Sindicato dos enfermeiros apela ao boicote às horas extra

A Associação Sindical dos Enfermeiros de Portugal (ASEP) vai lançar um apelo geral à classe dos enfermeiros para que estes se recusem a cumprir as horas extra que passaram a ser colocadas nas suas escalas de trabalho.

O protesto, de acordo com o Público, deverá decorrer em simultâneo com a “greve cirúrgica”, o protesto que começou no início deste mês e deverá durar até ao final de fevereiro nos blocos operatórios de dez hospitais públicos. No entanto, o protesto não deverá incluir apenas os profissionais que operam nos blocos operatórios, mas todos os enfermeiros do Serviço Nacional de Saúde.

Lúcia Leite, presidente da ASEP, disse ao mesmo jornal que o anúncio será feito formalmente aos enfermeiros esta quarta-feira.

O protesto é individual, uma vez que todos os enfermeiros têm o direito se recusarem a prestar serviços por mais horas do que aquelas que estão presentes no seu contrato de trabalho, a não ser essas ocorram em situações extraordinárias”, referiu. A associação sindical deverá fornecer uma minuta que permita aos enfermeiros comunicar à instituição que não aceitam uma escala com mais horas.

Lúcia Leite afirma que estas “falsas horas extra” são colocadas nas escalas de trabalho e somam-se ao horário normal que, segundo diz, “são devidas a carências permanentes de recursos humanos”.

“Algumas são pagas como horas extraordinárias, outras não chegam a ser e que são erradamente apelidadas de horas extra porque a lei enquadra esse conceito e determina que são para situações imprevistas e não para situações de carência de recursos permanentes”, disse a presidente da associação sindical.

A sindicalista afirma que os enfermeiros estão dispostos a cumprir horas extra “de forma pontual” e não por sistema, exigindo que “as entidades empregadoras cumpram a lei”.

“O que nós queremos é que os enfermeiros deixem de suportar de forma voluntária todos os serviços como sendo da sua responsabilidade, que não é. Há muitos serviços que, se os enfermeiros exigirem o cumprimento da lei, pode levar ao encerramento de camas e até a situações de difíceis dos serviços à população”, garante a presidente do ASEP.

O sindicato vai também apelar a que os enfermeiros não participem nas cirurgias da listas de espera, operações que são realizadas fora do horário de trabalho. “É uma decisão de cada um continuar a fazê-lo ou não”, garante Lúcia Leite, acrescentando que “existe uma utilização abusiva do SNS para que alguns consigam recuperar as listas de espera e para que outros recebam montantes elevados”.

A “greve cirúrgica” deste mês tem causado desacatos e vários adiamentos. Na primeira semana, não foram realizadas 2657 intervenções cirúrgicas, mais de metade (56%) do total agendado entre 31 de janeiro e 8 deste mês.

Ao mesmo tempo, e perante a requisição civil decretada pelo Governo, estão ser ponderadas novas formas de luta, que podem incluir faltar ao trabalho.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Galp perde 60 milhões de euros em negócios não autorizados

A Galp perdeu 60 milhões de euros em negócios não autorizados com licenças de CO2. A petrolífera já avançou com ações disciplinares e uma auditoria. A Galp informou que foram identificadas transações, não autorizadas pela empresa, …

"Bandeira vermelha". Tóquio em alerta máximo após aumento de novas infeções

A capital do Japão, Tóquio, com 14 milhões de habitantes, está no nível mais alto de alerta para o novo coronavírus após um aumento dos casos registados. “Os especialistas disseram-nos que a situação das infeções está …

Operação Saco Azul. Empresas "zombie" terão desviado 1,8 milhões do Benfica

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, e a SAD do clube lisboeta foram constituídos arguidos pelo crime de fraude fiscal, no âmbito da operação ‘saco azul’, confirmou esta terça-feira à agência Lusa fonte oficial …

Maçãs com preços em alta, menos vinho e cerveja a estragar-se (os efeitos da pandemia)

A pandemia de covid-19 está a levar milhares de litros de cerveja a estragar-se, enquanto os produtores de vinho temem uma quebra na produção e, logo, nos lucros. Enquanto isso há menos maçãs e mais …

TAD anula sanção de cinco jogos à porta fechada ao Benfica

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) deu provimento ao recurso do Benfica e revogou a sanção de cinco jogos à porta fechada imposta pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) ao clube, pelo apoio prestado a …

Costa vira à esquerda, mas Catarina Martins diz que "não pode ser só conversa"

Esta quarta-feira, António Costa lança as negociações para o Orçamento do Estado para 2021 com os partidos que, até aqui, foram seus aliados. O primeiro-ministro insiste que o caminho da sua governação passa por entendimentos à …

No novo ano letivo, a Educação Física continua a ser maior incógnita

No início de julho, o Ministério da Educação anunciou algumas orientações sobre o próximo ano letivo que não contemplavam a Educação Física e o futuro da disciplina continua a ser uma incógnita.  Nas escolas, a falta …

FC Porto já só sonha com o título, mas Amorim não faz vida fácil aos "dragões"

O FC Porto só precisa de empatar com o Sporting CP para ser campeão. Rúben Amorim quer estragar a festa dos portistas, embora não lhe interessem quer acabe por vencer o campeonato. O SL Benfica manteve …

Companhias aéreas e aeroportos arriscam multas até 2 mil euros por cada passageiro sem teste negativo

O Governo clarificou esta terça-feira as regras sobre tráfego aéreo e gestão de aeroportos no quadro da pandemia de covid-19 e estabeleceu o regime sancionatório do incumprimento dessas regras. "Clarificam-se regras referentes ao tráfego aéreo e …

GES já estava falido cinco anos antes de colapsar. Salgado acusado de 65 crimes

O Ministério Público acusa o ex-banqueiro Ricardo Salgado de 65 crimes no âmbito do caso BES. O Grupo Espírito Santo já estava falido cinco anos antes de colapsar. O Ministério Público proferiu, esta terça-feira, o despacho …