Alibaba desenvolveu programa que faz reconhecimento facial de uigures

O gigante chinês do comércio eletrónico Alibaba desenvolveu um programa de computador capaz de identificar os uigures, a minoria étnica chinesa de origem muçulmana, através de reconhecimento facial, avançou o jornal norte-americano New York Times.

Um portal do Alibaba explicou como usar um software de reconhecimento facial para detetar uigures e outros membros de minorias étnicas em fotos e vídeos, explicou o New York Times.

Os textos em questão foram, entretanto, retirados da Internet pela empresa chinesa.

As autoridades chinesas exercem há alguns anos uma política de segurança máxima na região de Xinjiang, onde os uigures são predominantes, após violentos conflitos étnicos entre os chineses muçulmanos e os han, a etnia predominante na China.

As autoridades chinesas atribuíram os conflitos a ataques perpetuados por “separatistas” e “terroristas” uigures.

Pequim enfrenta crescente pressão diplomática devido às acusações de que mantém detidos um milhão de uigures em centros de doutrinação política no extremo noroeste do país.

Antigos detidos revelaram que foram forçados a criticar o islão e a sua própria cultura e a jurar lealdade ao Partido Comunista Chinês (PCC), num reminiscente da Revolução Cultural (1966-1976), lançada pelo fundador da República Popular da China, Mao Zedong.

Pequim, que negou inicialmente a existência destas instalações, diz agora tratar-se de “centros de treinamento vocacional” destinados a distanciar a população do extremismo religioso.

O Alibaba, grupo de comércio online líder na China, diversificou nos últimos anos para computação em nuvem, supermercados e até cinema.

Na semana passada, também o grupo chinês de telecomunicações Huawei foi acusado de testar software para reconhecimento facial dos uigures.

A empresa negou as acusações, mas não conseguiu convencer o jogador de futebol Antoine Griezmann. O avançado francês do FC Barcelona rompeu contrato com o grupo, do qual era embaixador desde 2017.

Xinjiang converteu-se, nos últimos anos, num estado policial, com pontos de controlo policial e câmaras de circuito fechado, equipadas com reconhecimento facial, a tornarem-se omnipresentes.

Em 2009, a capital de Xinjiang, Urumqi, foi palco dos mais violentos conflitos étnicos registados nas últimas décadas na China, entre os uigures e a maioria Han.

O ano de 2014 foi marcado também por um ataque com faca na estação de comboios de Kunming, que deixou 31 mortos, e outro com explosivos, contra um mercado em Urumqi, capital de Xinjiang, que fez 39 mortos, ambos perpetuados por uigures, segundo o Governo chinês.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Bazuca" europeia não resolve problema da falta de habitação

De acordo com vários especialistas, as 26 mil casas identificadas como prio­ritárias pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) não chegam para as necessidades do país, que podem chegar às 46 mil. A questão da aplicação …

Peça que terá sido usada no batismo de D.Maria II está à venda. Estado não a compra por ser demasiado cara

Há uma semana que está à venda uma peça que pertenceu à coroa portuguesa. Terá pertencido à família real depois do Terramoto de 1755 e, de acordo com o antiquário que agora a comercializa, terá …

"Dupla pancada". Vítimas de violência doméstica são deixadas ao abandono sem indemnização

Mais de 80% das vítimas de violência doméstica, a maioria mulheres, não recebem indemnizações, nem dos agressores nem do Estado. Se as vítimas não tiverem sofrido uma incapacidade para o trabalho por um período igual ou …

Ministério Público declara ilegal eleição de André Ventura

Ministério Público invalidou a mudança nos estatutos do Chega, incluindo a eleição direta de André Ventura. O líder do partido admite um novo congresso. No início do mês, o Ministério Público (MP) pediu ao Tribunal Constitucional …

Ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos demite-se por causa do Afeganistão

Sigrid Kaag demitiu-se do seu cargo de ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos, depois de o Parlamento considerar que o Governo fez uma má gestão da retirada de cidadãos do Afeganistão. A ministra dos Negócios …

Rio "atirou" Costa aos macacos e pediu aos eleitores que "penalizem" o descaramento do PS

Rui Rio afirma nunca ter visto um "desplante" semelhante ao do PS no que respeita a promessas eleitorais como o que está a acontecer na atual campanha para as autárquicas. Mais um dia, mais uma capelinha. …

Boris quer destronar Thatcher com mais uma década no poder

Há quem acredite que o atual primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, quer bater o recorde de Margaret Thatcher, que exerceu o cargo de 1979 a 1990. Um membro do Governo britânico terá dito ao The Times que …

Itália passa a exigir certificado verde a todos os trabalhadores

Medida é das mais restritivas atualmente em vigor no mundo inteiro, já que todos os regimes de obrigatoriedade que vigoram atualmente aplicam-se sobretudo a profissionais do setor da saúde. A partir de 15 de outubro, itália …

Com receio de que violência negacionista possa escalar, PSP reforça segurança pessoal de políticos

As forças de segurança temem que a violência negacionista aumente e o movimento atraia pessoas desequilibradas. No passado sábado, vários negacionistas, reunidos em mais uma manifestação, desta vez com o mote “Pelas nossas crianças – Rumo …

Promessa eleitoral de Costa em Coimbra arranca um aviso da CNE. Rio ficou "chocado"

António Costa tem estado activo na campanha eleitoral, ao lado dos candidatos do PS às autárquicas, e até sacou da cartola uma maternidade em Coimbra. Uma promessa que deixou Rui Rio "chocado" e que leva …