Volkswagen declara-se culpada e paga 4 mil milhões no escândalo das emissões de gases nocivos

1226

A Volkswagen aceitou declarar-se culpada e pagar mais 4,3 mil milhões de dólares (cerca de quatro mil milhões de euros) para encerrar os processos judiciais associados aos motores diesel manipulados, anunciou hoje o Departamento de Justiça.

Escândalo Volkswagen

Esta mistura de penalidades civis e criminais vai permitir ao grupo alemão escapar a um processo e soma-se aos 17,5 mil milhões de dólares que este gigante do automóvel já se comprometeu a pagar para cobrir os custos do escândalo, que apareceu à luz do dia em setembro de 2015, nos EUA.

O fabricante automóvel, que tem 12 marcas, reconheceu ter participado numa “conspiração” para enganar os clientes e as autoridades norte-americanas, mas também ter feito “obstrução à justiça”, ao destruir documentos para dissimular as suas ações, indicou o Departamento, no seu comunicado.

No final de 2015, a VW reconheceu ter equipado 11 milhões das suas viaturas no mundo, das quais 600 mil nos EUA, com um programa informático que reduzia o nível real das emissões de gases nocivos, quando estas eram controladas.

Durante os próximos três anos, o grupo vai estar sob controlo apertado, terá de se submeter ao controlo de um auditor independente e aceitou “cooperar plenamente” com as autoridades para processar os empregados da VW implicados na fraude, garantiu o Departamento de Justiça.

As autoridades norte-americanas também anunciaram a acusação de mais cinco empregados e quadros da empresa, todos residentes na Alemanha, que se acrescenta à feita na segunda-feira e à de um engenheiro do grupo, em setembro.

Na segunda-feira, o Departamento de Justiça divulgou que a direção do grupo alemão tinha sido informada do escândalo em meados de 2015, mas decidiu permanecer em silêncio.

// Lusa

7 COMENTÁRIOS

  1. Pois é. E o que é que a VW vai fazer em Portugal? Onde estão as indemnizações aos Europeus que também foram vítimas do mesmo crime. EM Portugal têm medo que se encerre Palmela?
    Que país triste e terceiro-mundista em que vivemos. Tenho vergonha de ser Português e de ver o estado a baixar as calças perante a Alemanha. E não é só Portugal. O que estrão a fazer os outros países da UE onde forma vendidos automóveis do grupo VW afetados com o mesmo problema?
    Tenham vergonha! Só mesmo nesta Europa podre e sem princípios, onde os valores já eram. E sim, também tenho vergonha de ser Europeu.

  2. O “Eu” nem merece resposta, mas deve trabalhar para o grupo VW. Esconde-se na cobardia do anonimato, tanto do nome como do rosto. Completamente irrelevante…
    Ao Daniel digo que fiz: expus a situação ao Grupo VW PORTUGAL, à SIVA, à associação britânica que defende os consumidores europeus, ao grupo VW na Alemanha. Somente obtive resposta do Reino Unido. Da SIVA recebi a segunda resposta evasiva que tinha recebido ao primeiro contacto, somente com a diferença de que a primeira me informava que o problema seria resolvido até Junho de 2016 (resposta a carta minha de 2015), e a segunda que me informou, em dezembro passado, que o problema seria resolvido em 2017. Vá lá, ainda tenho 11 meses e uns dias de espera.

  3. Bom dia

    Eu tambem sou um dos afectados por este problema, liguei por duas vezes para a volkswagen, onde me dizem que tenho que esperar por um contacto do concessionario que me vendeu o carro, para agendarem a reparação,
    mas afinal nós Portugueses somos diferentes dos americanos em o quê? não comprámos os carros? não os pagamos tambem? porque é que não há tambem uma compensação monetária? fomos enganados, e ninguem quer saber, os nossos governantes têm medo da volkswagen? porquê? se eles nos enganam, fora com eles, há mais marcas a ser vendidas em Portugal.

  4. Tenho um carro VW com motor 2.0 TDI e fui chamado ao concessionário para realizar a alteração do software no passado dia 30 de Dezembro. Atribuíram-me um carro de substituição da mesma classe e a minha viatura ficou lá apenas por 4 ou 5 horas, recebendo ainda uma lavagem e aspiração completa. Não noto qualquer perda de potência ou problema de performance, acho mesmo que o motor ficou mais “redondo” e suave e a minha primeira impressão foi muito boa. A única questão que me chamou a atenção pela negativa foi que eventualmente o consumo estará algo superior mas não posso afirmar isso peremptoriamente. Estou atento e a seguir os consumos para ter uma opinião definitiva quanto a esse aspecto. Relativamente à gestão Europeia de toda esta questão, acho definitivamente lamentável. Sem dúvida que todos os empregos de europeus nas unidades das 12 marcas do grupo VW pesam e pesaram muito, para além de toda a pressão politica dos países onde as fábricas estão instaladas. Compreenderia tudo isso bem melhor se entretanto a VW não tivesse anunciado os despedimentos que vai efectuar até 2020. Infelizmente os tempos que vivemos demonstram a cada instante que os cidadãos são irrelevantes para as corporações, a banca, os políticos, etc. excepto quando são chamados a pagar impostos para resolver os problemas entretanto criados. Um dia um líder emergirá, a coisa descamba mesmo e nada voltará a ser como dantes. Pode-se enganar alguns durante algum tempo mas não se pode enganar todos por todo o tempo.

RESPONDER

Afonso Dias, condenado pelo rapto de Rui Pedro

Caso Rui Pedro: Afonso Dias poderá sair da prisão em breve

Afonso Dias cumpre no próximo mês de março dois terços da pena a que foi condenado, podendo sair em liberdade condicional já nos próximos dias. Depois de dois anos preso na cadeia de Guimarães, Afonso Dias …

-

Venda do Novo Banco avança com os norte-americanos do Lone Star

O fundo norte-americano Lone Star foi o escolhido pelo Banco de Portugal para a compra do Novo Banco. O supervisor anuncia, nesta segunda-feira, o arranque das "negociações exclusivas". "O Banco de Portugal decidiu seleccionar o potencial …

Donald Trump com o seu vice-presidente, Mike Pence.

Mike Pence assegura em Bruxelas que EUA vão manter cooperação com UE

O vice-presidente norte-americano assegurou esta segunda-feira, em Bruxelas, que a administração de Donald Trump tem o "forte compromisso" de prosseguir a cooperação com a União Europeia, porque EUA e Europa "partilham os mesmos valores". "Hoje é …

António Domingues, o ex-presidente da Caixa Geral de Depósitos

"Domingues está mortinho por mostrar SMS de Centeno"

O futuro de Mário Centeno está nas mãos do ex-presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD), António Domingues. É Marques Mendes quem o diz, salientando que o ex-gestor do banco público está "mortinho por mostrar …

-

Detidos dois dos reclusos que fugiram da prisão de Caxias

Dois dos três reclusos que fugiram do estabelecimento prisional de Caxias, Oeiras, foram detidos em Madrid, no domingo, com documentos de identificação falsos, disse à Lusa fonte da polícia nacional espanhola. A mesma fonte adiantou que …

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un

Coreia do Norte desconfia da investigação malaia à morte de Kim Jong-nam

O embaixador de Pyongyang na Malásia disse esta segunda-feira que a Coreia do Norte não pode confiar na investigação da polícia malaia à morte do meio-irmão do seu líder, após ser convocado pelo Governo de …

-

Deco quer retirar do mercado pinturas faciais do Carnaval

A associação de defesa do consumidor revelou esta segunda-feira que há pinturas faciais para crianças à venda com ingredientes que provocam alergias ou irritações na pele. A Deco anunciou também que vai denunciar a ausência de …

Orangotango bebê

Beijos de orangotangos podem guardar segredo da origem da fala humana

Uma equipa de cientistas afirma ter começado a desvendar segredos da origem da fala humana através da análise dos sons dos "beijos" emitidos pelos orangotangos. Uma das revelações do estudo, realizado na Universidade de Durham, no …

-

Peugeot-Citroën vai pagar 2 mil milhões pela Opel

A compra da Opel pela PSA, um negócio avaliado em 2000 milhões de dólares, será fechado esta semana e anunciado oficialmente na quinta-feira, quando o grupo que controla a Peugeot e a Citroen apresentar os …

-

Astrónomos querem que a Lua passe a ser um planeta

Alan Stern, principal investigador da missão New Horizons da NASA em Plutão, juntamente com cinco colegas, pretende reescrever a definição de "planeta". Segundo o The Times, uma das principais alterações que o grupo de cientistas quer introduzir …