Vendas de chocolate remam contra a crise

flavijus / Flickr

-

As vendas de chocolate deverão crescer 4% em 2014 face ao ano anterior, repetindo a tendência de 2013, apesar do efeito negativo da crise sobre outros produtos, prevê a ACHOC, associação do sector.

“Vemos que há uma retracção generalizada do consumo, mas nas vendas de chocolate tem havido até um crescimento”, notou o secretário-geral da ACHOC-Associação de Industriais de Chocolates e Confeitaria, Manuel Barata Simões, em entrevista à Lusa.

As vendas em Portugal representam cerca de 200 milhões de euros.

Quanto ao Natal deste ano, o mesmo responsável prevê que “os números serão interessantes”, até por causa do efeito da crise sobre os hábitos de compras para a época: “O chocolate já é uma boa alternativa a outras prendas de Natal mais sofisticadas e mais caras”, referiu.

A época natalícia é também a mais importante para o sector, uma vez que só por si representa entre 35 a 40% do consumo anual deste produto, calcula a ACHOC.

Em conjunto, Natal e Páscoa têm um peso de 60% para a quantidade de chocolate que é consumido durante o ano todo.

Chocolate é alimento

Além das compras natalícias, o secretário-geral da associação aponta a mudança nos hábitos alimentares como outra causa para este comportamento positivo do sector: “Acreditamos que haja famílias que, em vez de dar dinheiro às crianças para comerem no intervalo das aulas, preferem dar-lhes uma pequena barra de chocolate para a meio da manhã ou da tarde complementarem o seu lanche”, exemplificou.

Aliás, a associação tem apostado em promover o chocolate como um “produto alimentar” e “um bom complemento de refeição”, que tem benefícios para a saúde quando consumido de forma moderada, acrescentou o representante da ACHOC.

As mudanças no mercado português estendem-se ainda ao lado dos fabricantes. Nos últimos anos assiste-se ao fabrico de produtos mais elaborados, ao aparecimento de pequenas lojas especializadas em chocolates, como já sucedia noutros países europeus, e também à renovação de marcas tradicionais, referiu.

Moyan Brenn / Flickr

-

Quilos de chocolate por pessoa

Manuel Barata Simões sublinhou que, no entanto, os portugueses continuam a ser o povo que menos chocolate consome ‘per capita’ dentro da Europa, cerca de 1,5 quilos por pessoa ou talvez um pouco mais, tendo em conta as pequenas lojas cujos dados não estão contabilizados pela associação.

Em Espanha, o consumo é de 3,5 quilos por pessoa, chegando aos nove quilos na Alemanha, por exemplo.

Fora da Europa, é na China e Índia que actualmente se concentram as atenções do sector, uma vez que o número de consumidores nestes países está a aumentar, afirmou.

“O consumo da China é cerca de 5% do consumo europeu. Se compararmos em termos de população, está a ver o potencial de crescimento incrível que temos pela frente. Isto leva a pensar que temos de aumentar também a produção de matérias-primas, neste caso do cacau“, disse.

Crise na produção mundial de cacau

Manuel Barata Simões admite também que têm ocorrido “alguns problemas com a produção”, a nível mundial, o que poderá ter efeitos no preço do cacau, mas acredita que tudo irá resolver-se.

Em causa estão problemas como pragas, instabilidade política na Costa do Marfim, um dos maiores produtores, agricultores que optaram por outras colheitas, e até a epidemia de Ébola, que provocou um aumento do custo do cacau.

“Os preços mais altos vão levar a que os produtores que passaram para outros produtos voltem à produção de cacau”, assegura, acrescentando: “Isto vai tender a estabilizar”.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

PJ detém cinco pessoas por esquema fraudulento com tratamentos para a covid-19

Cinco profissionais ligados ao ramo da saúde foram detidos, esta quinta-feira, pela Polícia Judiciária (PJ) numa operação que envolveu buscas a clínicas médicas, residências e empresas e que investiga crimes de corrupção, burla qualificada, falsificação …

Suárez aborda eventual saída de Messi. "Saberá do que precisa"

O futebolista Luis Suárez comentou a possível saída do seu companheiro de equipa Lionel Messi do Barcelona. "Saberá do que precisa", disse o internacional uruguaio, frisando que não consegue ver o astro argentino noutra equipa. …

Mário Centeno nomeado governador do Banco de Portugal

O Conselho de Ministros aprovou, esta quinta-feira, o nome do ex-ministro das Finanças para o cargo de governador do Banco de Portugal (BdP). A decisão foi revelada, esta quinta-feira, depois do Conselho de Ministros, pela ministra …

Finanças admitem queda de 9% no PIB. Governo prepara-se para rever projeção inicial de 6,9%

O Ministério das Finanças admite a possibilidade de que a queda do PIB se aproxime dos 9%, revelou esta quinta-feira o Jornal de Negócios, adiantando que o Governo se prepara para rever a projeção inicial …

Vacina de Oxford testada em humanos com "resultados promissores"

Os testes clínicos em humanos da potencial vacina contra a covid-19 que a Universidade de Oxford criou tiveram "resultados prometedores" e desencadearam a resposta imunitária que se pretendia. Os testes em humanos, que desde abril envolveram …

Goa decreta novo confinamento, com Índia a rondar um milhão de casos

Depois de ter aberto portas ao turismo, Goa decreta um novo confinamento de três dias. Registaram-se 198 novos casos nas últimas 24 horas, o número mais alto desde o início da pandemia. O estado de Goa, …

Tribunal da Concorrência confirma coima de 75 mil euros a Ricardo Salgado

O Tribunal da Concorrência confirmou, esta quinta-feira, a coima de 75 mil euros aplicada pelo Banco de Portugal a Ricardo Salgado, no caso do financiamento do Grupo Alves Ribeiro (GAR) para compra de ações da …

Mais três mortes e 339 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, esta quinta-feira, mais três mortes e 339 novos casos de infeção por covid-19 em relação a quarta-feira, mostra o boletim mais recente da DGS. Segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS), dos …

Crise entrou em nova fase mas mundo "não está fora de perigo", diz FMI

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, disse esta quinta-feira que a crise provocada pela pandemia entrou numa nova fase, que exige flexibilidade para assegurar "uma recuperação sustentável e equitativa", alertando que o mundo …

China bane importação de ovelhas portuguesas

As alfândegas chinesas baniram as importações de ovelhas e produtos relacionados de Portugal, alegando um aviso da Organização Mundial de Saúde Animal sobre um surto de paraplexia enzoótica dos ovinos na Guarda. A notícia foi avançada …