Já há 2 suspeitos de terem picado o ponto por Silvano (mas o Parlamento não vai fazer nada)

11

PSD / Flickr

José Silvano, secretário-geral do PSD

Já estarão identificados os dois deputados que terão assinado as presenças de José Silvano, secretário-geral dos sociais-democratas, no Parlamento. Mas nem o Parlamento, nem o PSD vão actuar, por falta de meios legais para o efeito. 

De acordo com o que apurou o Jornal de Notícias (JN), o PSD já tem na sua posse os nomes de dois deputados que serão suspeitos de terem assinado as presenças de José Silvano, nos plenários parlamentares de 18 e 24 de Outubro, utilizando a password do secretário-geral do partido.

Estes dois deputados, que não são identificados pelo jornal, serão “muito próximos de José Silvano” e ambos negaram ao diário “alguma vez ter assinado a sua presença”. Um deles terá sido eleito por um círculo do Norte, e o outro pelo Centro do país, como frisa o JN.

O PSD terá obtido a informação através dos serviços da Assembleia da República (AR), mas o Parlamento não deverá actuar relativamente ao alegado uso indevido da password de José Silvano.

O Público apurou junto de fontes da AR que o Presidente Ferro Rodrigues “não prevê tomar mais iniciativas”, para lá da “averiguação interna” que já foi lançada.

O Grupo Parlamentar do PSD também não deverá actuar por não ter “instrumentos legais para sancionar o registo falso de presenças em reuniões plenárias”, frisa o Público.

Assim, o caso está entregue à justiça, depois de a Procuradoria-Geral da República ter aberto um inquérito.

Entretanto, ficam no ar suspeitas quanto à motivação dos dois deputados que assinaram por Silvano, surgindo dúvidas sobre se terão agido por iniciativa própria, com a intenção de ajudar o secretário-geral do PSD, ou para o prejudicar.

Silvano suspeita que querem prejudicar direcção de Rio

José Silvano já garantiu que não pediu a ninguém para picar o ponto por ele. “Não pedi a ninguém que registasse a minha presença no plenário”, frisou em conferência de imprensa no Parlamento, salientando que está também “convencido que nenhum outro deputado o terá feito”.

“Quem não deve não teme”, garantiu ainda Silvano, frisando que é “um homem honrado, com mais de 30 anos de vida pública”. “Nunca ninguém me apontou qualquer irregularidade ou colocou em causa a minha honorabilidade até ter aceitado desempenhar o cargo de secretário-geral do PSD, na direcção nacional do dr. Rui Rio”, acrescentou, lançando suspeitas sobre um eventual estratagema para prejudicar o presidente do partido.

Rui Rio recusou comentar o assunto, esquivando-se a perguntas de um jornalista da SIC falando em alemão.

Mas o Comissário Europeu Carlos Moedas, que é militante do PSD, salientou que espera que “aquilo que se leia não seja verdade“. “É importante para tudo o que é a democracia que os deputados tenham maneira de actuar que não tenha nenhuma falta ou incorrecção”, considerou em Helsínquia, no âmbito do Congresso do Partido Popular Europeu.

  ZAP //

11 Comments

  1. E se cada um de nós, nos respetivos empregos, entrasse, assinasse o ponto e saísse? O que é que nos aconteceria?
    – Ele há os políticos, de primeira, e os portugueses de segunda… E vamos continuar a votar sem que haja mudança no sistema?

  2. coitadinho olha roubaram-lhe a pass e ainda por cima em beneficio deste sr e não de quem o utilizou!! Chega de nos chamar burros… ao menos tenham a decência de se redimirem do vil atos.

  3. Suspeitos ? Estão a brincar connosco.
    Que vergonha de deputados da Nação… são um nojo.
    De que está à espera, afinal, Rui Rio para agir como deve? Ou o banho de ética é como sempre só conversa fiada?

  4. Rui Rio estou a ficar desiludido contigo, e eu que te julgava um gajo do Norte Carago, para pores os teus amigos na linha, afinal és um Nazi dos fracos, espero eu, quando fores candidato ao lugar de ministro, fales ou peças votos em Português e não em alemão.

  5. com eles passa tudo ao lado, escondem-se uns aos outros se for o pobre coitado está despedido e têm que indemenizar, estou farto.

  6. “Virgens ofendidas”…
    “O Parlamento não vai actuar…”
    Parece tratar-se de uma situação comum, quase que uma regra lógica… pica-se o ponto e vai-se à vida!
    Tem-se ainda o descaramento e a pouca vergonha de, no meio de um processo destes, em que o comum dos mortais se sentiria envergonhado, ir-se assinar o livro de presenças e ir embora…
    Realmente estamos a viver no mais completo absurdo… e um absurdo “parlamentarmente” respeitável!!!

  7. Uma srª. deputada já deu a resposta (pouco digna) de 1 deputado da Nação eleito e pago pelo povo que o elegeu, para infantilmente dizer que todos fazem isso e coisas +. Se 1 Trabalhador qualquer vai ao relógio de ponto e marca as fichas dos trabalhadores mesmo os que estão dentro da empresa, pela lei tem 1 processo disciplinar e pode ser despedido com justa causa. Esta gente tem de ser corrida da Assembleia, já há muitos aldrabões para não dizer outros ões, que por lá se passeiam.

  8. Bolsonaro disse que quer combater a Corrupção no Brasil com o juiz Sergio Moro e uma rede de arrasto de 500 metros. Tal e qual como em Portugal. Aqui em Portugal o PS e o PSD de António Costa e de Rui Rio tambem combatem a Corrupção com uma rede de arrasto tão eficaz que nenhum Corrupto poderoso está preso em Portugal, desde há 44 anos. Que belo trabalho PS e PSD. Eu é que não sou parvo. Não voto mais nestes partidos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.