Ventura formaliza recandidatura e traça objetivo: colocar o Chega no pódio dos partidos

Manuel de Almeida / Lusa

André Ventura, líder demissionário do Chega, formalizou a sua recandidatura à presidência do partido, sob o lema “mobilizar Portugal”.

Esta terça-feira, o líder demissionário do Chega formalizou a sua recandidatura à presidência do partido nas eleições diretas de 5 de setembro, sob o lema “mobilizar Portugal” e com o objetivo de tornar o partido na terceira força política do país.

Na sua moção estratégica, André Ventura, que defende “uma profundíssima revisão constitucional nas áreas da justiça, da economia e do sistema político”, diz ser “o principal continuador em Portugal” do fundador do PPD/PSD, Sá Carneiro, com “a inspiração dos valores civilizacionais cristãos” de homens como o papa João Paulo II.



“Esta candidatura pretende continuar o caminho de construção da IV República e tem como objetivo político fundamental a eleição de deputados regionais já nas eleições para a Região Autónoma dos Açores e a consolidação como terceira força política nacional nas próximas eleições legislativas, deixando para trás o PCP, o BE e o PAN”, lê-se no texto.

Segundo o deputado único do partido populista de direita, a sua candidatura “não pretende menos para o Chega do que o pódio das grandes forças políticas nacionais”.

“Combater a imigração ilegal descontrolada, em Portugal e no contexto da União Europeia, a progressiva islamização” das “grandes cidades”, “o marxismo cultural” e “a ideologia de género” são “bandeiras” de Ventura, assim como “denunciar os vícios do sistema, apontar o dedo à hipocrisia nacional em matéria de racismo e xenofobia” e “lutar incansavelmente contra os privilégios dos políticos”.

O parlamentar quer ainda “denunciar os privilégios de minorias que continuam a viver fora ou na margem do Estado de direito, sem cumprir os deveres mais básicos e permanentemente a reclamar por mais direitos”.

Para o líder do Chega a situação de Portugal é de “caos político: um Governo minoritário incapaz de lidar com gigantesca crise sanitária, económica e social, um Presidente da República completamente inativo e cúmplice do Governo, um parlamento vergado aos interesses do centrão partidário ou da extrema-esquerda, refém do PS, um centro-direita e direita completamente inexistentes e um CDS a desaparecer progressivamente”.

Ventura pediu a demissão da liderança do Chega em abril após ser alvo de críticas internas pela forma como votou a renovação do estado de emergência decretado devido à pandemia de covid-19.

A mensagem que devo aos militantes e apoiantes do CHEGA. Estarei sempre convosco!

Publicado por André Ventura em Sábado, 4 de abril de 2020

Num vídeo divulgado na altura, o tribuno alegou estar “farto” e “cansado” dos que “sistematicamente boicotam” a direção do partido.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Comissária europeia diz que variante Delta “diminui” proteção da vacina

A comissária europeia para a Saúde disse esta terça-feira que estão a surgir provas que demonstram que a variante Delta do coronavírus SARS-CoV-2 “diminui a força do escudo protetor” criado pelas vacinas, instando à aceleração …

DGS diz que demora de conclusões sobre eventos-piloto não é por erro técnico

A Direção-Geral da Saúde (DGS) rejeitou, esta terça-feira, que tenha havido erro técnico no tratamento de dados dos eventos-piloto da Cultura, ocorridos em abril e maio, mas admitiu que o processo está demorado. Numa declaração enviada …

Governo quer fazer alterações na duração de cargos de dirigentes

As mudanças que estão a ser preparadas passam por reduzir a duração dos cargos em substituição e, por outro lado, pelo ajustamento do período das comissões do serviço em função da avaliação. Segundo o Jornal de …

Responsável pelas manifestações em Lisboa é coordenador no Gabinete de Apoio à Presidência da CML

O responsável pelas manifestações na cidade de Lisboa é coordenador técnico no Gabinete de Apoio à Presidência da Câmara liderada por Fernando Medina. De acordo com o semanário Expresso, António Santos tem sido, nos últimos …

Sporting e Braga jogam Supertaça em Aveiro no dia 31 de julho

A Supertaça Cândido Oliveira, que vai ser disputada entre Sporting e Sporting de Braga, vai ser disputada em Aveiro, a 31 de julho, anunciou a Federação Portuguesa de Futebol (FPF). "A decisão da Supertaça Cândido de …

Um quarto da população portuguesa já tem a vacinação completa

Em Portugal, 42% das pessoas já receberam a primeira dose de uma vacina contra a Covid-19 e 25% — cerca de um quarto da população — estão completamente vacinados. De acordo com o mais recente relatório …

Cardiologista do Tottenham admite ponto final na carreira de Eriksen

O cardiologista do Tottenham, Sanjay Sharma, admite um ponto final na carreira de Christian Eriksen, que caiu inanimado no jogo entre a Dinamarca e a Finlândia. O encontro entre Dinamarca e Finlândia, da primeira jornada do …

ARS Norte conta avançar com recuperação de consultas em atraso ainda este mês

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte conta avançar durante este mês com o programa especial de incentivos financeiros para recuperação de consultas presenciais nos cuidados de saúde primários (CSP), propondo-se recuperar metade da …

Cristiano Ronaldo no Euro 2020

"Rei do Euro". Ronaldo fez história na Hungria (e ainda vai durar "mais uns 3 aninhos")

Cristiano Ronaldo marcou dois dos golos de Portugal na vitória frente à Hungria por 3-0, na estreia da Selecção no Euro 2020, e tornou-se no melhor marcador de sempre dos Campeonatos Europeus de futebol. Aos …

"Insultos são a arma dos fracos". Ministro defende lei das minas e lança farpas a Catarina Martins

Matos Fernandes defende acerrimamente o novo decreto lei da exploração mineira e lança farpas a Catarina Martins, que o criticou: "Insultos são a arma dos fracos". No domingo, o Bloco de Esquerda anunciou que ia pedir …