Relatório preliminar sobre Tancos recusa interferência política no Exército ou na PJM

Paulo Cunha / Lusa

Guarita abandonada no complexo militar de Tancos

O relatório preliminar da comissão de inquérito ao furto de Tancos, entregue esta sexta-feira no Parlamento, apurou que “em nenhum momento se verificou qualquer interferência política na ação do Exército ou na atividade da Polícia Judiciária Militar”.

O documento, que está a ser apresentado na comissão parlamentar de inquérito pelo deputado relator, Ricardo Bexiga, tem 170 páginas e termina com as conclusões e 35 recomendações.

No ponto sete das conclusões, intitulado “responsabilidades governativas”, o relatório preliminar considera que “o Ministério da Defesa Nacional fez, no tempo devido, um reporte completo da evolução da situação”, que verteu no documento “Tancos: Factos e Documentos”.

A comissão parlamentar de inquérito “apurou que em nenhum momento se verificou qualquer interferência política na ação do Exército ou na atividade da PJM [Polícia Judiciária Militar]” e que o primeiro-ministronão teve conhecimento prévio de qualquer outra informação sobre o achamento do material furtado para além da que era do conhecimento dos diversos órgãos de soberania”, refere o relatório.

O relatório preliminar será discutido esta sexta-feira de forma genérica, disse o presidente da comissão de inquérito, Filipe Neto Brandão, adiantando que os deputados poderão apresentar propostas de alteração até 11 de Junho.

“Do ponto de vista de responsabilidades governativas, quer o ministro da Defesa Nacional, quer o primeiro-ministro cumpriram as obrigações que lhes estão legal e constitucionalmente veiculadas e que, nesta matéria, não será ao Governo que devem ser atribuídas responsabilidades seja dos factos relacionados com o furto propriamente dito do material de Tancos, quer relativamente ao seu achamento”, sustentou o deputado relator.

Ainda no capítulo sobre “responsabilidades governativas”, o relatório conclui que “a PJM, em regime de informalidade, tentou implicar o chefe de gabinete” do ex-ministro da Defesa, general Martins Pereira, e o chefe da Casa Militar do Presidente da República “num conhecimento nebuloso sobre a forma de investigação no sentido da recuperação do material de guerra”.

Numa referência ao chamado “memorando” que o ex-diretor da PJM coronel Vieira e o ex-inspetor major Vasco Brazão entregaram ao então chefe de gabinete de Azeredo Lopes referindo a existência de um informador, o relator sublinha que esses documentos “não eram oficiais, mas continham informação pertinente”.

Segundo o deputado socialista, a comissão de inquérito apurou que “não era objetivamente percetível qualquer encenação ilícita ou criminosa, nem se tratava de obter um encobrimento do procedimento [para a recuperação do material de guerra à margem da Polícia Judiciária] por parte do ministro da Defesa Nacional”.

Apurou ainda que “da comunicação do chefe de gabinete ao ministro da Defesa não resultou qualquer advertência sobre a hipótese de ilegalidade ou irregularidade e muito menos comportamento criminoso”.

Quanto ao conhecimento do primeiro-ministro sobre o “memorando”, o relatório conclui que António Costa “só teve conhecimento em 12 de Outubro de 2018, através do seu chefe de gabinete, do “documento apócrifo” que havia sido entregue ao chefe de gabinete” de Azeredo Lopes.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Bianca Devins foi assassinada e as imagens partilhadas centenas de vezes na Internet

Uma jovem de 17 anos foi assassinada quando acompanhava o namorado a um concerto, nos Estados Unidos. O companheiro, que ainda tentou o suicídio após o crime, partilhou fotografias do cadáver da vítima na Internet, …

VianaPolis chega a acordo com casal. Já só restam sete moradores no prédio Coutinho

A VianaPolis informou, esta terça-feira, ter chegado a acordo com um casal que detinha um apartamento no prédio Coutinho, em Viana do Castelo, onde ainda permanecem sete pessoas em cinco frações. Em declarações à agência Lusa, …

Ghosn processa Nissan e Mitsubishi na Holanda

Carlos Ghosn, ex-presidente da Nissan e da Mitsubishi e ex-CEO da Renault, processou as duas fabricantes de automóveis japonesas e reclama uma indemnização de 15 milhões de euros. Carlos Ghosn instaurou à Nissan e à Mitsubishi …

Faturas detalhadas de telecomunicações estão a confundir os clientes, alerta a Deco

As faturas detalhadas de telecomunicações, adotadas na sequência da decisão da Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom), estão a confundir os clientes, revelou esta terça-feira a Deco Proteste, que considerou que a medida do regulador deve …

Catarina Martins entreabre porta a nova geringonça

Catarina Martins lembrou que nas últimas legislativas se fez na política "o que nunca se tinha feito antes" e alerta que o que se conseguiu alcançar "não chega" face a "tudo o que há para …

Destroços de navio interditam praia em Torres Vedras

A praia do Navio, em Santa Cruz, está interdita a banhos e a desportos náuticos devido ao aparecimento de destroços de um navio afundado. A praia do Navio, em Santa Cruz, no concelho de Torres Vedras, …

Ministro da Justiça demite-se após eleição de Boris Johnson (e não é o único)

O ministro da Justiça britânico, David Gauke, anunciou a sua demissão após ser conhecida a eleição de Boris Johnson para a liderança dos conservadores e a sua designação como primeiro-ministro do Reino Unido. No domingo, David …

TdC deteta pagamentos "ilegais" do Serviço de Saúde da Madeira a empresa que pertencia ao presidente

A sociedade gerida pelo então presidente do Serviço de Saúde da Madeira recebeu 116 mil euros do Serviço de Saúde da Madeira. O Serviço de Saúde da Madeira (SESARAM) autorizou "ilegalmente" o pagamento de 116 mil …

Fábio Coentrão apontado ao FC Porto

O lateral esquerdo, que se encontra neste momento sem clube, terá sido alvo de sondagem por parte do FC Porto para reforçar a equipa de Sérgio Conceição. Segundo o jornal A Bola, Fábio Coentrão já foi …

EUA. Explosão em refinaria levanta questões sobre utilização de produtos químicos letais

Na madrugada de 21 de junho, explosões na refinaria Philadelphia Energy Solutions, no sul da Filadélfia, Estados Unidos (EUA), sacudiram as casas, enviaram bolas de fogo para o ar e acordaram os moradores próximos. Este …