Serviços públicos e empresas preparam-se para segunda vaga do ciberataque

A multinacional de serviços tecnológicos Claranet alertou, esta segunda-feira, para a possibilidade de novos ciberataques e aconselhou os utilizadores a terem os sistemas atualizados, a não abrir anexos desconhecidos e a desligar da energia todo o equipamento suspeito de estar infetado.

Numa informação enviada à agência Lusa, a Claranet sublinha que desde a descoberta do ciberataque, na passada sexta-feira, “têm surgido diversas variantes, com algumas características e comportamentos modificados, o que tem tornado mais complexa a contenção do ‘surto'”.

Como recomendações, a Claranet aconselha os utilizadores a “não abrir anexos recebidos de forma inesperada sem confirmação (mesmo que de fontes aparentemente conhecidas), prestar atenção a comportamentos anómalos que sejam detetados nos equipamentos e desligar da rede e energia, remetendo para análise, todo e qualquer equipamento suspeito de infeção”.

Este ciberataque já afetou 150 países e 200 mil sistemas informáticos.

A Claranet reforça ainda que “a aplicação das correções de sistema apenas protegem contra a propagação por rede do malware, não impedindo a infeção pelo mesmo no caso de abertura/descarregamento de anexos/ficheiros maliciosos”.

A Europol já reconheceu que o ciberataque foi de “um nível sem precedentes” e vai exigir “uma investigação internacional complexa para identificar os culpados”.

O ataque informático atingiu principalmente empresas de telecomunicações (como a espanhola Telefónica e a portuguesa Portugal Telecom), mas também o setor da energia, a banca (na Rússia) e hospitais (no Reino Unido).

Em Portugal, a empresa de energia EDP cortou os acessos à Internet da sua rede para prevenir eventuais ataques informáticos e garantiu que não foi registado qualquer problema, enquanto a Portugal Telecom alertou os seus clientes para o vírus perigoso (‘malware’) a circular na Internet, pedindo aos utilizadores que tenham cautela na navegação na rede e na abertura de anexos no correio eletrónico.

Alerta na administração pública

Segundo o Diário de Notícias, o Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) emitiu um alerta à administração pública, durante o fim-de-semana, solicitando aos funcionários que não abram e-mails de origem desconhecida.

Em declarações ao jornal, Pedro Veiga, coordenador do CNCS, acredita que a “tolerância de ponto concedida [por ocasião da vinda do Papa Francisco a Fátima] terá contribuído para que a administração pública não tivesse sido afetada”.

Durante o fim-de-semana, o centro manteve ainda uma equipa de resposta rápida de prevenção, monitorizando os sistemas informáticos da administração central do Estado e dando apoio a algumas empresas, escreve o DN.

A Polícia Judiciária está a acompanhar e a tentar perceber o alcance do ciberataque que tem como alvo empresas, segundo o diretor da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime da PJ.

De acordo com a SIC Notícias, todos os organismos do Ministério da Saúde continuam sem receber emails externos, devido ao plano de contingência acionado para impedir a entrada de vírus informáticos.

Vírus parado por acidente

O vírus, que ficou conhecido como Wana Decrypt 2.0, aproveita-se de uma vulnerabilidade do Microsoft Windows, que terá sido identificada pela Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA) e que levou já a empresa a criar uma atualização gratuita de segurança para a corrigir. Mas muitos utilizadores não tinham até agora instalado a atualização.

O ransonware foi parado acidentalmente por “MalwareTech”, um britânico de 22 anos que registou um domínio que servia como “paragem de emergência” para a sua propagação.

O jovem especialista em segurança informática impediu que a vaga que estava a varrer o mundo fizesse ainda maior número de vítimas quando, ainda sem saber o efeito que teria, decidiu registar o domínio inexistente, com que o vírus tentava comunicar.

A decisão acabou por se revelar de importância crítica, pois quando o ransomware detecta que o domínio está registado, activa um “kill-switch” que para a sua propagação.

Segundo o The Telegraph, o jovem chama-se Marcus Hutchins e já estará neste momento a trabalhar com o Centro Nacional de Segurança Cibernética do Governo britânico para evitar um novo ataque.

O jornal britânico escreve que Hutchins vive em Devon, no sudoeste de Inglaterra, com os pais, que trabalham na indústria médica, e com o irmão mais novo. O jovem será auto-didata e nunca frequentou a universidade.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Ui…Isto assusta quando cada vez mais se segue a moda dos carros e outras engenhocas domésticas computorizadas… facilmente um cromo escreve umas linhas de código e gera a confusão.
    Mundo lixado!!!

  2. A Microsoft já veio a público criticar CIA e NSA por acumularem linhas de código e vulnerabilidades (wikileaks anyone?!)que podem ser usadas pelos hackers e ainda por cima, está acessível para todos na net. OU seja, estão a culpabilizar a CIA e NSA.

    • criticam e provavelmente com alguma razão.
      Ao criarem os sistemas operativos (Apple e MS), com portas abertas para a NSA deixam também portas abertas para estes ataques.
      O Windows já é ele próprio um vírus… lol

RESPONDER

Dezenas de sites franceses com propaganda islâmica após pirataria informática

Várias dezenas de pequenos websites franceses foram afetados por uma onda de pirataria informática, publicando mensagens de propaganda islâmica, indica hoje a agência noticiosa France-Press (AFP). Mensagens como “Vitória para Maomé, vitória para o Islão e …

Jogos Olímpicos em 2021 vão mostrar que "humanidade derrotou o vírus"

O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, disse esta segunda-feira que o país está "determinado" em organizar os Jogos Olímpicos no verão de 2021 e declarou que o evento servirá "como prova de que a humanidade derrotou …

Herdeiro da Samsung assume as rédeas da empresa depois da morte do pai

Lee Jae-Yong, filho do presidente da Samsung, assumiu a liderança da empresa depois do seu pai ter falecido este domingo. O herdeiro assume as rédeas numa altura em que a gigante da tecnologia procura evoluir. Sob …

Vídeos de suicídios, abortos ou abusos sexuais. Ex-moderadora do YouTube descreve pesadelo (e processa plataforma)

Uma ex-moderadora do YouTube apresentou uma queixa contra a plataforma na segunda-feira, acusando-a de não proteger os funcionários que são sujeitos a uma análise e remoção de vídeos violentos publicados na página. O processo contra o …

Resultados nos Açores levam PS a pensar em eleições antecipadas

O PS voltou a ganhar as eleições regionais dos Açores, obtendo 39,13% dos votos, o que não garante a maioria absoluta. Os resultados levam o partido a pensar já em eleições antecipadas. "[O governo regional] está …

"Ainda não sei bem o que fiz". João Almeida e Rúben Guerreiro de volta a Portugal

João Almeida e Rúben Guerreiro foram duas das maiores figuras desta edição do Giro, a volta a Itália em bicicleta. Os dois ciclistas aterraram esta segunda-feira, em Lisboa, e parece que ainda não perceberam a …

Autarca de Pedrógão Grande critica "péssima investigação" sobre reconstrução de casas

O presidente da Câmara de Pedrógão Grande acusou o Ministério Público e a Polícia Judiciária de terem feito uma "péssima investigação" no processo sobre a reconstrução das casas, cujo julgamento se iniciou esta segunda-feira. "[As acusações] …

Novo Banco e TAP são "riscos não negligenciáveis" para o défice

A TAP e o Novo Banco podem ter um efeito orçamental maior que o estimado pelo Governo em 2021, constituindo "riscos não negligenciáveis" para o défice, segundo uma avaliação do Conselho das Finanças Públicas (CFP) …

NASA revela que há água na Lua

A NASA revelou, esta segunda-feira, que foi encontrada água em forma de gelo numa superfície da Lua. Os investigadores apontam ainda para a possibilidade de existirem múltiplos depósitos subterrâneos na Lua onde esteja armazenada água …

Itália volta a disputar a fronteira do Monte Branco com França

Depois das autoridades francesas imporem medidas restritivas que afetaram o território italiano, o país reacendeu uma disputa antiga com França. Em causa estão os direitos de fronteira do Monte Branco. Luigi Di Maio, ministro das Relações …