Trump terá qualificado latinos e negros de “estúpidos”. Kamala Harris acusa-o de viver numa “realidade diferente”

Stefani Reynolds / EPA

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O Presidente dos Estados Unidos terá qualificado os latinos e os negros de “estúpidos” entre outros comentários racistas, segundo o livro de memórias de Michael Cohen, ex-advogado pessoal de Donald Trump.

No livro “Disloyal: A memoir” (Desleal: Uma memória), obtido pelo jornal norte-americano The Washington Post antes da sua publicação prevista para terça-feira, Trump soma novos ataques à comunidade latina, segundo a agência noticiosa espanhola EFE.

Cohen, condenado por fraude, entre outros crimes, conta que os três filhos mais velhos de Trump foram ao seu gabinete depois de o empresário ter anunciado a intenção de se candidatar à nomeação republicana no verão de 2015 e que queriam que o pai se retirasse da campanha.

Trump disse na altura que o México mandava para os Estados Unidos traficantes de droga, criminosos e violadores, justificando a instalação de um muro na fronteira com o país do sul, temendo os seus filhos que esta retórica “matasse a empresa”.

Cohen indica que o magnata não estava preocupado com a possibilidade de a campanha afetar os seus negócios. “Além disso, nunca terei o voto hispânico. Como os negros são demasiado estúpidos para votarem Trump. Não são a minha gente”, terá dito o presidente norte-americano, de acordo com o livro de Cohen.

Michael Cohen foi condenado a três anos de prisão por violar as leis de financiamento da campanha eleitoral, ao comprar com dinheiro o silêncio de mulheres que afirmavam ter tido relacionamentos com Trump, bem como por evasão fiscal e declarações falsas a um banco.

Antes de ser preso, o advogado testemunhou no Congresso e relatou numerosas mentiras e crimes que alegadamente cometeu para proteger Trump, que considerou “um racista” e “uma fraude”.

Kamala Harris acusa Trump de viver “realidade diferente”

Donald Trump vive numa “realidade diferente” quando o tema é racismo. As acusações foram feitas por Kamala Harris, candidata do Partido Democrata à vice-presidência dos EUA.

Para a número dois de Joe Biden, o adversário de Trump nas presidenciais, o chefe de Estado e o procurador-geral, William Barr, “passam todo o seu tempo numa realidade diferente”, havendo “dois sistemas jurídicos diferentes”: um para negros e outro para brancos.

Kamala Harris fez história ao tornar-se na primeira mulher de ascendência negra e indiana a aceitar a nomeação como candidata a vice-presidente dos Estados Unidos por um grande partido, com vista às eleições presidenciais de 3 de novembro.

No entanto, a atual senadora pelo estado da Califórnia chegou a ser criticada por ter alegadamente sido muito dura com as minorias quando era procuradora naquele estado antes de ser eleita para o Senado, em 2017.

” xistem desigualdades raciais nos Estados Unidos e um sistema que participou no racismo, em termos de aplicação da lei. Não nos serve de nada negá-lo. Precisamos de falar sobre isso, sejamos honestos”, sublinhou a senadora, de 55 anos.

Durante uma visita esta semana ao estado do Wisconsin — que regista tensões raciais desde que Jacob Blake, um afro-americano, foi alvejado sete vezes nas costas por um polícia, encontrando-se nos cuidados intensivos e paralisado —, Donald Trump recusou-se a falar de racismo quando foi questionado por um jornalista.

“Volta sempre ao tema oposto. Devemos falar de violência”, respondeu o Presidente norte-americano a propósito das inúmeras manifestações antirracistas dos últimos meses no país.

Simultaneamente, William Barr defendeu numa entrevista esta semana que a Justiça é a mesma para todos os cidadãos dos Estados Unidos e sublinhou que “é preciso ter cuidado quando se levanta a ideia de racismo”, por considerar que “não é tão comum como as pessoas dizem”.

Jacob Blake, 29 anos, foi atingido a tiro em 23 de agosto. O caso desencadeou protestos que tornaram o Wisconsin centro do debate por todos os Estados Unidos da América sobre violência policial e injustiça racial.

O debate, e os protestos por todo o país, foram desencadeados pelo caso de George Floyd, um afro-americano que morreu asfixiado por um polícia branco em maio passado, em Minneapolis.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

        • Exacto.
          Pelos vistos, ele nem falou em “latinos” mas sim em “hispânicos” (que é um pouco mais correcto) – que são os americanos oriundos de países da América “hispânica” – e que, obviamente, não inclui os espanhóis!

      • Nos EUA chamam latinos aos americanos da América Central e do Sul!
        Os verdadeiros latinos (portugueses, italianos, etc) lá não são latinos; são europeus.

RESPONDER

Cientistas criam material de "auto-reparação" mais resistente do mundo (e é perfeito para ecrãs de telemóveis)

Investigadores do Instituto Indiano de Educação e Investigação Científica (IISER, na sigla em inglês) podem ter encontrado o material perfeito para fazer os ecrãs de smartphones: transparente, resistente e que a capacidade de se "auto-curar" …

"A bitcoin vai criar a paz mundial"

A rainha das moedas digitais, se não construir a paz no planeta, vai ajudar na pacificação entre os seres humanos. É a opinião de Jack Dorsey. É o centro de atenções de muitos investidores, é o …

"Burrolandia". Parque temático de burros no México está a tentar salvar estes animais

Um parque temático de burros no México serve de santuário a estes animais que estão aos poucos a desaparecer no país. "O burro ajudou o homem por muito tempo. É hora de retribuirmos o favor", …

Uma mão robótica que joga Super Mario Bros na Nintendo? Sim, existe

Uma equipa de investigadores da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, imprimiu em 3D peças para criar uma mão robótica capaz de jogar Super Mario Bros na Nintendo.  A mão robótica é totalmente montada com circuitos …

"Narco Drones" apanhados a entregar drogas numa prisão chilena

Reclusos e cúmplices no exterior estão a usar drones para contrabandear droga para a prisão mais antiga do Chile. As autoridades chilenas descobriram que o esquema de contrabando tinha como objetivo transportar drogas para a Ex …

Erupção do vulcão Etna causa problemas económicos na Sicília

Nos últimos meses, o vulcão Etna tem estado em constante erupção e o custo de limpeza das cinzas está a deixar muitas cidades da Sicília à beira da falência. O vulcão Etna – um dos mais …

Argentina cria documento de identidade para pessoas não binárias

O Presidente da Argentina anunciou, esta semana, que o país tem um novo documento de identidade para incluir pessoas não binárias. É o primeiro país da América Latina a fazê-lo. De acordo com o chefe de …

Costa diz que Portugal vai ter "o dobro" de fundos comunitários para investir

O primeiro-ministro afirmou, este sábado, que Portugal vai contar, nos próximos sete anos, com "o dobro" de fundos comunitários para investimento, considerando que esta "é uma oportunidade única" que não pode ser desperdiçada. "Vamos ter a …

Chinesa morre após salvar a filha de deslizamento de terra. Bebé esteve 24 horas nos escombros

Uma mulher morreu após salvar o seu bebé quando um deslizamento de terra e uma forte inundação atingiram a sua casa na China, revelam as equipas de resgate. Como noticia a BBC, a bebé foi resgatada …

Caso Ihor. IGAI pede expulsão do ex-diretor de fronteiras do SEF

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) já entregou ao ministro Eduardo Cabrita o relatório final do processo disciplinar contra o inspetor coordenador do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) António Sérgio Henriques, que propõe a …