Um terço das empresas não paga IRC (e sem o PEC seria pior)

marsmet473a / Flickr

Em cada dez empresas há três que não entregam qualquer imposto sobre os rendimentos. No entanto, esse número aumentaria para 65% se não fosse o PEC.

Três em cada dez empresas não entregam ao Estado qualquer IRC, o imposto sobre os rendimentos. Contudo, este cenário podia piorar se o o pagamento especial por conta (PEC) não existisse – uma espécie de coleta mínima que é entregue antes de serem apurados os resultados -, com 65% das empresas a fecharem o ano sem serem tributadas.

Ainda assim, o Diário de Notícias adianta que há uma melhoria em relação aos últimos anos, graças à retoma da economia e à maior eficácia do fisco.

Ao jornal, o fiscalista João Taborda da Gama explica que a melhoria da atividade económica “faz com que os prejuízos das empresas diminuam, que os prejuízos reportáveis sejam menores e, naturalmente, que os rendimentos e os lucros aumentem“.

No ano passado, chegaram à Autoridade Tributária e Aduaneira 464.780 declarações de IRC, relativas a 2016, mas destas só 35% apresentaram lucros suficientes para liquidar o imposto.

“Apesar de apenas 35% dos sujeitos passivos apresentarem IRC liquidado, cerca de 69,8% efetuaram pagamentos de IRC por via do PEC ou de outras componentes do imposto”, nomeadamente tributações autónomas, derrama e imposto relativo a anos anteriores, adianta o fisco.

No ano 2014, 67,6% empresas não pagaram IRC e 33% não efetuaram qualquer pagamento a título de imposto sobre o rendimento, mesmo o PEC. Em 2016 foram de 65% e 30,2%, respetivamente.

Segundo o Diário de Notícias, 127.565 empresas contribuíram para os 4.333 milhões de receita do IRC apurados em 2016, quase mais seis mil do que um ano antes, quando a receita deste imposto se ficou pelos 3,6 mil milhões de euros.

No entanto, há ainda um terço que não paga nem IRC nem PEC. De acordo com o fiscalista, entre as empresas que não pagam impostos sobre os lucros há “uma mistura de empresas com reais prejuízos e outras que têm uma gestão fiscal mais agressiva e na fronteira da fraude e da evasão”.

Dentro destas destacam-se os setores nos quais ainda imperam os recebimentos em dinheiro, como os cafés ou os táxis, ou “atividades onde não há incentivo ao consumidor final para pedir fatura, como na pequena construção”.

Aliás, é por este motivo que João Taborda da Gama considera um erro terminar com o PEC. “É um erro se o Parlamento e o Governo decidirem acabar com PEC (progressivamente até 2019) como está previsto no Orçamento de 2017, ainda para mais num contexto de retoma económica. Vai haver ainda menos empresas a pagar IRC. O fim do PEC é uma daquelas bandeiras políticas estranhas que une o PCP e o CDS.”

O DN adianta ainda que, à semelhança do IRS, também no IRC são as empresas com volume de negócios mais baixo que explicam o maior número de declarações entregues, mas a sua contribuição para o imposto pago é reduzida.

As entidades com um volume de negócios inferior a um milhão de euros respondem por 93% do total das declarações entregues e por apenas 16,5% do IRC liquidado. Já as empresas com um volume de negócios acima dos 25 milhões de euros são 0,4% do total, mas pagam mais de metade (57,3%) do IRC que entra nos cofres das Finanças.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. é uma vergonha o que se passa neste pais, com empresários e políticos a engordarem e o povo a mitigar por umas migalhas. as empresas não pagam IRC porque os sócios gerentes metem tudo que é despesa nas contas da empresa e eles próprios vivem com salário mínimo que assim também não pagam IRS. alem disso ainda dão emprego aos filhos e sobrinhos na empresa com cargos de administração e direção e depois quem paga o porsche, o jardineiro, a piscina, as férias de luxo, as roupas, as almoçaradas e jantaradas dessa malta toda somos todos nós porque as empresas deles não dão lucro e não pagam impostos. já o fruto do trabalho, é talhado a meio logo no recibo de vencimento, sem hipótese de “fugir”. vivemos num pais de xicos espertos

    • Bem se vê que o caro amigo fala sem nada perceber. Refere “…metem tudo que é despesa nas contas da empresa…”. E se lhe dissesse que tudo o que metem como despesa nomeadamente despesas de alimentação, despesas com automóveis, … é tudo pago autonomamente?! Sim, a empresa paga sobre todas estas despesas! Obviamente não sabia.

      “…depois quem paga o porsche, o jardineiro, a piscina, as férias de luxo, as roupas, as almoçaradas e jantaradas dessa malta toda…”
      Quem tiver um porsche no imobilizado da empresa está tramado. Viaturas acima de um determinado valor pagam ainda mais na tributação autónoma.
      O jardineiro, a piscina, as férias de luxo… as roupas!!!! Tudo isso não é admissível fiscalmente e constitui apenas um desvio de dinheiro da empresa, ou uma remuneração dos sócios, ainda que indireta.

      Limite-se ao futebol que isto das empresas e da fiscalização não é conversa de café.
      E pelo meio tenham mais juízo.

RESPONDER

A supergigante Betelgeuse é mais pequena e está mais perto da Terra do que se pensava

De acordo com um novo estudo feito por uma equipa internacional de investigadores, podem ser necessários mais 100.000 anos até que a estrela gigante vermelha Betelgeuse morra numa explosão de fogo. O estudo, liderado pela Dra. …

Mulheres menos propensas à covid-19 por respeitarem mais o distanciamento social

Uma das razões pelas quais as mulheres podem ser menos vulneráveis ​​a infeção pelo novo coronavírus deve-se ao facto de serem mais propensas a aderir às políticas de distanciamento social, sugeriu uma nova pesquisa. Uma pesquisa …

Braga 3 - 0 AEK | Minhotos de gala conquistam atenienses

O Sporting de Braga iniciou a sua participação no Grupo G da Liga Europa com uma vitória. Na recepção aos gregos do AEK de Atenas, os minhotos mostraram ser muito mais equipa e ganharam por …

Capitalismo vai arruinar o planeta até 2050, alertam cientistas

Um grupo de cientistas alerta que se continuarmos com este capitalismo desenfreado, o nosso planeta vai sofrer consequências a nível climático e ambiental. Até 2050, o planeta Terra pode sofrer seriamente às mãos do capitalismo desenfreado. …

Os novos faróis inteligentes da Audi levam-no ao cinema sem sair do carro

Os novos faróis LED da Audi levam-no ao cinema sem sair do carro, já que são capazes de projetar imagens na estrada ou em paredes. A novidade é lançada na nova linha de SUVs elétricos da …

FC Porto foi "histriónico" e não se portou bem, escreve-se em Manchester

Jornal inglês alega que os elementos do FC Porto foram exagerados, turbulentos e não tiveram um comportamento adequado. Não há uma única palavra sobre o árbitro. Na manhã seguinte à derrota (3-1) do FC Porto em …

De passagem secreta a cemitério de carros. Túnel sob Nápoles "esconde" veículos enferrujados da II Guerra

No centro de Nápoles, em Itália, há veículos e motocicletas abandonados e enferrujados dos anos 1940 alinhados num túnel a mais de 30 metros abaixo dos seus pés. A Piazza del Plebiscito foi nomeada após uma …

Primeira ministra islandesa interrompida por um terramoto quando dava uma entrevista em direto

Um terramoto de magnitude 5.6 interrompeu uma entrevista em direto da primeira ministra islandesa ao The Washington Post. Mas Katrin Jakobsdottir reagiu à situação de forma tranquila: "Isto é a Islândia". Katrin Jakobsdottir estava a dar …

O voo mais longo do mundo está de volta (e agora é ainda mais longo)

O voo da Singapore Airlines que partia de Singapura com destino até Nova Iorque, foi uma das vítimas do covid-19 e ficou suspendo a 23 de março. Agora, é possível viajar nesta rota novamente, e …

Obras de cinco museus de Berlim vandalizadas no início do mês

Sarcófagos egípcios, pinturas do século XIX e esculturas em pedra de três dos principais museus de Berlim foram atacados com uma substância líquida oleosa a 3 de outubro, dia em que se festejaram os 30 …