“Há setores do PS que veem o BE como problema para a maioria absoluta”

Esquerda.Net / Flickr

A porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins

A coordenadora bloquista, Catarina Martins, considera que há setores do PS que entendem que o BE “pode ser um problema para o objetivo da maioria absoluta” nas próximas eleições legislativas, o que justifica “algum tipo de crispação”.

Em entrevista à agência Lusa na véspera da XI Convenção Nacional do BE – que decorre no sábado e no domingo, em Lisboa -, Catarina Martins garante que “o Bloco é o que sempre foi, mas com mais força faz-se mais caminho”.

“Há talvez setores do PS que consideram que o Bloco pode ser um problema para o objetivo da maioria absoluta e tenham decidido que ganhariam alguma coisa com algum tipo de crispação”, responde, quando questionada sobre a subida de tom e crítica dos socialistas em relação aos bloquistas.

No entanto, a líder do BE ressalva que “não é toda a gente que pensa assim no PS“, uma vez que já compreenderam que há “um acordo para cumprir e que o Bloco manteve exatamente a mesma postura todos os dias, independentemente das flutuações de outros lados”.

Sobre se António Costa está no grupo dos que encaram o BE como um problema para as próximas eleições, Catarina Martins diz querer pensar que o primeiro-ministro está empenhado em concluir a legislatura.

“Eu quero pensar que o senhor primeiro-ministro está tão empenhado como eu em levar a legislatura até ao fim, no cumprimento dos acordos que fizemos em 2015 e indo mais além deles, sempre que é possível”, afirma.

À pergunta se o BE e o PCP são hoje partidos mais próximos ou mais antagonizados, Catarina Martins responde, primeiro, que é preciso valorizar “muito o trabalho e a convergência” com os comunistas.

“Registo que mantemos diferenças profundas – e para nós amargas – como, por exemplo, o PCP não ter apoiado a despenalização da morte assistida e permitir à direita chumbar um projeto que é uma ambição do país”, lamenta.

No entanto, a deputada do BE assinala “também que em matérias como a adoção por casais do mesmo sexo, a posição do PCP tem vindo a evoluir e deu alguns passos que há uns anos se acharia impossível dar”, tendo a expectativa que o partido “faça parte das ideias progressistas também no campo dos direitos e liberdades individuais”.

A XI Convenção Nacional, reunião magna do partido que começa no sábado, é, para Catarina Martins, “um momento de balanço“, precisamente no dia em que passam três anos sobre a assinatura dos acordos que viabilizaram o Governo minoritário do PS.

“É verdade que é um momento em que o Bloco se confronta com as próprias responsabilidades que teve, acrescidas, e também que coincide com o momento em que já há uma colaboração estreita, pensada, quotidiana entre uma geração mais nova dirigente porque o Bloco nestes últimos anos procedeu a uma enorme renovação”, destaca.

Catarina Martins desvaloriza caso Robles

Para a dirigente, “o BE tem neste momento uma convergência grande de direção sobre os caminhos que tem de seguir”, desvalorizando qualquer impacto da polémica que envolveu o antigo vereador bloquista na Câmara de Lisboa, Ricardo Robles.

“O BE considera que Ricardo Robles errou, reconheceu o erro e em 72 horas tínhamos mudado o vereador, mas não teve nenhum comportamento ilegal. Nós reconhecemos os erros e corrigimos, mas não houve sequer nenhum comportamento ilegal. Não sei se há muitos partidos que tenham o mesmo comportamento que o Bloco”, aponta.

A Convenção acontece no ano em que o partido perdeu uma das suas figuras de destaque, o antigo coordenador João Semedo – que partilhou com Catarina Martins, entre 2012 e 2014, a liderança ‘bicéfala’ – e que morreu em julho último.

“O João foi muito mais, na política, do que esses dois combates [Lei de Bases da Saúde e despenalização da eutanásia) que foram os últimos e que foram muito importantes. Foi a capacidade de interlocução, de criar pontes. Foi saber que a determinação na política do programa nunca é o sectarismo, nunca é dizer que não conseguimos construir pontes ou dialogar com outros”, elogia.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cinco blocos operatórios iniciam paralisação de mais de um mês

Enfermeiros de cinco blocos operatórios de hospitais públicos iniciam esta quinta-feira uma greve de mais de um mês às cirurgias programadas, que pode adiar ou cancelar milhares de operações. A greve cirúrgica, decretada pela Associação Sindical …

Se é alérgico a amendoim, saiba que há uma luz ao fundo do túnel

A esperança é a última a morrer para as pessoas que são alérgicas a amendoins. Um estudo recente constatou que os participantes normalmente incapazes de tolerar a exposição a um décimo de um único amendoim …

Rover Marte 2020: NASA já escolheu o local de aterragem

A NASA anunciou na segunda-feira o local de aterragem para sonda da missão Marte 2020: um delta de um rio ancestral. A missão tem como objetivo provar que existiu vida no Planeta Vermelho. Mesmo que Marte esteja …

"Bactéria de Schrödinger" pode ser um marco na biologia quântica

Uma análise de um grupo de investigação da Universidade de Oxford, no Reino Unido, alegou sucesso no entrelaçamento de bactérias com fotões, as partículas de luz. A equipa estudou uma experiência realizada em 2016 por David …

Um sistema estelar na Via Láctea ameaça morrer com uma colossal explosão

Pela primeira vez, astrónomos encontraram um sistema estelar na Via Láctea que pode produzir uma explosão de raios gama - um dos fenómenos conhecidos mais brilhantes e energéticos do Universo. O sistema estelar é oficialmente chamado …

Autor de ameaça de bomba é professor universitário de baixa psiquiátrica

O diretor da Escola Superior de Educação e Comunicação, António Guerreiro, disse que a ameaça foi feita por um antigo docente da Universidade do Algarve. O suspeito terá sido levado para a esquadra. O autor da …

Pequena aldeia do Canadá acordou com um enorme icebergue à porta

A pequena aldeia de Ferryland, na península de Avalon, no Canadá, acordou neste fim-de-semana com um enorme icebergue "à porta". A massa de gelo ficou presa em águas pouco profundas na costa da Terra Nova …

Índia inaugura o seu primeiro hospital para elefantes

A Índia inaugurou o seu primeiro hospital para elefantes na passada sexta-feira no estado de Uttar Pradesh, no norte do país. As novas instalações são fruto do trabalho desenvolvido pela Wildlife SOS, uma organização sem …

Sul-coreano Kim Jong-yang é o novo presidente da Interpol

O sul-coreano Kim Jong-yang foi esta quarta-feira eleito presidente da Interpol para terminar o mandato iniciado pelo chinês Meng Hongwei, investigado por suspeitas de corrupção, anunciou a maior organização policial do mundo. Kim Jong-yang era já …

Estacionamento selvagem e atropelamentos. Lisboa quer regras para trotinetas elétricas

A Assembleia Municipal de Lisboa aprovou na terça-feira uma recomendação do CDS-PP para a criação de regras e boas práticas para as trotinetas elétricas na cidade. Os dois primeiros pontos do documento foram aprovados por unanimidade, …