Syriza exclui saída do euro por implicar rutura e mais austeridade

guengl / Flickr

Alexis Tsipras, líder do Syriza

Alexis Tsipras, líder do Syriza

O Syriza exclui uma saída da Grécia do euro porque isso conduziria à rutura da zona euro e a mais austeridade, precisamente o que o partido grego quer combater se vencer as eleições de 25 de janeiro.

Yannis Miliós, um dos quatro economistas responsáveis pelo programa económico do partido de esquerda grego, recusou em entrevista à agência espanhola EFE a ideia transmitida pelo governo conservador de Antonis Samaras de que o Syriza tem uma “agenda oculta” de que faz parte uma saída do euro.

Não é possível sair do euro sem quebrar a zona euro por completo. Seria passar de um sistema de moeda única para um de taxas de câmbio fixo, como tivemos na década de noventa”, explicou.

“Somos contra a depreciação das condições de vida da maioria das pessoas e uma depreciação monetária seria equivalente a aplicar um plano de austeridade“, acrescentou.

Sobre a renegociação da dívida, um dos “cavalos de batalha” do partido liderado por Alexis Tsipras, Miliós explicou que existem múltiplos instrumentos técnicos para o fazer.

A ideia do Syriza, disse, é a de uma moratória do pagamento da dívida para todos os países, com juros nulos e um prazo de pagamento que se prolongaria por cerca de quatro décadas, até que as respetivas dívidas tivessem baixado para 20% do Produto Interno Bruto (PIB).

O Banco Central Europeu (BCE) trocaria os juros da dívida de todos os países por obrigações de cupão zero, ou seja, que não pagam juros até ao pagamento integral. Segundo Miliós, uma operação destas custaria apenas 1,3 milhões de euros, porque o BCE não trocaria a dívida mas apenas os juros.

Entre as reformas fundamentais que um governo Syriza aplicaria, o economista, catedrático de Economia na Universidade Politécnica de Atenas, destacou o regime fiscal e a administração pública.

“Temos previsto, por exemplo, reduzir o número de Ministérios de 18 para 10 e introduzir um setor público regido por critérios de eficácia”, disse, sublinhando que, na Grécia, “não há funcionários a mais, estão é mal distribuídos” e dando como exemplo a falta de funcionários na inspeção fiscal.

O programa económico do Syriza, batizado “Programa de Salónica“, assenta, explicou, em três pilares – “a luta contra a crise humanitária”, “o relançamento da economia e a estabilização do mercado” e “a reforma do Estado” – e tem um custo total de 12 mil milhões de euros.

O primeiro pilar, com um custo avaliado em 2 mil milhões, contempla o fornecimento gratuito de eletricidade a 300 mil casas de famílias desfavorecidas, a emissão de vales de alimentação e títulos de transporte público para os mais pobres e o restabelecimento do 13º mês para todos os pensionistas que recebem menos de 700 euros por mês.

O programa laboral, acrescentou, inclui o restabelecimento do salário mínimo de 750 euros vigente há quatro anos (atualmente é de 586 euros) e a criação de um banco de investimento para resolver o problema das dívidas ao fisco e à segurança social acumuladas pelas pequenas e médias empresas.

Quanto à dívida privada, o objetivo é possibilitar acordos extrajudiciais que permitam a cada devedor pagar um máximo correspondente a 30% do respetivo rendimento e congelar a restante dívida até que esteja em condições de a saldar.

“Com este tipo de acordos esperamos recuperar 20 mil milhões de euros em sete anos, 3 mil milhões no primeiro ano”, explicou Miliós, sublinhando que o objetivo é “não produzir défice”.

Segundo o economista, os 12 mil milhões necessários à aplicação do programa económico poderiam ser financiados através da evasão fiscal recuperada (3 mil milhões), a recuperação de dívidas de cobrança duvidosa (3 mil milhões), o fundo de estabilidade financeira grego (3 mil milhões) e os fundos de coesão europeus (1,7 mil milhões). Os restantes 1,3 mil milhões poderiam ser negociados com os parceiros europeus.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Ora bem!! Ja está a ganhar um cadinho de juizo…é que ele anda mesmo com falta dele!! Estes Politicos…todos iguais…falam falam, falam, mas sabem bem, que o que dizem nao é praticavel NEM lhes interessa!! Nem so em Portugal ha doidos… :p

RESPONDER

Apple e Google removem das suas lojas de aplicações um dos jogos mais populares do mundo

As gigantes tecnológicas Apple e Google removeram esta semana das suas lojas de aplicações, a App Store e a Google Play Store, respetivamente, o Fortnite, um dos jogos mais populares de todo o mundo. As …

Encontrado tesouro de artefactos nazis no "Covil do Lobo", o quartel-general ultrassecreto de Hitler

Quando os nazis se prepararam para invadir a União Soviética, em 1941, construíram um quartel-general militar secreto na floresta Masúria, na Polónia, ao qual chamaram "Wolfsschanze" ou "Covil do Lobo". Desde a sua descoberta após a …

Itália vai construir um túnel submarino para unir Sicília ao continente

Itália está a planear construir um túnel para ligar a região insular da Sicília ao continente italiano. O projeto de cinco mil milhões de euros vai ser pago com a parte do Fundo de Recuperação …

Point Roberts tinha um pé nos EUA e outro no Canadá (mas agora não "pertence" a nenhum)

Point Roberts, em Washington, está numa posição única. Localizada na ponta da Península de Tsawwassen, a cidade fica totalmente abaixo do paralelo 49, a linha que separa o Canadá dos Estados Unidos. Agora, a cidade …

Milhares de processadores quebraram um trilião de chaves para resgatar um Zip com bitcoins

Um misterioso homem perdeu o acesso a um ficheiro Zip onde estavam encriptadas as suas chaves privadas de bitcoins. Os 300 mil dólares foram resgatados por dois especialistas em criptografia — e por muitos milhares …

Reino Unido com mais de mil novas infeções pelo quarto dia consecutivo

O Reino Unido registou mais 11 mortos e 1.441 infeções de covid-19 nas últimas 24 horas, anunciou o Ministério da Saúde britânico, que manteve restrições sobre a área metropolitana de Manchester e parte do norte …

Governo não pondera (para já) proibição de fumar ao ar livre

O Governo não está a ponderar, neste momento, proibir fumar ao ar livre como foi decretado em Espanha, mas há “muitos aspetos em aberto” que serão acompanhados, disse esta sexta-feira a ministra da Saúde, Marta …

Lotação do Avante reduzida a um terço. Visitantes terão uma "área superior à que está estabelecida para as praias"

O PCP anunciou que vai limitar a entrada na sua anual Festa do "Avante!" a um terço da capacidade total, em virtude do contexto de pandemia de covid-19. O espaço de 30 hectares das Quinta da …

Governo da Guiné Equatorial demitiu-se em bloco

O Governo da Guiné Equatorial, liderado pelo primeiro-ministro Francisco Pascual Obama Asue, apresentou a sua demissão em bloco. Em declarações aos jornalistas, o ministro da Comunicação e porta-voz do Governo em funções, Eugenio Nze Obiang, explicou …

PSP apresenta queixa contra jornal Público por causa de cartoon no "Inimigo Público"

A PSP anunciou esta sexta-feira que vai apresentar queixa contra o jornal Público pela publicação, no suplemento Inimigo Público, de um cartoon com uma figura vestida de uniforme, “aparentemente relacionado com uma ação com conotação …