/

Ministério esclarece: TAP está com prejuízo em praticamente todas as rotas

José Sena Goulão / Lusa

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos

O Ministério das Infraestruturas e da Habitação sublinhou, esta sexta-feira, que a TAP “está neste momento a perder dinheiro em praticamente todas as rotas”, depois das críticas do presidente da Câmara do Porto.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Em causa estão as declarações do ministro, esta quinta-feira, numa audição na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, no Parlamento, segundo as quais as quatro rotas criadas no aeroporto do Porto, para Amesterdão, Milão, Zurique e Ponta Delgada, estão com “46% da lotação em média” e são “neste momento um prejuízo para a TAP”.

Em comunicado, divulgado hoje, a tutela vincou que Pedro Nuno Santos “nunca disse que as únicas rotas que dão prejuízo à TAP fossem as quatro referidas ontem na audição parlamentar em que esteve presente”.

“Foi, aliás, referido nessa mesma audição que a TAP está neste momento a perder dinheiro em praticamente todas as rotas, incluindo aquelas que se fazem a partir do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. Esse é, como é visível, o cenário em praticamente todo o setor da aviação”, refere a mesma nota.

No comunicado, lê-se que “atualmente existem 11 rotas operadas pela TAP a partir do Porto e que, apesar de praticamente todas as companhias estarem a reduzir fortemente a operação no inverno, a TAP vai manter 10 rotas no Porto“, o que o governante acredita demonstrar “o grande compromisso da companhia aérea pública com a região”.

“Na audição, quando o ministro referiu as quatro rotas que estavam a dar prejuízo a partir do Porto, estava a responder relativamente aquelas que foram introduzidas após as reuniões do grupo de trabalho que existiu entre a TAP e as associações da região Norte”, esclareceu, sublinhando que “nas rotas assinaladas a lotação não atinge os 50%, o que não permite sequer pagar os custos variáveis da operação”.

No comunicado, o ministério salienta ainda que “a TAP se encontra a elaborar um plano de reestruturação em que, como avançou o ministro, se pretende apostar na TAP Express para ser um dos instrumentos que permita à TAP aproveitar melhor os aeroportos de Porto e Faro”.

Depois da audição do ministro no Parlamento, o presidente da Câmara do Porto sugeriu, que se acabasse com essas quatro rotas a partir do Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

“Pelos vistos, são as quatro rotas do Porto que dão prejuízo à TAP. As rotas de Lisboa darão lucro. A nova rota Lisboa/Bilbau deve ser um must em termos de rentabilidade e importantíssima para uma estratégia nacional. Promover visitas ao Guggenheim basco é top. Mas, senhor ministro, são boas notícias“, ironizou o independente Rui Moreira numa publicação na sua página de Facebook.

“Se são as quatro rotas do Porto que dão prejuízo, pare com elas. Mas, por favor, incorpore a TAP na Carris ou na muito rentável Soflusa. Nós não nos importamos, havemos de encontrar uma solução. Para Lisboa é ótimo: fica com a TAP que, sem o prejuízo do Porto, deixa de ser um perdócio”.

PUBLICIDADE

E acrescentou: “Para o resto do país – para a província em que alegremente nos incluímos – é uma maravilha, porque a TAP deixa de nos custar dinheiro“.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.