Tancos. Vasco Brazão diz que agiu sob orientação de diretor nacional da Polícia Judiciária Militar

António Cotrim / Lusa

O major Vasco Brazão da Polícia Judiciária (PJ)

O ex-porta-voz da Polícia Judiciária Militar (PJM) e arguido no caso Tancos, Vasco Brazão, alega que seguiu orientações do diretor, Luís Vieira, e que “a ação paralela” da PJM foi “oportunamente comunicada ao então ministro da Defesa”.

No requerimento de abertura de instrução (RAI), a que a agência Lusa teve acesso, Vasco Brazão assume que participou, no âmbito da PJMilitar num processo que teve, em primeira linha, a recuperação do material de guerra furtado em Tancos, o qual não foi participado, “como devia ter sido”, ao Ministério Público que dirigia o inquérito.

No RAI, Vasco Brazão justifica que “agiu dessa forma sob a orientação do diretor nacional da PJMilitar, o coarguido Luís Viera, num quadro de conflitualidade acerca da entidade competente para o efeito”, tendo em conta que Luís Vieira “divergiu da orientação constante do despacho da Procuradora-Geral da República (Joana Marques Vidal), de 18 de abril de 2017, pelo qual a investigação foi concentrada e atribuída ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP)”.

O ex-porta-voz da PJMilitar refere que mau grado as diligências desta polícia terem prosseguido o interesse nacional de recuperação do material, entende que “as mesmas não deviam ter sido escamoteadas ao Ministério Público (MP) e lamenta que isso tenha ocorrido”, manifestando estar arrependido.

Sublinha, contudo, que agiu sempre sob a “orientação do seu diretor nacional (Luís Vieira) e que a ação paralela levada a cabo foi comunicada ao então ministro da Defesa (Azeredo Lopes) que nada teve a objetar ou a censurar ao procedimento adotado”.

Segundo Vasco Brazão, “por mais que o então ministro da Defesa e até o seu então chefe de gabinete (tenente general Martins Pereira) tentem desvalorizar o memorando que lhes foi entregue em 20 de outubro de 2017 — e mau grado tal memorando traduzir uma versão incompleta do que aconteceu —, ninguém se pode permitir ignorar que aquilo que lhes foi relatado não correspondia à versão pública que o Governo, o Exercito e a PJMilitar deram do ocorrido, ademais no contexto que eles bem conheciam da divergência e mal estar entre a PJ e a PJMilitar”.

Noutra vertente, Vasco Brazão fala das “falsas denúncias anónimas” que originaram o caso de Tancos e considera que “a seu tempo, estas encenações serão esclarecidas”.

Quanto aos crimes de associação criminosa, tráfico e mediação de armas e favorecimento pessoal que lhe é imputado pela acusação do MP, o ex-porta-voz da PJMilitar contrapõe que “não existe nos autos qualquer prova indiciária”, resultando a acusação de “um mero processo de intenções”.

No RAI, os advogados Ricardo Sá Fernandes, Andreia Pais Martins e Francisca Marvão realçam que da parte do arguido não houve “qualquer intenção de entregar o material de guerra em apreço a outrem que não fosse o próprio Exército”. “Acresce que o arguido não participou em qualquer movimentação desse material de guerra, a não ser no apoio que deu à sua deslocação da Chamusca para Santa Margarida”, lê-se ainda no RAI.

Em sua defesa, Vasco Brazão garante que “não negociou direta ou indiretamente” com o informador (o coarguido João Paulino) o “que quer que fosse” e que “ignorava, de resto, como continua a ignorar que tal informador tenha ou não participado no furto de Tancos”. “O arguido (Vasco Brazão) nunca falou com ele e sempre lhe foi transmitido que ele seria um mero informador”, lê-se no RAI.

Em conclusão, a defesa de Vasco Brazão solicita desde já que seja declarada a não pronúncia (não ida a julgamento) do ex-porta-voz da PJMilitar.

Entretanto, Luís Vieira e Azeredo Lopes também já apresentaram RAI, com o primeiro a alegar “não houve qualquer intenção de encobrir os autores (do furto das armas de Tancos), nem que existiu qualquer pacto com tais autores daquele crime.

Também Azeredo Lopes já entregou o seu RAI em que manifesta que “é absolutamente infundada a acusação contra si deduzida pelo MP”. “Os factos que lhe são imputados não passam de meras conjeturas, gravemente infundadas, não são suportadas em provas juridicamente relevantes”, diz o RAI do antigo ministro, no qual se acrescenta que Azeredo Lopes é “vítima de grave injustiça” e que o “tribunal há de reconhecê-lo e declará-lo e a história dirá o porquê da acusação”.

O processo de Tancos tem 23 acusados, militares e civis e aos arguidos são imputados crimes diversos que vão desde terrorismo, associação criminosa, denegação de justiça e prevaricação até falsificação de documentos, tráfico de influência, abuso de poder, recetação e detenção de arma proibida.

O caso do furto das armas em Tancos foi divulgado pelo Exército a 29 de junho de 2017 com a indicação de que ocorrera no dia anterior, tendo a alegada recuperação do material de guerra furtado ocorrido na região da Chamusca, Santarém, em outubro de 2017, numa operação que envolveu a PJ Militar, em colaboração com elementos da GNR de Loulé.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Confirma-se o que já se tinha percebido: a PJM ignorou as ordem da procuradora e decidir cometer um série de criemes para criar um cenário em que supostamente ficariam bem vistos… e o resultado é o que se viu!…
    O que eu acho muito estranho é estes artistas terem ido contar ao Ministro da Defesa que estavam a cometer vários crimes… ainda por cima, a um ministro totó como aquele!…

RESPONDER

Gatos não se importam de comer pessoas mortas (e há um estudo que mostra como o fazem)

Uma nova investigação analisou como é que dois gatos selvagens se alimentaram de cadáveres humanos. Os animais mostraram preferência por corpos específicos ao longo de vários dias. No Forensic Investigation Research Station, no estado norte-americano do …

"Árvores dinossauro". Bombeiros australianos conseguiram salvar floresta pré-histórica

Os bombeiros australianos conseguiram salvar dos incêndios uma floresta com árvores pré-históricas localizada no sudeste do país, anunciou o Governo. Em causa estão árvores da espécie Wollemia nobilis, vulgarmente conhecidas como Pinheiro de Wollemi, que se …

Príncipe Harry e Meghan renunciam aos títulos da realeza

O Palácio de Buckingham anunciou, este sábado, um acordo em que o príncipe Harry e a sua mulher renunciaram aos respetivos títulos, abandonando os deveres enquanto membros seniores da família real do Reino Unido e …

Polaris Slingshot chega ao mercado com um sistema de transmissão inovador

A nova versão do Polaris Slingshot vem equipado com um sistema de transmissão que mescla a condução do manual com o conforto do automático. Para quem não conhece o Polaris Slingshot, apresentado pela primeira vez em …

Turistas estão a invadir Hallstatt, a aldeia austríaca que terá inspirado "Frozen"

Considerado Património Mundial pela UNESCO desde 1997, Hallstatt, na Áustria, possui apenas 778 moradores e tem uma sequência de casas em estilo alpino. Em 2010, antes do lançamento do primeiro filme da Disney, "Frozen", a cidade …

Teerão vai enviar caixa negra do avião abatido para a Ucrânia

O Irão vai enviar para a Ucrânia as gravações da caixa negra do avião ucraniano que abateu acidentalmente, na semana passada, para que sejam sujeitas a análises adicionais. Hassan Rezaeifer, chefe de investigações de acidentes do …

António Folha já não é treinador do Portimonense

O treinador apresentou a demissão do comando técnico do Portimonense, este sábado, depois de perder na deslocação ao lanterna-vermelha Desportivo das Aves, por 3-0. "Antes de me fazerem qualquer pergunta sobre o jogo, queria transmitir que …

Há pombos cowboys em Las Vegas (e voluntários estão a tentar salvá-los)

Por alguma razão, alguém decidiu colar chapéus vermelhos minúsculos de cowboy em pombos de Las Vegas, nos Estados Unidos. Agora, a equipa do Lofty Hopes Pigeon Rescue está a tentar salvá-los. Há uma missão para resgatar …

Youtube encaminha milhões de utilizadores para desinformação climática

Os algoritmos do YouTube estão a encaminhar milhões de utilizadores de vídeos de empresas para a desinformação sobre as alterações climáticas, através de serviços de publicidade online, de acordo com uma investigação da comunidade virtual …

Paulo Gomes é o novo presidente do Vitória de Setúbal

O ex-vice-presidente, líder da lista D, foi eleito presidente do Vitória de Setúbal para o mandato 2020-2023, com um total de 875 votos. Paulo Gomes, de 50 anos, foi o mais votado das cinco listas candidatas, …