Secretária de Estado desvaloriza “jantarinho” da Web Summit no Panteão

Jose Carlos Babo / Flickr

A Igreja de Santa Engrácia, Panteão Nacional, em Lisboa

A secretária de Estado da Indústria desvalorizou o polémico jantar no Panteão Nacional e garante que nenhum membro do Governo esteve presente. “Não temos nada a ver com isso”, afirmou à agência Lusa.

A secretária de Estado da Indústria, Ana Teresa Lehmann, desvalorizou este sábado o “jantarinho” de convidados da cimeira de tecnologia e empreendedorismo Web Summit no Panteão Nacional, lembrando que nenhum membro do Governo esteve presente.

“Houve um jantarinho organizado por terceiros e no qual não esteve presente nenhum membro do atual Governo. Eu não estive presente, não esteve presente nem o senhor ministro da Economia nem o senhor primeiro-ministro”, afirmou a secretária de Estado em declarações à agência Lusa. A responsável recusou também qualquer associação do executivo à iniciativa: “Não temos nada a ver com isso”.

Já questionada sobre uma eventual imagem negativa do evento, a governante disse que “mau era se o foco fosse num jantar organizado por terceiros”. “Temos é de destacar o sucesso” e de “puxar o país para cima”, vincou a governante.

A polémica surgiu depois da divulgação de informações nas redes sociais acerca da realização de um jantar exclusivo com convidados da Web Summit na nave central do Panteão Nacional, em Lisboa, em que participaram presidentes executivos, fundadores de empresas e ‘startups’, investidores de alto nível, entre outras personalidades.

Na altura, o primeiro-ministro emitiu um comunicado a repudiar a situação, considerando que a utilização do Panteão Nacional para eventos festivos era “absolutamente indigna”.

O fundador da Web Summit, Paddy Cosgrave, chegou mesmo a pedir desculpa por ter usado o Panteão para o jantar de encerramento. “Eu amo este país como se fosse uma segunda casa e nunca teria a intenção de ofender os grandes heróis do passado de Portugal”, escreveu no Twitter.

Cosgrave explicou ainda que “foi um jantar organizado de acordo com as regras do Panteão Nacional e realizado com respeito” e que a ideia era “tentar honrar a história de Portugal”.

Isabel Melo, diretora do Panteão Nacional, também recusou demitir-se na sequência da polémica e garantiu que o evento foi autorizado “por quem de direito”, ou seja, a Direção-Geral do Património e que decorreu de acordo com o regulamento em vigor.

Segundo apurou o Observador, o “ministro” a quem Paddy Cosgrave se referiu no jantar será João Vasconcelos, ex-secretário de Estado da Indústria e um dos principais rostos do ecossistema de empreendedorismo português.

O ex-governante, que saiu do Governo na sequência do caso Galpgate, foi presença assídua no evento e esteve presente no polémico jantar.

Esta terça-feira, o ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, assegurou que a utilização do Panteão, à semelhança de outros monumentos que “honrem a memória da nação”, será “fortemente restringida”, no âmbito da revisão da sua regulamentação.

A Web Summit decorreu entre 6 e 9 de novembro na zona do Parque das Nações. Segundo a organização, nesta segunda edição do evento em Portugal participaram 59.115 pessoas de 170 países.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Devolução de manuais. Diretores acusam políticos de "brincar às escolinhas"

Os diretores escolares criticaram hoje o 'timing' da proposta de suspensão de devolução de manuais escolares, acusando os políticos de andar a “brincar às escolinhas” sem perceberem o trabalho que implica reutilizar milhões de livros. O …

Passageiros dos EUA e PALOP têm de apresentar teste negativo de covid-19

O Governo prorrogou várias medidas restritivas do tráfego aéreo com destino e a partir de Portugal, com novas orientações e exceções, num despacho publicado terça-feira em Diário da República. Segundo noticiou o Expresso, um comunicado do …

PGR angolana diz que Isabel dos Santos pode ser ouvida em Portugal

Isabel dos Santos pode ser ouvida em Portugal ou noutro país com acordos judiciários com Angola, no âmbito do processo-crime por alegada má gestão e desvio de fundos da Sonangol, disse à Lusa fonte da …

Autoridades descartam participação da milícia "Escritório do Crime" no caso Marielle Franco

O envolvimento da milícia conhecida como "Escritório do Crime" no homicídio da vereadora e ativista Marielle Franco chegou a ser investigado, mas foi descartado pela polícia brasileira. O delegado brasileiro Daniel Rosa, da cidade do Rio …

Desconfinamento não foi suficiente. Desemprego volta a subir em Espanha para valores de 2016

O número de desempregados inscritos nos serviços públicos de emprego em Espanha voltou a aumentar em 5.107 pessoas em junho, uma desaceleração em relação a maio, atingindo um total de 3.862.883 espanhóis. De acordo com os …

Governo vai monitorizar discurso de ódio na Internet

O Governo vai monitorizar o discurso de ódio nas plataformas online, estando "em vias" de dar início à contratação pública de um projeto que deverá traduzir-se num barómetro mensal de acompanhamento e identificação de sites. Segundo …

Tribunal britânico decide que é Guaidó (e não Maduro) quem manda nas reservas de ouro da Venezuela

A justiça britânica decidiu esta quinta-feira que é o líder da oposição venezuelana Juan Guaidó e não o Presidente Nicolás Maduro quem tem autoridade sobre as reservas de ouro da Venezuela depositadas no Banco de …

Mistério resolvido. Cientistas descobriram como é que as cobras "voam"

Nem todas as cobras se movem arrastando-se discretamente pelo chão. Há uma cobra do género Chrysopelea que parece voar de árvore em árvore. Agora, os cientistas descobriram como é que estes animais se movem pelo …

Mais de 80 mil pessoas registaram-se na Segurança Social desde janeiro

O programa “Segurança Social na Hora”, criado em janeiro deste ano, abrangeu até ao momento 80.700 pessoas, de acordo com os dados divulgados pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS). Ana Mendes Godinho avançou …

Douro. Poluição regressa a valores anteriores ao estado de emergência

Os valores de contaminação do estuário do rio Douro, que durante o estado de emergência baixaram a níveis só vistos há mais de 30 anos, já regressaram aos valores pré-pandemia. As boas notícias "rapidamente se esfumaram". …