/

Advogado insiste que o carro de Sócrates nunca passou de Badajoz

4

cv TVI / YouTube

João Araújo, advogado do ex-primeiro-ministro José Sócrates

O advogado de José Sócrates, João Araújo, reafirmou esta segunda-feira, em Évora, que o carro do ex-primeiro-ministro “nunca passou de Espanha” e considerou que “tudo o que têm contra” o antigo líder socialista “são aldrabices”

“Reitero que o carro do engenheiro José Sócrates nunca passou de Espanha. É uma mentira. Tudo o que têm contra ele são aldrabices. Provas nenhumas, factos nenhuns”, afirmou.

João Araújo falava aos jornalistas à saída do Estabelecimento Prisional de Évora, onde hoje voltou a reunir, durante cerca de uma hora e meia, com José Sócrates, que aí está a cumprir prisão preventiva há quase um mês.

Questionado sobre a entrevista à RTP do advogado de João Perna, o motorista de José Sócrates, João Araújo limitou-se a dizer que não é “desmentido por advogados” e que não viu “nenhum desmentido de nenhum advogado”.

“Não foi um desmentido e quem disser o contrário está a mentir”, atirou João Araújo, sobre as alegadas viagens do carro a Paris.

O advogado assinalou, por outro lado, que o ex-primeiro-ministro “não aceita concessões nenhumas desta gente, muito menos do senhor director-geral”, porque “não precisa, não as pede e não as aceita”, referindo-se à possibilidade de serem abertas excepções ao horário de visita.

“Se o Estado não tem condições de tratar decentemente os presos preventivos, não os tenha”, disse.

Na sexta-feira, em entrevista ao Jornal da Noite da TVI, João Araújo afirmou que o alegado transporte pelo motorista João Perna de dinheiro para José Sócrates era “uma grosseira mentira”.

Segundo o advogado, João Perna nunca terá saído de Portugal como motorista do ex-primeiro-ministro.

Foi uma vez a Badajoz fazer a revisão do carro. É aqui ao lado”, ironizou.

José Sócrates está preso preventivamente, há quase um mês, no Estabelecimento Prisional de Évora, por suspeita de corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal qualificada, num caso relacionado com alegada ocultação ilícita de património e transacções financeiras no valor de vários milhões de euros.

/Lusa

4 Comments

  1. Com gente assim, como é que este país poderá alguma vez ser olhado com respeito por quem vê estas farsas do lado de fora? Alguem está a mentir! Alguém está a meter os dedos nos olhos deste povo.
    Sugestão: – libertem o Sr. Socrates e convidem-no a candidatar-se às próximas presidênciais. Ganha logo à 1ª volta! Porque é disto que este povo gosta.
    É só ver a romaria à prisão de Elvas. Toda essa encenação não se trata de solidariedade. É simplesmente o que em linguagem popular se diz “Apostar no Cavalo Certo”

  2. É na realidade triste ver este espetáculo dado por este advogadozeco que quer ter protagonismo, dizendo estas frases bombásticas que só servem para desacreditar a justiça. Qualquer pessoa pergunta e com razão, não há em Portugal oficinas de renome que pudessem fazer a revisão a um carro, seja de que marca for??? Não brinquem mais com os cidadãos comuns e que se prezam de ser honestos, por isso, não são políticos.

  3. Há duas versões sobre o mesmo facto. O advogado do motorista afirmou que este no interrogatório disse que tinha ido a Paris. O advogado do ex- Primeiro Ministro afirma que o carro do seu cliente nunca passou de Badajoz. Parece haver contradição. mas no fundo não há. Há talvez malicia. É que o primeiro advogado fala na pessoa- o motorista; enquanto que o segundo fala no carro. Ora o motorista podia ter ido a Paris no carro que lhe indicassem. Assim o motorista ia a Paris em serviço mas o carro não ia além de Badaloz. Enghenoso.!!! O certo é que o motorista da prisão passou para prisão domiciliária. Porquê ?

  4. Até pode ser verdade… “João Perna nunca terá saído de Portugal como motorista do ex…” provavelmente saiu como motorista do “ex” quando o “ex” ainda o não era…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE