/

Afeganistão. Retirada de EUA foi “decisão certa” mas “não foi executada de forma adequada”

Brookings Institution / Flickr

O líder do Yesh Atid, partido da oposição israelita, Yair Lapid

O ministro dos Negócios Estrangeiros israelita, Yaïr Lapid, sustentou esta quarta-feira que a retirada norte-americana do Afeganistão foi “provavelmente a decisão certa”, mas não foi convenientemente executada.

Grande aliado dos Estados Unidos, Israel ainda não tinha emitido qualquer comentário oficial sobre a retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão, onde os talibãs reconquistaram o poder em 15 de agosto.

A retirada “não aconteceu como deveria”, declarou o chefe da diplomacia israelita, numa conferência de imprensa realizada em Jerusalém com jornalistas estrangeiros.

“Foi provavelmente a decisão certa, mas não foi executada de forma adequada”, continuou.

O Presidente norte-americano, Joe Biden, reiterou na terça-feira que a sua decisão de pôr fim à intervenção militar dos Estados Unidos no Afeganistão foi a correta, apesar das fortes críticas às operações de retirada de civis, caóticas e enlutadas por um atentado bombista que fez pelo menos 170 mortos, entre os quais 13 militares norte-americanos, no exterior do aeroporto de Cabul.

Os talibãs, por seu lado, celebraram na terça-feira, 31 de agosto, a sua vitória, após a partida do país, durante a noite, dos últimos soldados norte-americanos.

Segundo Lapid, é difícil de “compreender totalmente as repercussões desta decisão”, nomeadamente nos países vizinhos, como o Paquistão, mas também o Irão, inimigo ‘número um’ do Estado hebreu, que se encontra agora com uma “grande fronteira com um país sunita extremista governado por uma organização sunita extremista”.

O chefe da diplomacia israelita considerou também que a retirada norte-americana não foi um sinal de um desinteresse crescente de Washington pela região.

“Não acho que os Estados Unidos estejam a retirar do Médio Oriente e isso, aliás, fez parte das discussões que o primeiro-ministro [israelita] manteve recentemente em Washington”, declarou Lapid.

O primeiro-ministro israelita, Naftali Bennett, reuniu-se a 27 de agosto na Casa Branca com o Presidente Biden, para uma conversa inicialmente agendada para o dia anterior, mas adiada devido ao atentado bombista no aeroporto de Cabul.

  // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.