“Não reajo bem ao arbítrio”. Sócrates recebe ultimato para explicar viagens ao Brasil

3

André Kosters / Lusa

O ex-primeiro-ministro José Sócrates

A juíza Margarida Alves deu um prazo de cinco dias para que o antigo primeiro-ministro José Sócrates justifique as suas viagens ao Brasil.

José Sócrates está sob termo de identidade e residência, o que o obriga a comunicar quando se ausenta do país durante mais do que cinco dias. No entanto, o antigo primeiro-ministro tem feito viagens ao Brasil, em alguns casos com estadias de várias semanas, sem informar os tribunais portugueses.

A investigação da revista revela que o antigo primeiro-ministro e principal arguido na Operação Marquês está inscrito num doutoramento em Relações Internacionais, no âmbito do Programa de Pós-Graduação San Tiago Dantas, na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

“O tribunal tem a minha morada. Não mudei de endereço pessoal, razão pela qual não me sinto obrigado a comunicar ao tribunal nada mais que não seja o meu termo de residência. Agradeço o interesse com que alguns jornalistas seguem a minha vida privada mas não pretendo discuti-la com estranhos. Sete anos de devassa judicial bastaram”, disse Sócrates em reação às notícias.

Entretanto, o Ministério Público apresentou um requerimento para José Sócrates informar sobre as ausências para o estrangeiro e razões da não comunicação das viagens ao tribunal.

Como tal, a juíza Margarida Alves deu, esta terça-feira, um prazo de cinco dias para que Sócrates explique as razões que o levaram a ausentar-se do país, escreve o Expresso.

Num artigo publicado no Tal & Qual, Sócrates considera que a lei “não obriga” a que tenha de comunicar ausências superiores a cinco dias ao tribunal.

O arguido da Operação Marquês diz ainda que não tem “mentalidade de servo e não reage bem ao arbítrio”, que não se deixa atemorizar pelas “ameaças dos procuradores” e lembra que preferiu ficar preso a usar uma pulseira eletrónica.

A matrícula de Sócrates na pós-graduação foi confirmada por Reginaldo Nasser, professor universitário que é também orientador da tese e que é próximo do Partido dos Trabalhadores (PT).

Recorde-se que Sócrates foi chefe do Governo na altura em que Lula da Silva, do PT, era Presidente do Brasil, e os dois tinham uma relação próxima. Sócrates tem marcado presença em eventos e ações de campanha do PT e também escreve uma coluna de opinião na revista Carta Capital, que é próxima do partido.

  Daniel Costa, ZAP //

3 Comments

  1. Espero que o julguem, rapidamente, e em separado, pelo menos pelo crime de Desobediência, pois não só não cumpriu, como mostra intenção e falta de arrependimento nas suas acções. Não deviam ter sido dados 5 dias para explicar, devia ter sido detido!

    Além dos supostos estudos, quem sabe não estará a preparar um “exílio dourado” para evitar futuras sentenças desfavoráveis… naquele país sem acordos de extradição…,

    Continua a achar-se acima da lei… calculo eu….

  2. J. Galvão

    Ola fofinhos

    O Homem entende que que esta a cumprir a lei, e o fofinho sem nome fala em calculo seu ??? deveria era mostrar a tal Lei que não permite alguém superior.

    O outro fofinho sempre “atento” tem razão isto é uma palhaçada, vamos todos pagar com retroativos e ate ao fim da vida daquele senhor, e pelos vistos ainda se prepara para receber 95 milhões de indeminizações por falsas acusações, e nós os fofinhos pagaremos.
    Temos de exigir melhor justiça a começar por melhor governação.
    Um abraço fofinho.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.