Vidas inventadas e treinos de como pedir um BigMac. O grupo de espiões russos que fingiam ser americanos

Muito antes das preocupações com ataques eleitorais e esquemas de notícias falsas, o FBI em Nova Iorque estava a rastrear um tipo muito diferente de operação de espionagem: espiões russos que viviam disfarçados como americanos normais.

De acordo com o jornal britânico The Independent, entre 2000 e 2010, os agentes do FBI de Nova Iorque rastrearam um grupo de dez espiões russos que fingiam ser habitantes dos Estados Unidos normais numa tentativa de se aproximarem de norte-americanos influentes para, depois, enviar segredos para Moscovo.

Este facto é descrito no documentário da CBS News chamado “The FBI Declassified: The Spies Next Door”, que estreia na próxima terça-feira.

“Quando vêm para os Estados Unidos, estão armados apenas com uma certidão de nascimento”, disse Maria Ricci, agente do FBI, num vídeo promocional para o programa. “Eles têm de construir uma vida aqui.”

Os espiões eram treinados na Rússia, assistiam programas de televisão e filmes norte-americanos e tinham histórias de background inventadas às quais chamavam a sua “lenda”, que os ajudavam a parecer norte-americanos normais e a misturar-se com os restantes habitantes dos Estados Unidos.

De acordo com o FBI, os espiões russos viviam em locais que iam desde os subúrbios de Nova Iorque e Nova Jérsia até Cambridge, Massachusetts e Washington DC.

“Eram oficiais da inteligência russa, treinados, a viver entre americanos, a passar-se por americanos que estavam a ter acesso como americanos”, explicou Alan Kohler, supervisor do FBI, Alan Kohler.

Segundo os agentes, os espiões russos eram treinados ao ponto de pedir um Big Mac no McDonald’s e soar como um norte-americano.

Porém, por trás da sua aparência de normalidade, os agentes do FBI dizem que os espiões estavam regularmente envolvidos em atividades clandestinas e a retransmitir mensagens para Moscovo.

Os russos foram vistos a encontrar-se em locais lotados e a passar dinheiro e outros objetos de valor nas estações ferroviárias. Um russo foi apanhado a desenterrar um esconderijo de dinheiro perto de uma paragem de descanso de uma rodovia fora da cidade de Nova Iorque.

Alguns agentes retransmitem mensagens criptografadas por rádio de ondas curtas, enquanto outros ocultam mensagens secretas em metadados de imagens publicadas na Internet.

À medida que o caso crescia ao longo de uma década, os agentes começaram a monitorizar os seus telemóveis e e-mails, além de plantar microfones secretos e fazer buscas clandestinas nas suas casas.

Em 2010, o grupo foi preso e acusado de conspiração e lavagem de dinheiro, mas não de obtenção de material classificado.

Todos foram repatriados para a Rússia sem julgamento em troca da libertação de quatro agentes de inteligência ocidentais detidos em prisões russas, a maior troca de espiões entre os dois países desde a Guerra Fria.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Turquia alvo de críticas duras em reunião da NATO e em risco de sanções

A Turquia esteve esta quarta-feira sob um fogo de críticas na reunião virtual dos Ministros dos Negócios Estrangeiros (MNE) da NATO e, com a deceção manifestada pelos Estados Unidos, deve preparar-se para sanções económicas americanas …

O que Neymar mais quer é voltar a jogar com Messi. Só se vier a custo zero, diz o Barça

O internacional brasileiro Neymar, que alinha pelo PSG, confessou esta quarta-feira que o mais deseja é voltar a jogar com o astro argentino Lionel Messi, com quem partilhou balneário entre 2013 e 2017 no Barcelona. …

Ministro da Administração Interna e procuradora-geral da República vão ser ouvidos no Parlamento

Eduardo Cabrita será ouvido sobre o caso do cidadão ucraniano assassinado nas instalações do SEF e Lucília Gago sobre a "recente diretiva sobre os poderes hierárquicos" na magistratura do Ministério Público. A comissão de Assuntos Constitucionais …

Portugal regista mais 79 mortos e 3.772 novos casos de covid-19

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais 79 mortos relacionados com o novo coronavírus, que provoca a covid-19, e 3.772 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da …

França investiga 76 mesquitas por suspeita de radicalização islâmica

A França vai investigar nos próximos dias 76 mesquitas por suspeitas de radicalização islâmica, anunciou esta quarta-feira o ministro do Interior do país, Gerald Darmanin. Trata-se de 16 templos na região de Paris e 60 no …

Medidas estão a dar resultados. Novas regras apresentadas sábado vão vigorar até 7 de janeiro

O primeiro-ministro afirmou que as medidas adotadas estão a produzir resultados, havendo uma trajetória descendente de novos casos de covid-19, mas advertiu que janeiro é mês de risco e as restrições não podem ser aliviadas. Esta …

Interpol alerta para ameaça do crime organizado ligado às vacinas. Falsificações podem ser fatais

A Interpol emitiu um alerta global aos perigos de burlas à volta da nova vacina para a covid-19. As falsificações podem ser lucrativas para os criminosos e fatais para quem as usar. A Interpol emitiu um …

Alguns distritos de Portugal continental e Madeira com avisos meteorológicos até domingo

Alguns distritos de Portugal continental e o arquipélago da Madeira vão estar a partir de hoje e pelo menos até domingo com vários avisos meteorológicos devido à agitação marítima, vento e queda de neve, de …

R abaixo de 1 em Portugal. Um milhão de pessoas pode já ter tido contacto com o vírus

Um doente covid-19 em Portugal está a infetar, em média, menos de uma pessoa, segundo dados do Instituto Ricardo Jorge revelados esta quinta-feira, que mostram que o Rt voltou a estar abaixo do 1. “Atualmente, o …

EUA aprovam legislação que pode excluir firmas chinesas do seu mercado de capitais

O Congresso norte-americano aprovou esta quinta-feira legislação que força as empresas chinesas a saírem dos índices bolsistas norte-americanos a menos que cumpram as regras de contabilidade nos Estados Unidos. A legislação, que pode afetar dezenas de …