Sindicatos receiam que estagiários substituam quem rescindir nos municípios

alancleaver_2000 / Flickr

Os sindicatos da administração pública e local lamentaram, após reuniões com o secretário de Estado da Administração Local, que o Governo prepare um programa de rescisões de trabalhadores nas autarquias e os possa substituir por estagiários.

“Mandam uns pela porta e vêm outros, com um regime absolutamente precário, com uma bolsa [de] que não é conhecido o valor, para fazer o trabalho daqueles que foram mandados embora”, afirmou Maria Helena Rodrigues, do STE-Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado.

A dirigente sindical falava após uma reunião com o secretário de Estado António Leitão Amaro para discutir uma proposta de rescisões por mútuo acordo na administração local e o Programa de Estágios Profissionais na Administração Local (PEPAL), que prevê a admissão de 1.500 estagiários.

“Esta não é a forma de resolver os problemas daqueles que hoje ainda não tiveram o primeiro emprego”, considerou Helena Rodrigues, acrescentando que a redução de efetivos, conjugada com estágios financiados por verbas comunitárias, visa apenas “a redução e contenção de custos na administração autárquica”.

Para José Abraão, do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública (SINTAP), a preocupação reside principalmente nas condições em que se vão processar as rescisões por mútuo acordo em autarquias com dificuldades financeiras que “possa haver executivos menos escrupulosos, que pressionem os trabalhadores para rescisões pouco amigáveis”.

No final da reunião, o sindicalista afirmou que houve abertura para a negociação dos dois diplomas e que o secretário de Estado disse “estar apostado em que [o PEPAL] seja verdadeiramente um programa de estágios e não para substituir trabalhadores”.

Perante a atual situação do mercado de trabalho, o secretário-geral do SINTAP salientou não “ter grandes expetativas” em relação a uma elevada adesão de trabalhadores para rescindirem os contratos de trabalho, com exceção de algumas situações particulares, e que as indemnizações terão de ser suportadas pelas entidades empregadoras.

Francisco Braz, do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local (STAL), apontou “a contradição de um programa de despedimentos encapotados, ou rescisões ditas por mútuo acordo, e um programa de estágios que não são estágios”.

O dirigente sindical notou que os estágios exigem um conjunto de condições, como o acompanhamento por profissionais e os respetivos relatórios, quando se exige a estes estagiários que cumpram um horário normal de trabalho e que “substituam trabalhadores que são indispensáveis”.

Francisco Braz considerou também não fazer sentido que sejam as autarquias a pagar as compensações com as rescisões, quando já enfrentam grandes dificuldades financeiras, e deixou a preocupação com as consequências para o cálculo do montante da aposentação dos trabalhadores que aceitarem rescindir o contrato.

A proposta de portaria para a rescisão por mútuo acordo enviada aos sindicatos prevê que os trabalhadores solicitem “a cessação do seu contrato de trabalho entre 1 de outubro de 2014 e 30 de setembro de 2015”.

Para os trabalhadores com menos de 50 anos, a compensação será de 1,25 meses de remuneração base e suplementos de caráter permanente por cada ano de serviço, valor que se fixa em um mês para quem tiver entre 50 e 59 anos.

Secretário de Estado rejeita substituição de trabalhadores por estagiários

O secretário de Estado da Administração Local rejeitou que os estágios em preparação sirvam para substituir trabalhadores que adiram ao programa de rescisões nos municípios.

“Isso não faz nenhum sentido. As duas medidas são tratadas agora porque vêm na sequência do acordo do Governo com a Associação Nacional de Municípios Portugueses, que apontava para a sua aprovação agora”, explicou António Leitão Amaro em declarações à agência Lusa.

António Leitão Amaro resumiu a relação estabelecida pelos sindicatos entre os dois programas a “um exercício mediático”, sem fundamentação.

O Programa de Estágios Profissionais na Administração Local “é uma medida importante para os jovens terem uma oportunidade de uma formação prática, enquadrada no Programa de Garantia Jovem, e está definido desde o primeiro trimestre que ele se realizaria agora”, afirmou o secretário de Estado.

“Partilhamos o entendimento de que os estágios não são forma de substituir necessidades de trabalho permanente, nisso estamos todos de acordo”, frisou o governante, considerando que se tem verificado uma evolução positiva em matéria de recursos humanos nos municípios.

Em relação à proposta de portaria para a rescisão por mútuo acordo na administração local, Leitão Amaro adiantou que “é uma mera intervenção reguladora, pedida pelos municípios e até por vários trabalhadores” e que não é o Governo que gere os recursos humanos nas autarquias.

“As autarquias que estão desequilibradas mantêm as mesmas regras de controlo, de limitações de recrutamento, mas as autarquias em equilíbrio vão passar a ter outra autonomia na sua gestão e contratação, sempre limitada a não haver aumento da massa salarial global”, disse.

O secretário de Estado recusou, no entanto, a reivindicação dos sindicatos de que seja o Governo a suportar os custos com as rescisões na administração local, uma vez que apenas tem “uma função reguladora”.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Parlamento aprova despenalização da eutanásia

Os cinco projetos de lei que despenalizam a eutanásia do BE, PAN, PS, PEV e IL foram aprovados, esta quinta-feira, na generalidade, na Assembleia da República. O projeto de lei do Partido Socialista recebeu 127 votos …

Tribunal da Relação mantém penas de prisão para ex-seguranças do Urban Beach

O Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) decidiu manter as penas efetivas aplicadas pelo tribunal de 1.º instância aos ex-seguranças da discoteca Urban Beach acusados por tentativa de homicídio de dois homens. Segundo o acórdão, a …

Mafioso português Joe Barbosa retratado em livro sobre a Cosa Nostra, o FBI e a justiça nos EUA

Ser português travou a ascensão de Joseph Barbosa na máfia italiana nos Estados Unidos (EUA), mas foi em língua portuguesa o seu elogio fúnebre, após ser assassinado por denunciar mafiosos culpados e inocentes e expor …

Testes deram negativo em mais uma criança internada por suspeita de Covid-19

Uma criança regressada da China foi encaminhada, esta quinta-feira, para o Hospital D. Estefânia, por suspeita de infeção pelo novo coronavírus, mas as análises deram negativo, anunciou a Direção-Geral da Saúde (DGS). Num comunicado publicado no …

A China até já está "a queimar" dinheiro para combater o coronavírus

A luta entre a China e o novo coronavírus, o Covid-19, tem colocado os órgãos governamentais em alerta. O governo parece não poupar esforços para conter a proliferação da doença - nem que seja preciso, …

Barcelona contrata Braithwaite para substituir Dembélé

O FC Barcelona anunciou, esta quinta-feira, a contratação do futebolista dinamarquês, do Leganés, para substituir o lesionado Dembélé, depois de pagar a cláusula de rescisão de 18 milhões de euros. Com a contratação de Martin Braithwaite, …

Senador do Ceará baleado ao tentar invadir com uma retroescavadora um quartel tomado por polícias amotinados

Esta quarta-feira, Cid Gomes foi baleado depois de ter invadido com uma retroescavadora um portão de um quartel da Polícia Militar na cidade de Sobral, no estado do Ceará. O senador Cid Gomes foi baleado, na noite …

PS acusa Bloco de "má fé" na escolha de juízes para o Constitucional

O Bloco não gostou de ter ficado de fora da escolha dos dois novos juízes para o Tribunal Constitucional. PS acusa agora o partido de esquerda de "má fé". Numa conferência de imprensa no Parlamento, esta …

Justiça suíça acusa presidente do PSG e ex-responsável da FIFA de gestão danosa

O presidente do Paris Saint-Germain e um antigo secretário-geral da FIFA foram acusados de gestão danosa pela justiça suíça, numa investigação sobre os direitos televisivos do Mundial de futebol. O Ministério Público da Suíça acusa Nasser …

PJ deteve falsa psiquiatra que dava "consultas" em casa em Braga

A Polícia Judiciária (PJ) de Braga deteve uma mulher, de 38 anos, que se fazia passar por médica psiquiátrica e que dava "consultas" na sua residência. Em comunicado, a Polícia Judiciária (PJ) de Braga refere que, …