PS esclarece que o seu parceiro na Grécia não é o Syriza

PASOK / Flickr

George Papandreou, antigo líder do PASOK e primeiro-ministro da Grécia entre 2009 e 2011

George Papandreou, antigo líder do PASOK e primeiro-ministro da Grécia entre 2009 e 2011

O PS afirmou esta quarta-feira que o seu parceiro na Grécia é o PASOK e que não é pelo facto de ter tido um mau resultado que deixam de ser “camaradas”, e defendeu “um equilíbrio” entre aspirações gregas e europeias.

O deputado socialista Vitalino Canas afirmou, em resposta a uma declaração política do PCP, que “os democratas em geral gostam de vencedores, respeitam os vencedores, porque os vencedores são expressão da vontade do povo, e na Grécia é assim”.

“Por isso, nós felicitamos o Syriza. Mas não se confundimos as coisas, o facto de apreciarmos e respeitarmos os vencedores não significa que nós confundamos aquilo que defendemos e não saibamos quais são os nossos parceiros”, declarou.

“Na Grécia o nosso parceiro não é o Syriza, é outro partido, e não é pelo facto ter tido um mau resultado, não ter sabido protagonizar um projeto de mudança, não é por esse facto que nós deixamos de ser camaradas desse partido e endereçamos as nossas saudações”, afirmou, numa referência ao PASOK, o partido socialista grego.

Desde sempre um dos partidos mais fortes da Grécia, o PASOK de Evangelos Venizelos e da dinastia Papandreou alternou durante décadas no poder com a Nova Democracia de Antonis Samaras.

No passado domingo, dia da vitória histórica do Syriza, os socialistas tiveram uma derrota histórica, não conseguindo melhor que a 5ª posição, com cerca de 5% dos votos.

Para Vitalino Canas, a vitória do Syriza “é mais uma demonstração de que na Europa se pretende mudança, não é a primeira demonstração, ao contrário do que alguns quiseram fazer pensar”, considerando que houve outras em França e Itália “há uma muito concreta com as alterações que a comissão europeia tem imprimido no seu rumo”.

O deputado socialista aludiu a uma “cumplicidade” entre a líder da Frente Nacional francesa, Marine Le Pen, e o Syriza, provocando protestos da bancada do BE, e também se referiu ao parceiro de coligação do primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, um partido de direita nacionalista.

“Seria uma má mudança se tivesse ganhado o projeto daqueles que se coligaram com o Syriza. Que a mudança seja a mudança que o povo grego quer que se imprima, que seja uma mudança que vai no sentido certo”, disse.

Vitalino Canas concluiu que “os primeiros sinais que vêm da Grécia são sinais que criam expectativa, são sinais de pragmatismo, são sinais de moderação”.

“Esperemos que a Europa saiba responder a esses sinais também com pragmatismo e moderação e que haja a possibilidade de se atingir um equilíbrio entre aquilo que são as pretensões do povo grego e as pretensões da Europa”, defendeu.

Vitalino Canas sublinhou ainda que o Syriza tem “defendido com clareza a permanência no euro”, ao contrário do PCP, acusou.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

PRR. Nome de Vítor Caldeira na mesa para presidir à Comissão de Auditoria e Controlo

O inspetor-geral de Finanças vai presidir à Comissão de Auditoria e Controlo (CAC) que acompanhará a implementação do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e que deverá, também, integrar o ex-presidente do Tribunal de Contas …

Altice Portugal avança "nas próximas semanas" com despedimento coletivo

A Altice Portugal confirmou esta terça-feira à Lusa que vai dar início, "nas próximas semanas", a um processo de rescisões de contratos de trabalho através de despedimento coletivo, no âmbito do Plano Integrado de Reorganização, …

BE e PAN criticam "falta de liberdade de expressão" no Porto

As deputadas do Bloco de Esquerda e do PAN na Assembleia Municipal do Porto criticaram a “falta de liberdade de expressão” na cidade, depois de dois grafitis terem sido “apagados pelos serviços da autarquia”. “Soubemos que …

Marcelo pede aos jovens que facilitem vacinação em "corrida contrarrelógio"

O Presidente da República fez esta terça-feira um apelo aos jovens para que não deixem de se vacinar e adequem a habitual mobilidade no período do verão para facilitar um processo de vacinação em "corrida …

“Nenhum país está preparado para um evento da magnitude de Pedrógão Grande", diz Comissão Técnica Independente

O engenheiro António Salgueiro, da Comissão Técnica Independente (CTI) que avaliou os incêndios na Região Centro em junho de 2017, afirmou esta terça-feira que nenhum país está preparado para a magnitude do fogo de Pedrógão …

Escócia também adia desconfinamento para julho

A Escócia também decidiu adiar o desconfinamento por várias semanas, tal como Inglaterra, devido ao agravamento da pandemia no Reino Unido, que registou 27 mortes e 11.625 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas. Inicialmente …

Países do Golfo continuarão dependentes do petróleo por mais uma década

Um estudo da agência de notação financeira Moody's revelou que os países exportadores de petróleo do Golfo vão continuar dependentes da produção de hidrocarbonetos pelo menos na próxima década. Segundo o estudo, citado pela agência Reuters, …

PSP do Porto reforça policiamento no São João e apela ao cumprimento das regras

A PSP do Porto garantiu, esta terça-feira, que vai reforçar o policiamento na noite de São João, de quarta para quinta-feira, e apela ao cumprimento das regras atendendo ao contexto atual da pandemia de covid-19. “Solicita-se …

UE garante compra de mais 150 milhões de doses da vacina da Moderna

A Comissão Europeia aprovou esta terça-feira a alteração ao segundo contrato com a farmacêutica Moderna para a ativação, em nome de todos os Estados-membros da União Europeia (UE), de 150 milhões de doses adicionais em …

Lisboa sobe mais de 20 lugares no ranking. É a 83.ª cidade mais cara do mundo

Lisboa é a 83.ª cidade mais cara do mundo em termos de custo de vida, subindo 23 posições no ranking em relação ao ano passado, num estudo da Mercer divulgado esta terça-feira, que é liderado …