Trump volta atrás e diz que há culpa dos dois lados em Charlottesville

Gage Skidmore / Flickr

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu esta terça-feira a sua controversa posição inicial sobre a violência de sábado em Charlottesville, numa manifestação racista, afirmando haver erros dos dois lados.

“Penso que há erros dos dois lados“, disse Donald Trump, referindo-se aos membros de extrema direita que convocaram a manifestação para a pequena cidade do estado de Virgínia e aos manifestantes que lá se reuniram para os denunciar, no último sábado.

Heather Heyer, de 32 anos, foi morta em Charlottesville quando um jovem neonazi, James Fields, conduziu o carro intencionalmente contra os manifestantes que protestavam no centro de Charlottesville.

Numa discussão com jornalistas esta terça-feira na Torre Trump, em Nova Iorque, o Presidente dos Estados Unidos começou por justificar a primeira declaração, no dia da manifestação, por falta de informação.

“Quando faço uma declaração gosto de estar correto. Quero os factos. Os acontecimentos tinham acabado de acontecer”, disse, para explicar porque esperou por segunda-feira para finalmente condenar a “violência racista” que aconteceu na pequena cidade.

Mas depois acrescentou: “Eu olhei de perto, de muito mais perto do que a maioria das pessoas. Vocês tinham um grupo de um lado que era agressivo. E vocês tinham um grupo do outro lado que era também muito violento. Ninguém o quer dizer“, afirmou.

Trump questionou se os dois lados não tiveram responsabilidade sobre o que aconteceu e ao mesmo tempo que condenava os neonazis afirmava que nem todos os que estavam no local eram neonazis ou supremacistas brancos.

Na segunda-feira, Donald Trump declarou que o “racismo é mau” e qualificou aqueles que praticam a violência em seu nome, como o Ku Klux Klan (KKK), os neonazis e os supremacistas brancos, como “criminosos e bandidos“.

As declarações de Trump surgem 48 horas depois dos incidentes violentos de Charlottesville e depois de muitas criticas pelas declarações que fez no sábado.

Numa primeira reação ao caso, Trump classificou como “terríveis” os acontecimentos em Charlottesville, mas sem mencionar de forma direta os supremacistas brancos que tinham convocado a marcha, entre eles David Duke, ex-líder do Ku Klux Klan, movimento de supremacia branca, e os elementos que exibiam símbolos ligados ao regime nazi.

A Casa Branca sentiu a necessidade de esclarecer no domingo que o Presidente condenava “todas as formas de violência, intolerância e de ódio” e “todos os grupos extremistas”, incluindo os movimentos associados à supremacia branca.

Donald Trump tem sido igualmente criticado a propósito do seu consultor estratégico, Steve Bannon, conotado com a extrema direita, que dirigiu o Breitbart, portal da extrema direita norte-americana, mas esta terça-feira também o defendeu, afirmando que é um homem bom e não um racista.

É alguém de bem, não um racista, é um amigo“, disse, acrescentando depois que Bannon chegou tarde à sua equipa. “Vamos ver o que acontece ao senhor Bannon”.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

"Sem padrinhos, nem donos". Líder da JP levanta congresso centrista

O candidato à liderança do CDS Francisco Rodrigues dos Santos arrancou este sábado no congresso centrista, que está a decorrer em Aveiro, a maior ovação dos delegados, com um discurso inflamado, em defesa de um …

Quando chegaram à Europa pela primeira vez, as batatas eram "hereges"

Os espanhóis foram os primeiros europeus a encontrar batatas na América do Sul nos anos 1530. Porém, quando foram trazidas para o Velho Continente, não foram bem recebidas por todos. Depois de terem sido encontradas pelos …

Ano vai ser "inevitavelmente" de contestação social, avisa CGTP

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, disse esta sexta-feira que este ano vai ser “inevitavelmente” de contestação social se o Governo e as empresas continuarem a insistir num modelo de baixos salários. O líder da intersindical …

Maior ameaça ao crescimento português vem de Espanha

Diz o ditado popular que de Espanha nem bom vento, nem bom casamento. Mas, na verdade, o crescimento económico do país vizinho tem contribuído para puxar pela economia portuguesa. Agora, quando se prevê um abrandamento …

Cabo Verde esteve sem Internet durante 24 horas

O arquipélago de Cabo Verde voltou a ter acesso à Internet na tarde desta sexta-feira, cerca de 24 horas depois de uma instabilidade provocada por falhas no fornecedor internacional do serviço. O país tinha ficado sem …

Ventura em operação de charme no Porto depois de um atraso muito criticado no Parlamento

O deputado André Ventura, eleito pelo Chega, tem agendada para este sábado uma verdadeira operação de charme no Porto, com encontros com o presidente da Associação Comercial do Porto e com apoiantes do partido. Iniciativas …

Assistente social acusada de maltratar 14 crianças em centro de acolhimento

O Ministério Público (MP) acusa uma mulher de 46 anos, que era assistente social e diretora técnica de um centro de acolhimento na Maia, no distrito do Porto, de maltratar 14 crianças nesta instituição. De …

Marcelo não vê razão de preocupação com empresas portuguesas de Isabel dos Santos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse esta sexta-feira ter sinais de que não há razão para preocupação nos setores económicos e empresas portuguesas nas quais a Isabel dos Santos está a vender …

Mina de lítio em Montalegre. "Impactes negativos minimizáveis” e 370 empregos

O Estudo de Impacte Ambiental (EIA) da concessão de exploração de lítio, em Montalegre, conclui que o projeto possui “impactes negativos” que, no entanto, “não são significativos”, “são minimizáveis” e de “abrangência local”. O EIA do …

Cristas faz o mea culpa e abandona o congresso. Corrida à sucessão faz-se a cinco

O 28.º congresso nacional do CDS arrancou este no Parque de Feiras e Exposições de Aveiro com o discurso da líder demissionária Assunção Cristas, que fez uma espécie de mea culpa e agradeceu aos centristas …