Tráfico de órgãos é o segundo crime mais lucrativo a seguir às armas

Segundo a ONU, o tráfico de seres humanos, muitas vezes para recolha de órgãos para transplantação, é a segunda prática criminosa mais lucrativa, a seguir ao tráfico de armas.

Os números foram apresentados esta terça-feira no seminário “Tráfico de órgãos humanos”, que decorreu na Assembleia da República e que reuniu especialistas da área da saúde e da justiça.

Ana Pires da Silva, perita do Instituto Português do Sangue utilizou a expressão “turismo de transplantação” para ilustrar o caso dos doentes, ricos, que vão a outro país (Paquistão, China ou Índia) comprar um órgão para que este lhe seja transplantado, abusando e vitimizando pessoas desfavorecidas, sem estudos e que vivem no limiar da pobreza.

Segundo Organização Mundial de Saúde, a Índia, o Paquistão e a China são os países onde há mais turismo de transplantação, locais onde pessoas desesperadas não se importam de mutilar o seu corpo e vender um órgão a troco de dinheiro.

Apesar de se desconhecerem casos na Europa de pessoas que vendem órgãos, os países europeus não estão imunes ao facto de cidadãos irem ao oriente fazer um transplante ilegal e muitas vezes perigoso. Aliás, o crime de tráfico de órgãos está, segundo organizações internacionais, entre os 10 crimes mais cometidos no mundo em 2015.

“Entre 5% e 10% dos transplantes renais, por exemplo, são realizados através do comércio de órgãos. O preço varia entre os 62 mil euros e os 140 mil euros. O tráfico de órgãos é um capítulo negro da história da transplantação“, disse Ana Pires da Silva.

De forma a combater este problema, foi criada, em 2016, uma rede de pontos focais que integra peritos de 32 países, na qual Ana Pires da Silva é a representante portuguesa. Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de seres humanos, adiantou que em Portugal não se confirmou, depois de investigação, qualquer caso de tráfico de órgãos.

Desenvolvendo-se numa lógica de criminalidade organizada, suportada pela globalização, o tráfico de seres humanos, algumas vezes para extração de órgãos, “é a segunda prática criminosa mais lucrativa a seguir ao tráfico de armas”, segundo a ONU.

“As mulheres e as raparigas são as maiores vítimas de tráfico humano e 62% são para fins sexuais. Nos 28 países da União Europeia as vítimas são na sua maioria europeias. Há tráfico interno”, referiu Manuel Albano.

“É um fenómeno dinâmico e opaco”, frisou, destacando que “o mundo globalizado não facilita o controlo efetivo do tráfico e que as novas tecnologias são muitas vezes utilizadas para facilitar os crimes, potenciando a criminalidade organizada”.

A Organização Mundial de Saúde estima que haja 10.000 casos de retirada ilícita de órgãos humanos de pessoas vivas ou mortas para transplantes ou outros fins.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Estudar música ou falar mais do que uma língua torna o cérebro mais eficiente

Uma equipa de cientistas do Centro de Cuidados Geriátricos de Baycrest, no Canadá, realizou uma investigação e concluiu que músicos bilingues têm um cérebro mais eficiente. Cientistas do Centro de Cuidados Geriátricos de Baycrest, no Canadá, …

Gel inteligente "caminha" e move objetos debaixo de água

Uma equipa de engenheiros criou um gel inteligente impresso em 3D capaz de caminhar debaixo de água, agarrar e mover objetos. O produto tem potencial em engenharia biomédica por ser semelhante a tecidos do corpo …

Ferramentas de madeira encontradas em Espanha eram de neandertais

Não é muito comum encontrarem-se na Europa ferramentas de madeira associadas a neandertais. Os instrumentos encontrados em Espanha têm cerca de 90 mil anos e as ferramentas de madeira descobertas em Itália têm cerca de …

600 anos e 4 terramotos: cientistas desvendam como é que a Torre de Pisa ainda continua em pé

Era um mistério que há anos intrigava engenheiros: como é que a Torre de Pisa consegue resistir a terremotos estando tão inclinada? Com 58 metros de altura, o campanário da catedral da cidade italiana de Pisa …

Descoberto primeiro asteróide extrassolar que se fixou no Sistema Solar

Cientistas descobriram o primeiro asteróide extrassolar que se fixou no Sistema Solar, na órbita de Júpiter, revela um estudo publicado esta segunda-feira. O "2015 BZ509", com origem fora do Sistema Solar, está 'aninhado' na órbita de …

"Não sejas malvado". Google apagou o seu popular lema do código de conduta

A gigante tecnológica eliminou do código de conduta que distribui aos seus funcionários o popular lema "Bon't Be Evil", "não sejas malvado", que fazia parte da cultura da empresa desde os anos 2000. O lema não …

Prisão preventiva para todos os agressores de Alcochete

O juiz de instrução criminal do Tribunal do Barreiro decretou, esta segunda-feira, a medida de coação de prisão preventiva a todos os 23 arguidos detidos na sequência das agressões na Academia do Sporting, em Alcochete. Num …

12 anos depois, nasceu o primeiro bebé na ilha onde é proibido nascer

Este fim de semana, uma brasileira deu à luz uma bebé, na remota ilha de Fernando de Noronha onde, por falta de de estrutura hospitalar, os nascimentos não são autorizados. O arquipélago Fernando Noronha, no Brasil, …

Sem-abrigo multados e detidos por pedirem esmola e dormirem na rua

O número de pessoas em situação de sem-abrigo que estão a ser multadas, condenadas e presas por mendigar ou dormir nas ruas é cada vez maior em Inglaterra e no País de Gales. Em relação a …

China já lançou satélite Queqiao para o lado oculto da Lua

A China lançou, esta segunda-feira, um satélite de retransmissão para assegurar a comunicação com a sonda lunar Chang'e-4, que será lançada em breve, para explorar o lado oculto da Lua. O satélite Queqiao foi transportado por …