verdade é que está perdida a confiança”, afirmou aos jornalistas a escritora Lídia Jorge, que integra o movimento Futuro Limpo.

Na passada semana, no último dia do prazo previsto, a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) dispensou de estudo de impacto ambiental a prospeção de petróleo ao largo de Aljezur, no Algarve, pelo consórcio Eni/Galp.

O presidente da APA, Nuno Lacasta, justificou a decisão referindo que “não foram identificados impactos negativos significativos” na realização do furo de prospeção petrolífera.

No entanto, esta decisão, segundo sublinham os signatários desta carta, “contraria as recomendações da Assembleia da República, das Associações de Municípios do Algarve e Alentejo Litoral, autarquias e empresários do setor do turismo”, tratando-se de “um atentando ambiental“.

O consórcio liderado pela petrolífera italiana ENI prevê iniciar a pesquisa de petróleo na bacia do Alentejo entre setembro e outubro, após uma preparação com uma duração estimada de três meses, segundo o relatório enviado à APA.

A data de início do primeiro furo de pesquisa de hidrocarbonetos em Portugal “está estimada entre o fim do terceiro trimestre e o início do quarto trimestre de 2018, a duração das atividades de perfuração está estimada em 46 dias (incluída a mobilização)”, segundo o documento.

“Acho que se enganaram no destinatário”

João Pedro Matos Fernandes disse, também esta quinta-feira, que a cata não lhe devia ser dirigida e considerou “hipocrisia técnica” confundir descarbonização com exploração de petróleo.

“Recebi associações e fui confrontado com carta a exigir a minha demissão. Não é certamente a mim que uma carta dessas deve ser dirigida”, comentou o ministro. “Dirigirem-me a mim uma carta para me demitir, acho que se enganaram no destinatário a quem queriam entregar a carta.”

Questionado sobre se espera tempos difíceis a propósito da questão da prospeção de petróleo, o ministro afirmou que tem tido tempos difíceis desde que chegou ao ministério, acrescentando que “defender uma política ambiental é sempre um desafio enorme e nunca virarei a cara a esse desafio”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Novas demissões na Agência de Informações Financeiras do Vaticano

Um membro da entidade de regulação financeira do Estado do Vaticano, Marc Odendall, demitiu-se na sequência de buscas realizadas pela polícia e que originaram na suspensão do organismo do sistema de comunicações global. Marc Odendall, banqueiro …

Governo e Liga de clubes discutem redução do IVA para espetáculos desportivos

Secretário de Estado do Desporto afirma querer ouvir as reivindicações do organismo, mas sem se comprometer. O secretário de Estado da Juventude e do Desporto anunciou ontem que vai reunir-se com representantes da Liga Portuguesa de …

Tufão obriga a retirada de cerca de cinco mil pessoas do norte das Filipinas

Cerca de cinco mil pessoas foram retiradas do norte das Filipinas devido à aproximação do tufão Kalamaegi, que deverá tocar terra na província de Cagayan nas próximas horas, disseram esta terça-feira as autoridades locais. "Estamos preparados …

Acabaram-se as trotinetas no Algarve. Duraram 10 meses

A vereadora considera, no entanto, que a experiência foi “positiva”, já que permitiu recolher dados de mobilidade, nomeadamente, da utilização destas soluções em pequenos trajetos, ao mesmo tempo que colocou a questão na agenda pública. Sophie …

EasyJet diz que será a primeira a alcançar a neutralidade carbónica na aviação

A companhia aérea britânica easyJet afirmou esta terça-feira que será a primeira no mundo a alcançar a neutralidade carbónica através das compensações. Num comunicado publicado no seu site oficial, a companhia low cost anuncia ainda um …

Número de pré-avisos de greve até outubro é o mais alto dos últimos quatro anos

O número de pré-avisos de greve até outubro foi o mais alto dos últimos quatro anos, totalizando 781, segundo dados da Direção Geral do Emprego e das Relações do Trabalho (DGERT). Entre janeiro e outubro deste …

Na Índia, já há "bares de oxigénio" para quem quiser respirar ar puro

A Índia é um dos países mais contaminado do mundo. Desde o final de outubro, a poluição alcançou um nível crítico devido à queimada de restolhos nos campos. Agora, há uma solução arrojada para que os …

Depois do Papão Harrison, o novo exame foi "duro" (e muitos jovens médicos já pensam em emigrar)

Foram quatro horas de exame, com 150 perguntas, na temida Prova Nacional de Acesso para a Formação Especializada em Medicina e muitos dos jovens médicos não conseguiram concluí-la. Os que temem não conseguir aceder à …

Situação trágica. "Veneza está a desaparecer"

A situação em Veneza é trágica, com 85% da cidade italiana inundada depois das piores cheias dos últimos anos. Mas estas inundações são apenas um alerta para o que pode vir a seguir, já que …

Documentos internos do governo chinês revelam plano "sem piedade" contra muçulmanos

O jornal norte-americano New York Times recebeu 403 páginas de documentos internos do governo chinês relacionados com a limpeza étnica na província de Xinjiang. Nesta província, foram criados mais de 500 campos de concentração onde uigures, …