Trump respondeu às críticas de Merkel: “Isto vai mudar”

Shawn Thew / EPA

O presidente dos EUA, Donald Trump

O presidente dos EUA, Donald Trump

O presidente norte-americano considerou, esta terça-feira, que a política comercial e militar da Alemanha é “muito má” para os Estados Unidos e alertou que esta situação “vai mudar”.

“Temos um défice comercial enorme com a Alemanha, além de que eles pagam muito menos do que deveriam na NATO e militarmente. Muito mau para os EUA. Isto vai mudar”, escreveu hoje Donald Trump na sua conta no Twitter.

Os comentários de Trump surgem dois dias depois de a chanceler alemã, Angela Merkel, ter assegurado, num comício no domingo, que “os tempos em que se podia confiar nos outros ficaram para trás”, numa referência aos EUA e ao Reino Unido.

O Reino Unido oficializou há poucos meses o início do processo para sair da União Europeia e os Estados Unidos, sob a nova presidência de Donald Trump, têm questionado o papel da NATO e dos aliados que a compõem.

Na cimeira da Aliança, na semana passada em Bruxelas, Trump nunca referiu – como é habitual – o artigo 5 do Tratado do Atlântico Norte, que indica que um ataque contra um dos membros da NATO é um ataque contra todos. Na prática, é o artigo que garante a intervenção, especialmente do aliado mais forte, os Estados Unidos, em caso de agressão.

Merkel explicou que chegou a essa conclusão depois das cimeiras do G7 e da NATO, nas quais ficaram bem patentes as diferenças entre as políticas da nova administração norte-americana e os seus parceiros europeus e ocidentais.

“Nós, os europeus, temos que ser donos do nosso próprio destino”, disse a chanceler, dois dias depois de se ter noticiado que Trump terá qualificado os alemães como “maus, muito maus” num encontro com a cúpula da União Europeia. Os seus assessores afirmaram posteriormente que o Presidente americano se referia exclusivamente ao comércio entre os dois países.

Esta segunda-feira, vários líderes germânicos fizeram alertas no mesmo sentido e dirigiram críticas a Donald Trump depois da cimeira do G7.

O ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Sigmar Gabriel, acusou o Presidente dos EUA de ter uma “visão política míope”, que vai contra os interesses da UE e “enfraquece o Ocidente”.

“Qualquer um que acelere as mudanças climáticas enfraquecendo proteção ambiental, que vende mais armas em zonas de conflito e que não quer resolver politicamente conflitos religiosos está a colocar em risco a paz na Europa”, afirmou.

Por sua vez, o líder da oposição Martin Schulz acusou Trump de “agir como um líder autocrático” e de ter tentado “humilhar” Merkel em Bruxelas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. O comércio com a Alemanha é ruim? Ninguém os obriga a comprar produtos da concorrência. Se a balança pende a desfavor dos americanos, é porque, ou têm produtos inferiores com preços desvantajosos, ou porque não os sabem vender. O problema deste gajo, é ser mau perdedor, e como tal, a culpa é sempre dos outros. Se continuar neste rumo, vamos ter um lindo resultado.

  2. Este (pato) Donald como furioso Sheriff do Império dos Cowboys (USA e abusa), não desiste de destruir o Planeta.
    Mas o problema é que ainda restam (demasiados) cobardolas subservientes, sempre prontos a obedecer à arrogância do Imperador do Mundo.

RESPONDER

Secretário da Defesa discorda de Trump no envio de tropas para conter distúrbios. Aliados europeus afastam-se

O Secretário norte-americano da Defesa, Mark Esper, rompeu na quarta-feira com o Presidente, Donald Trump, no apoio ao envio das forças armadas para as cidades e os estados que se recusarem "a tomar as medidas …

Vai "nascer" em Arouca a maior ponte suspensa do mundo. É a esperança para fazer renascer o turismo

O Turismo de Arouca está a enfrentar dificuldades devido à quebra gerada pela pandemia, mas os empresários aguardam com expectativa a abertura daquela que será a maior ponte suspensa do mundo, já descrita como "extraordinária". Ainda …

"Será difícil não voltar a adiar a abertura" dos centros comerciais na região de Lisboa

O presidente da Associação dos Médicos de Saúde Pública, Ricardo Mexia, considerou que "será difícil não voltar a adiar a abertura" dos centros comerciais na Grande Lisboa, tendo em conta os números da região nos …

Atraso na partilha de informação. Responsáveis da OMS recusam responder a perguntas sobre China

Os mais altos responsáveis da Organização Mundial de Saúde (OMS) recusaram-se esta quarta-feira a responder diretamente a perguntas sobre um atraso da China na partilha do mapa genético do novo coronavírus com a agência. Três perguntas …

Espanha reabre fronteiras a 22 de junho. Portugal diz que ainda não há uma decisão tomada

Espanha vai reabrir as fronteiras com Portugal e França a 22 de junho. O país tinha planeado abrir as fronteiras ao turismo estrangeiro a 1 de julho, mas decidiu adiantar a data. Porém, Portugal diz …

Conceição critica arbitragem, mas em Espanha fala-se de penálti de Pepe "que roça o escândalo"

Os 'dragões' perderam no primeiro jogo após a retoma do campeonato. Sérgio Conceição deixou críticas à arbitragem, mas em Espanha fala-se de um penálti escandaloso... de Pepe. O FC Porto ficou com a liderança da I …

Redução do IVA, abono para crianças e incentivos para comprar elétricos. O plano de 130 mil milhões de Merkel

A chanceler alemã, Angela Merkel, anunciou esta quinta-feira um pacote de estímulo de 130 mil milhões de euros para este ano e 2021, para impulsionar a economia do país, duramente atingida pela pandemia de covid-19. Entre …

De Jorge Jesus a Bruno de Carvalho. Rui Pinto terá espiado 72 pessoas e entidades

O português Rui Pinto terá espiado 72 pessoas e entidades, acusa o Tribunal da Relação de Lisboa. A defesa do denunciante criticou a manutenção da prisão preventiva. De acordo com o acórdão do Tribunal da Relação …

Empresas podem manter lay-off até ao fim de setembro. Apoio pode chegar a 85% do salário

Os traços gerais do plano do Governo para a retoma da economia e para tentar travar a escalada do desemprego foram apresentados aos parceiros sociais, esta terça-feira, por Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade …

O próximo Wolves? Charlton pode tornar-se "português"

O consórcio português Corporate Football Organisation Portugal (CFO), liderado por Fernando Côrte-Real, está a estudar a compra do Charlton, clube que milita no Championship, o segundo escalão inglês. "A CFO Portugal já existe há pelo menos …