Substância usada contra piolhos e lombrigas pode matar covid-19

herraez / Canva

Uma investigação realizada por cientistas australianos apurou que a Ivermectina, uma substância que é usada em medicina veterinária e contra vermes e piolhos nos humanos, pode ajudar no tratamento contra a Covid-19, impedindo que o vírus se reproduza nas células.

Esta pesquisa publicada na revista científica Antiviral Research aponta que a Ivermectina, que já existe em todo o mundo, “pode matar o vírus em 48 horas”, conforme o comunicado divulgado pelo Instituto de Descoberta Biomédica Monash, da Austrália, que participou no estudo.

“Uma simples dose” da substância pode impedir que o vírus “cresça na cultura das células”, apontam os investigadores depois de terem feito experiências com culturas celulares em laboratório.

A Ivermectina é a substância activa de vários medicamentos que vêm sendo utilizados, há décadas, como desparasitantes. Tem sido utilizada no tratamento de condições associadas a vermes e parasitas, nomeadamente lombrigas, piolhos e sarna, em humanos. Mas também é usado em medicina veterinária para o tratamento da sarna e de verminoses gastrointestinais.

Os medicamentos à base da substância actuam, geralmente, nos nervos e células dos parasitas. Em investigações feitas nos últimos anos, também se revelou eficaz contra vírus como o VIH, o Dengue, a Influenza e o Zika.

Agora pode ser um aliado contra o coronavírus, mas as conclusões finais dependem de “testes em ensaio pré-clínico e em ensaios clínicos”, como alertam os investigadores australianos, sublinhando que precisam de “financiamento urgente” para continuar a investigação.

Para já, os resultados indicam que “mesmo uma dose única, pode, essencialmente, remover todo o RNA viral em 48 horas e que, mesmo em 24 horas, houve uma redução significativa”, como aponta a investigadora Kylie Wagstaff que participou na pesquisa.

“A Ivermectina é muito utilizada e vista como um medicamento seguro“, salienta Wagstaff, lembrando, contudo, que “precisamos de perceber, agora, se a dose que se pode usar nos humanos será efectiva”.

O próximo passo será “determinar a dosagem humana correcta” de modo a assegurar que as medidas utilizadas e que se revelaram eficazes em laboratório, nas culturas de células, “são seguras para os humanos”, explica a investigadora.

Esta é uma possibilidade que traz uma nova esperança e que pode revelar-se uma solução “mais rápida” para “ajudar as pessoas” contra a pandemia. “Realisticamente, vai demorar algum tempo antes que uma vacina esteja disponível de forma alargada“, destaca Kylie Wagstaff.

A pesquisa resultou de uma parceria entre dois institutos que fazem investigação nas áreas da biomedicina e da imunidade, a Universidade de Melbourne e o Hospital Royal Melbourne e contou com a participação do médico Leon Caly que integrou a primeira equipa de investigadores fora da China que conseguiu isolar o SARS-COV2.

Kylie Wagstaff esteve também envolvida na pesquisa que detectou, em 2012, que a Ivermectina tinha propriedades anti-virais.

Apesar dos resultados promissores do estudo, é importante que tenha presente que o uso da Ivermectina tem efeitos secundários associados, não devendo ser utilizado sem prescrição médica.

SV, ZAP //

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. É curioso a cura para a doença do coronavírus covid-19 já existe e foi desenvolvida pelo Prof. Didier Raoult, especialista número a nível mundial na área da Virologia, e consiste na composição de cloroquina + azitromicina.

    A Federação da Rússia (FR) já desenvolveu o seu medicamento baseado nessa composição desenvolvida com sucesso pelo Prof. Didier Raoult, a República Popular da China (RPC) também, bem como a República de Cuba (RC), e o presidente Donald Trump iniciou o mesmo tratamento nos Estados Unidos da América do Norte (EUA).

    P.S.: Após a cura para o coronavírus covid-19 ter sido desenvolvida pelo Prof. Didier Raoult e colocada à disposição, o regime de Macron e a indústria farmacêutica proibiram o seu uso.

    • Já vi que continua alheado da realidade e com pouca noção de como a ciência funciona. A “cura” encontrada pelo Dr. em questão não cura propriamente, apenas reduz os sintomas, e foi baseada num estudo com um número limitado de pessoas. O estudo está neste momento a tentar ser replicado por outros cientistas (incluindo cientistas financiados pelo “regime de Macron”), e se tais replicações tiverem sucesso, será certamente mais uma arma no arsenal contra o COVID-19. Só com replicação se conseguem isolar os factores responsáveis pela melhoria dos sintomas (coisas de estatística que provavelmente desconhece), sendo neste momento uma irresponsabilidade aplicar este tratamento a toda a gente, sem se ter bem noção da sua eficácia. Neste momento nada garante que o estudo que refere seja mais eficaz do que o estudo descrito esta notícia.

      Curiosa é a sua demonização do “regime de Macron” e elogios à Rússia, China e Cuba, essas esplendorosas e transparentes democracias que só dizem a verdade e nada mais do que a verdade, e cujos cidadãos vivem em liberdade plena. Diz muito da sua ligação com a realidade.

      • Você está a mentir, e os dados disponíveis por diversas entidades e estudos oficiais de âmbito internacional provam isso mesmo, bem como diversos artigos publicados em vários jornais internacionais.

        Quanto ao último parágrafo do seu comentário é completamente sem nexo, demonstrando claramente que você confunde tudo, ou então é mal-intencionado(a).

      • Está mais que provado que o tratamento do Prof. Didier Raoult, e como ele próprio reconhece, neste momento é o único tratamento acessível, é barato, e baseado num medicamento com mais de 40 anos de avaliação, e que está a salvar vidas!
        O Prof. Didier esclareceu e muito bem que o tratamento com hidroxicloroquina deve ser ministrado logo aquando da manifestação da Covid-19, e não como um último recurso!
        Salvo as raras exceções de Médicos ajuizados, a maioria dos clínicos segue o protocolo da DGS, ou seja a hidroxicloroquina é ministrada quando os doentes já estão com os pés para a cova!
        Mas há algum chico-esperto em Portugal cujo os conhecimentos cheguem aos calcanhares do Prof. Didier Raoult? Tão somente o melhor virulogista mundial!
        Estão à espera de quê? De ver mais portugueses a morrer desnecessariamente? À que processar a DGS e a sua diretora e mais responsáveis por homicídio por negligência! Já basta a irresponsabilidade de dizer aos portugueses para não usar máscara. Veja-se o caso da República Checa, onde o numero de infetados e óbitos é muito inferior a Portugal, e com uma população semelhante!
        Estamos entregues à bicharada!

        • Mais um caneirinho alienado, armado em chico-experto, mas que não percebe NADA de ciência!…
          Deixa-me adivinhar: tiraste o curo no Facebook ou no Youtube brasileiro??
          “Está mais que provado…”
          Mais que provado?!
          Enfim… a ignorância é mesmo atrevida!!

    • Passado um mês, chegou-se à conclusão que o famoso tratamento que sugere foi essencialmente descartado, pois não funciona. Na Rússia, médicos incómodos são atirados pela janela. Nos USA as pessoas morrem que nem tordos enquanto o presidente sugere que bebam lixívia. Mas o regime de Macron é que é mau. A realidade é uma chata.

Cofre de antigo caçador de vampiros vai a leilão no Reino Unido. Está repleto de objetos

O cofre de um caçador de vampiros do século XIX vai ser leiloado em Dervyshire, no Reino Unido, informou a leiloeira Hansons. Em causa está uma caixa antiga, forrada a seda vermelha e decorada com …

Bombeiro morre no combate a um incêndio na Serra da Lousã

Um bombeiro morreu este sábado durante o combate a um incêndio na Serra da Lousã, disse à agência Lusa o presidente da Câmara da Lousã, Luís Antunes. O autarca desconhece as circunstâncias em que ocorreu a …

Cientistas descobrem os defeitos dentários que apodrecem os dentes

Os resultados deste novo estudo contribuem para o desenvolvimento de novos tratamentos para as cáries dentárias. Os investigadores capturaram o esmalte num detalhe sem precedentes. Uma equipa de investigadores está muito perto de descobrir aquilo que …

Balões da Google já "espalham" Internet nas vilas remotas do Quénia

Em 2013, surgiu a ideia de enviar balões para o Espaço próximo para conectar pessoas em locais do mundo sem Internet. A ideia, que parecia uma loucura, já é realidade. Depois de uma longa série de …

Descoberta nova espécie de dinossauro carnívoro em Portugal

Um novo género e espécie de dinossauro carnívoro terópode, cujos fósseis foram escavados em arribas dos concelhos de Torres Vedras e da Lourinhã, foi agora descrito na revista internacional "Journal of Vertebrate Paleontology" por paleontólogos …

The Crown. Afinal, vem aí uma sexta temporada

Peter Morgan, criador, produtor e argumentista de The Crown, anunciou esta quinta-feira (9), através do Twitter da plataforma de streaming Netflix, que a série britânica terá uma sexta temporada. “Quando começamos a discutir as histórias da …

Observatório Gaia revoluciona o rastreamento de asteroides

O observatório espacial Gaia da ESA é uma missão ambiciosa que tem o objetivo de construir um mapa tridimensional da nossa Galáxia, fazendo medições de alta precisão de mais de mil milhões de estrelas. No entanto, …

Tempestades de relâmpagos mataram 147 pessoas na Índia em apenas 10 dias

Tempestades de relâmpagos mataram 147 pessoas no estado de Bihar, no norte da Índia, no espaço de dez dias, noticia a AFP, que escreve que os números podem aumentar nos próximos tempos devido às alterações …

Investigação portuguesa descobriu 14 espécies marinhas com potencial para produção de antibióticos

Uma investigação conjunta da Universidade de Aveiro e da Universidade Católica descobriu 14 novas espécies e um género de fungos marinhos, com potencial para produção de antibióticos, revelou esta segunda-feira fonte académica. "Neste momento, estão a …

Impossíveis de cumprir. Directores preocupados com novas regras para as escolas

As orientações da Direcção Geral de Saúde (DGS) para as escolas com vista ao regresso das aulas presenciais, em Setembro, estão a preocupar os directores dos estabelecimentos de ensino. Isto porque as consideram impossíveis de …