Um terço das empresas não paga IRC (e sem o PEC seria pior)

marsmet473a / Flickr

Em cada dez empresas há três que não entregam qualquer imposto sobre os rendimentos. No entanto, esse número aumentaria para 65% se não fosse o PEC.

Três em cada dez empresas não entregam ao Estado qualquer IRC, o imposto sobre os rendimentos. Contudo, este cenário podia piorar se o o pagamento especial por conta (PEC) não existisse – uma espécie de coleta mínima que é entregue antes de serem apurados os resultados -, com 65% das empresas a fecharem o ano sem serem tributadas.

Ainda assim, o Diário de Notícias adianta que há uma melhoria em relação aos últimos anos, graças à retoma da economia e à maior eficácia do fisco.

Ao jornal, o fiscalista João Taborda da Gama explica que a melhoria da atividade económica “faz com que os prejuízos das empresas diminuam, que os prejuízos reportáveis sejam menores e, naturalmente, que os rendimentos e os lucros aumentem“.

No ano passado, chegaram à Autoridade Tributária e Aduaneira 464.780 declarações de IRC, relativas a 2016, mas destas só 35% apresentaram lucros suficientes para liquidar o imposto.

“Apesar de apenas 35% dos sujeitos passivos apresentarem IRC liquidado, cerca de 69,8% efetuaram pagamentos de IRC por via do PEC ou de outras componentes do imposto”, nomeadamente tributações autónomas, derrama e imposto relativo a anos anteriores, adianta o fisco.

No ano 2014, 67,6% empresas não pagaram IRC e 33% não efetuaram qualquer pagamento a título de imposto sobre o rendimento, mesmo o PEC. Em 2016 foram de 65% e 30,2%, respetivamente.

Segundo o Diário de Notícias, 127.565 empresas contribuíram para os 4.333 milhões de receita do IRC apurados em 2016, quase mais seis mil do que um ano antes, quando a receita deste imposto se ficou pelos 3,6 mil milhões de euros.

No entanto, há ainda um terço que não paga nem IRC nem PEC. De acordo com o fiscalista, entre as empresas que não pagam impostos sobre os lucros há “uma mistura de empresas com reais prejuízos e outras que têm uma gestão fiscal mais agressiva e na fronteira da fraude e da evasão”.

Dentro destas destacam-se os setores nos quais ainda imperam os recebimentos em dinheiro, como os cafés ou os táxis, ou “atividades onde não há incentivo ao consumidor final para pedir fatura, como na pequena construção”.

Aliás, é por este motivo que João Taborda da Gama considera um erro terminar com o PEC. “É um erro se o Parlamento e o Governo decidirem acabar com PEC (progressivamente até 2019) como está previsto no Orçamento de 2017, ainda para mais num contexto de retoma económica. Vai haver ainda menos empresas a pagar IRC. O fim do PEC é uma daquelas bandeiras políticas estranhas que une o PCP e o CDS.”

O DN adianta ainda que, à semelhança do IRS, também no IRC são as empresas com volume de negócios mais baixo que explicam o maior número de declarações entregues, mas a sua contribuição para o imposto pago é reduzida.

As entidades com um volume de negócios inferior a um milhão de euros respondem por 93% do total das declarações entregues e por apenas 16,5% do IRC liquidado. Já as empresas com um volume de negócios acima dos 25 milhões de euros são 0,4% do total, mas pagam mais de metade (57,3%) do IRC que entra nos cofres das Finanças.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. é uma vergonha o que se passa neste pais, com empresários e políticos a engordarem e o povo a mitigar por umas migalhas. as empresas não pagam IRC porque os sócios gerentes metem tudo que é despesa nas contas da empresa e eles próprios vivem com salário mínimo que assim também não pagam IRS. alem disso ainda dão emprego aos filhos e sobrinhos na empresa com cargos de administração e direção e depois quem paga o porsche, o jardineiro, a piscina, as férias de luxo, as roupas, as almoçaradas e jantaradas dessa malta toda somos todos nós porque as empresas deles não dão lucro e não pagam impostos. já o fruto do trabalho, é talhado a meio logo no recibo de vencimento, sem hipótese de “fugir”. vivemos num pais de xicos espertos

    • Bem se vê que o caro amigo fala sem nada perceber. Refere “…metem tudo que é despesa nas contas da empresa…”. E se lhe dissesse que tudo o que metem como despesa nomeadamente despesas de alimentação, despesas com automóveis, … é tudo pago autonomamente?! Sim, a empresa paga sobre todas estas despesas! Obviamente não sabia.

      “…depois quem paga o porsche, o jardineiro, a piscina, as férias de luxo, as roupas, as almoçaradas e jantaradas dessa malta toda…”
      Quem tiver um porsche no imobilizado da empresa está tramado. Viaturas acima de um determinado valor pagam ainda mais na tributação autónoma.
      O jardineiro, a piscina, as férias de luxo… as roupas!!!! Tudo isso não é admissível fiscalmente e constitui apenas um desvio de dinheiro da empresa, ou uma remuneração dos sócios, ainda que indireta.

      Limite-se ao futebol que isto das empresas e da fiscalização não é conversa de café.
      E pelo meio tenham mais juízo.

Irão diz que cientista nuclear foi assassinado remotamente por Israel

O Irão despediu-se hoje, com um funeral digno dos maiores "mártires" do país, do cientista Mohsen Fakhrizadeh, que segundo um responsável iraniano foi assassinado remotamente por Israel com recurso a "aparelhos eletrónicos". Mohsen Fakhrizadeh, que segundo …

Trump insiste em rejeitar vitória de Biden. Bolsonaro diz que tem "informações" sobre "fraude"

O Presidente norte-americano, Donald Trump, disse este domingo que não desiste da rejeição da vitória do Presidente eleito Joe Biden, um democrata, insistindo nas acusações de suposta “fraude” eleitoral, apesar de os tribunais terem desvalorizado …

Lei da eutanásia pode ficar pronta em dezembro e seguir para Marcelo antes das presidenciais

A lei da eutanásia deverá estar concluída, na especialidade, em dezembro, podendo ser aprovada este ano e enviada para decisão do Presidente antes das eleições presidenciais de janeiro, disseram à Lusa fontes parlamentares. À Lusa, a …

90% dos docentes têm medo de serem infetados. Diretores das escolas ponderam abandonar o cargo

Nove em cada dez professores estão preocupados ou têm medo de estar nas escolas por considerarem que estão a ser ignoradas regras que garantem higienização e distanciamento correto em tempo de pandemia, revela um inquérito …

Rui Pinto fala em "tortura psicológica na prisão" (e critica António Costa)

O alegado pirata informático Rui Pinto criticou este domingo o primeiro-ministro António Costa no Twitter, acusando-o de desvalorizar “as questões de Estado de direito” . Numa mensagem publicada no Twitter, Rui Pinto acusou António Costa de …

Polónia avisa que mecanismo de condicionalidade pode ser usado contra Portugal

O Governo polaco avisou esta segunda-feira que o mecanismo de condicionalidade do pacote financeiro europeu, que vincula a distribuição de fundos ao Estado de Direito, poderia também ser usado no futuro contra Portugal, Espanha ou …

Apesar do apelo das autoridades, centenas de pessoas saíram à rua para fazer a festa em Guimarães

Foram muitos os nicolinos que se juntaram, na manhã deste domingo, no Centro Histórico de Guimarães. O típico cortejo do Pinheiro deveria ter-se realizado ontem à noite mas devido às restrições aplicadas no âmbito do …

"Ainda tem muito a oferecer". Poiares Maduro vê Passos a suceder a Ursula von der Leyen na Comissão Europeia

Miguel Poiares Maduro, ex-ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, disse, em entrevista à TSF, que Pedro Passos Coelho "tem qualidades políticas que lhe permitem aspirar a qualquer cargo político em Portugal". Em entrevista à TSF, o …

"Ou o Governo nos recebe ou levam-nos de ambulância ou caixão". Ljubomir e mais 8 em greve de fome

Nove elementos do movimento "A pão e a água" estão em greve de fome desde a passada sexta-feira, 27 de Novembro. São empresários da restauração e da animação nocturna, entre os quais se encontra o …

Bombeiros "em falência" exigem que Estado pague dívidas de 44 milhões de euros

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, diz que as corporações de bombeiros estão "em falência técnica" e reclama ao Estado o pagamento de 44 milhões de euros em dívidas. A Liga dos …