Armar população e interferir na polícia. Tribunal divulga vídeo que pode comprometer Bolsonaro

Justin Lane / EPA

O Supremo Tribunal Federal (STF) brasileiro divulgou esta sexta-feira um vídeo de uma reunião ministerial de abril que compromete o Presidente brasileiro.

Após afirmar que não recebe informações da Polícia Federal nem de outros serviços de inteligência, Bolsonaro confirma interferência: “É uma vergonha. Eu não sou informado e não dá para trabalhar assim. Por isso, vou interferir. Ponto final.

De acordo com as transcrições publicadas pelo jornal Folha de São Paulo, Bolsonaro ameaçou interferir na Polícia Federal e disse que não ia esperar “f.” alguém da sua família ou dos seus amigos para tomar providências.

“Já tentei trocar gente da segurança nossa no Rio de Janeiro oficialmente e não consegui. Isso acabou. Eu não vou esperar f. minha família toda de sacanagem, ou amigo meu, porque eu não posso trocar alguém da segurança da ponta de linha que pertence à estrutura. Vai trocar; se não puder trocar, troca o chefe dele; não pode trocar o chefe, troca o ministro. E ponto final. Não estamos aqui para brincadeira”, disse.

O vídeo esta sexta-feira divulgado pelo STF era apontado pelo ex-ministro Sergio Moro como prova sobre a alegada interferência do Presidente brasileiro na Polícia Federal.

Além das questões relacionadas com Bolsonaro, o juiz do STF Celso de Mello indicou que, após assistir ao vídeo, descobriu “prova da aparente prática, pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, de possível crime contra a honra dos juízes do Supremo Tribunal Federal.

“O povo está gritando por liberdade, ponto. Eu acho que é isso que a gente está perdendo, está perdendo mesmo. O povo está querendo ver o que me trouxe até aqui. Eu, por mim, colocava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF”, disse Abraham Weintraub, citado na decisão assinada pelo juiz Celso de Mello.

Em causa está a conversa gravada numa reunião de ministros, ocorrida na sede da Presidência, em Brasília, e que foi citada no depoimento do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Sergio Moro, que acusa Bolsonaro de alegada interferência na Polícia Federal.

Na reunião, e de acordo com Moro, Bolsonaro teria exigido a troca do superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro, a fim de evitar uma investigação a familiares e aliados.

A Advocacia-Geral da União (AGU) brasileira, órgão que defende o Executivo em processos judiciais, defendia que apenas fossem divulgadas as falas de Bolsonaro, e não as dos restantes participantes da reunião, tendo entregado um documento com as declarações do chefe de Estado isoladas. Já a defesa de Sergio Moro pede a divulgação total do conteúdo do vídeo.

O vídeo da polémica reunião estava sob sigilo no STF, tendo sido divulgado na tarde desta sexta-feira.

A reunião ministerial em causa ocorreu em 22 de abril, dois dias antes da renúncia de Moro, quando denunciou “pressões inaceitáveis” por Bolsonaro em relação à Polícia Federal, um órgão autónomo subordinado ao Judiciário, embora o seu diretor seja nomeado pelo Presidente da República.

“O Presidente disse-me, mais de uma vez, expressamente, que ele queria ter uma pessoa do contacto pessoal dele [para quem] ele pudesse ligar, [de quem] ele pudesse colher informações, [com quem] ele pudesse colher relatórios de inteligência. Seja o diretor [da Polícia Federal], seja um superintendente”, declarou Moro, ao anunciar a sua demissão.

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, diz, no mesmo vídeo divulgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que quer armar a população para evitar a instauração de uma ditadura no Brasil.

Como é fácil impor uma ditadura no Brasil, como é fácil. O povo está dentro de casa. Por isso eu quero, ministro da Justiça e ministro da Defesa, que o povo se arme”, afirmou Bolsonaro, dirigindo-se a dois dos seus ministros.

Na mesma gravação, o chefe de Estado brasileiro quer a garantia de que não vai aparecer alguém no país “para impor uma ditadura”, considerando ser fácil a imposição desse regime, bastando um prefeito fazer um decreto que deixe todas as pessoas “dentro de casa”.

“Se tivesse armado, ia para a rua. Se eu fosse ditador, eu desarmava, como fizeram todos no passado, antes de impor a sua respetiva ditadura. Eu peço ao Fernando [Azevedo e Silva, ministro da Defesa] e ao Moro [Sergio Moro, ex-ministro da Justiça] que, por favor, assine essa portaria hoje [22 de abril]”, acrescentou.

Segundo a transcrição do vídeo divulgada pelo STF, Jair Bolsonaro pergunta: “Porque é que eu estou a armar o povo? Porque eu não quero uma ditadura. Não dá para segurar mais”.

Na decisão, o juiz do STF Celso de Mello publicou quase na íntegra quer o vídeo, quer a transcrição da reunião. Apenas não permitiu a divulgação das “poucas passagens do vídeo nas quais há referência a determinados Estados estrangeiros”.

No vídeo destacam-se palavrões e injúrias a ministros e a ameaça de demissão “generalizada” a quem não adotasse a defesa de assuntos defendidos pelo Governo.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. E disse tambem que era a favor da liberdade de expressão.
    Facistas querem sempre o exacto oposto do que Bolsonaro apareceu a dizer, querem sempre limites de expressão e proibição do porte de armas pela população

  2. Ó tribunal que fechava os olhos ao ladrão Lula e dilma e agora quer mostrar serviço, e os media sobretudo da globo que está cega… Só vê bolsonaro enfim…. Grandes diferenças de tratamento agora ao presidente esquecem que O POVO VOTOU PARA LÁ ESTAR ISSO QUER DIZER QUALQUER COISA NÃO…..

    • Tal como o teu triste comentário quer dizer qualquer coisa sobre ti!…
      Numa noticia desta gravidade sobre o louco do Bolsonaro, só mesmo alguém muito limitado para falar do Lula e da Dilma!…

RESPONDER

Por George Floyd, milhares de portugueses manifestam-se contra o racismo

Milhares de portugueses manifestaram-se, este sábado, contra o racismo em Lisboa, Porto, Braga, Coimbra e Viseu. Em causa está a morte de George Floyd, nos Estados Unidos. Mais de cinco mil pessoas participaram hoje à tarde …

Touradas regressam quando "estiverem aprovadas regras" pela DGS

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, disse hoje que os espetáculos tauromáquicos vão poder ser retomados “assim que as regras” para esse reinício “estiverem aprovadas pela Direção-Geral da Saúde”, devido à pandemia da Covid-19. Numa visita …

Maddie terá entrado em veículo de matrícula alemã em Espanha após o desaparecimento

Uma testemunha diz ter visto uma criança parecida com Madeleine McCann a entrar numa carrinha de matrícula alemã, em Espanha, acompanhada de um homem, poucas semanas após o seu desaparecimento. A informação consta de um arquivo …

Primeiro dia das eleições do FC Porto com mais de quatro mil votantes

O primeiro dia das eleições do FC Porto não podia ter sido "melhor", estimou Matos Fernandes, presidente da Mesa da Assembleia Geral do clube, relevando que este sábado 4.036 sócios que se dirigiram ao Dragão …

Novo dispositivo produz energia a partir das sombras

Em dias chuvosos e com pouca luz solar, seria uma mais-valia se pudéssemos usar a sombra dos objetos para obter energia elétrica. A solução desenvolvida por Swee Ching Tan, cientista de materiais na Universidade Nacional …

Estômago de dinossauro preservou a sua última refeição durante 110 milhões de anos

Cientistas canadianos analisaram a última refeição de um anquilossauro nodossóide, com 110 milhões de anos, ainda na sua barriga fossilizada. De acordo com o site Science Alert, este dinossauro herbívoro de 1300 quilos – Borealopelta markmitchelli – descoberto …

"Evento raro". Nasceu uma baleia-branca no maior aquário do mundo (e o momento foi gravado)

Whisper, uma baleia-branca de 20 anos, deu à luz uma cria saudável em 17 de maio após uma gravidez de 15 meses, marcando a chegada do mais novo cetáceo do Georgia Aquarium, numa altura em …

Telemóveis são uma ferramenta poderosa contra a desigualdade de género em África

Ao dar às mulheres acesso a informação que, de outra forma, era quase impossível de obter, os telemóveis estão a salvar e a transformar vidas. De acordo com o site IFLScience, o estudo responsável por esta …

Desde março, morreram mais de 100 elefantes no Botsuana. Ninguém sabe porquê

As autoridades do Botsuana estão a investigar a morte de 110 elefantes na região do Delta do Okavango desde março, anunciou esta semana o Ministério do Meio Ambiente, Conservação de Recursos Naturais e Turismo daquele …

Um robô aprendeu a fazer uma omelete. E ficou melhor do que o esperado

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, treinou um robô a preparar uma omelete. Para os investigadores, avaliar se um robô cozinhou uma refeição com sucesso é uma fonte interessante de …