Extrema-direita é a terceira força. Sánchez obrigado a procurar acordo à esquerda

Fernando Villar / EFE

Depois de quatro eleições em quatro anos, o panorama para a formação de um Governo não se avizinha nada fácil. O Vox trouxe poder à extrema-direita em Espanha, dificultando o trabalho do atual primeiro-ministro. 

A ideia de ir a eleição acabou por não correr muito bem a Sánchez, que apesar de vencer nas urnas, perdeu três deputados em relação ao último sufrágio de 28 de abril. As eleições permitiram ao Vox de Santiago Abascal tornar-se na terceira força política do país, alcançando os 52 deputados.

O PSOE ficou com 120 deputados, o PP com 88, o Vox com 52, o Unidas Podemos com 35, a Esquerda Republicana da Catalunha com 13, o Cidadãos com 10, o Juntos pela Catalunha com 8, o Partido Nacionalista Basco com 7, o EH Bildu com 5, o Mais País com 3, o Candidatura de Unidade Popular, a Coligação Canária e o Navarra Soma com 2, o Bloco Nacionalista Galego, o Partido Regionalista da Cantábria e o Teruel Existe com 1.

Desta feita, a formação de Governo em Espanha continua complicada para Sánchez, que sempre mostrou interesse na investidura de um governo minoritário, com acordos de incidência parlamentar, ao estilo português.

O líder do Unidas Podemos, Pablo Iglesias, mostrou-se disponível para uma coligação, que antes era uma oportunidade, ma que “agora é uma necessidade”, devido às circunstância que derivaram das eleições deste domingo.

“O que em Abril foi uma oportunidade, ter um Governo, uma coligação progressista, agora é uma necessidade. Agora faz falta um Governo com estabilidade suficiente e que garanta os direitos. A nossa proposta ao PSOE são os artigos sociais da Constituição espanhola para travar a extrema-direita, que é a consequência mais grave destas eleições. Apelamos ao PSOE para que respeite o resultado eleitoral”, disse Iglesias, citado pelo Público.

Também Íñigo Errejón, do Mais País, reiterou a opinião de Iglesias. “Não podemos ir a terceiras eleições. Esta repetição eleitoral é um aviso do que acontece quando os interesses pessoais se põem à frente dos interesses do país”, atirou.

A preocupação de todos parece mesmo ser o Vox. Abascal disse que o seu partido “protagonizou a maior gesta política da história espanhola, dando voz a milhões de espanhóis que não a tinham”. Marine Le Pen, de França, e Matteo Salvini, de Itália, não tardaram a congratular os resultados do partido que conseguiu o dobro dos votos das eleições de abril.

Os resultados acabaram por se revelar desastrosos para o Cidadãos, que perdeu 47 deputados e ficou com apenas dez assentos no Congresso, segundo o Expresso. O partido de centro-direita liberal deixa de ter representação em comunidades autónomas como Múrcia, Castela e Leão.

O seu líder, Albert Rivera, já apresentou a demissão, após 13 anos à frente do partido. O político foi apontado como o principal responsável pelos trágicos resultados e, segundo avança o El País, fez o anúncio da demissão esta manhã de segunda-feira.

Um acordo à esquerda

Nem à esquerda nem à direita, o acordo para formar Governo parece óbvio. Uma coligação entre os partidos de ambas as ideologias não serve para desbloquear o impasse político vivido e Pedro Sánchez vê-se obrigado a esgravatar para chegar a uma solução viável em Espanha.

De acordo com o Expresso, o atual primeiro-ministro não deverá ter intenções de recorrer aos independentistas catalães, podendo virar-se para o Unidas Podemos e o Cidadãos. O acordo também seria compactuado pelo Partido Nacionalista Basco, a Coligação Canária, o Partido Regionalista da Cantábria e o Bloco Nacionalista Galego.

Depois de negociações anteriores entre Sánchez e Iglesias terem falhado, há uma necessidade cada vez maior de formar Governo. Como tal, está novamente em cima da mesa um acordo entre as duas forças políticas. Agora, o Unidas Podemos quer ver a sua representação parlamentar refletida na gestão dos “artigos sociais” da Constituição.

O JN noticia ainda que Pablo Casado, do Partido Popular, também se mostrou disponível para negociar, dizendo que “a bola está do lado” de Sánchez. Apesar disso, realça que os interesses do seu partido são “incompatíveis” com a abordagem do líder do PSOE.

Especulações à parte, o acordo para formar Governo continua uma incógnita. Para Sánchez, “os espanhóis mostraram que querem que no Governo participem várias formações políticas”, mostrando-se, por isso, disponível para negociar. Em contrapartida, o vencedor das eleições descarta aqueles “que se distanciam da convivência e da democracia”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Benfica 4-0 Famalicão | Pizzi entrega saco cheio de Natal

O Benfica terminou o seu ano de Liga NOS com mais uma vitória, de novo por 4-0, tal como havia acontecido na anterior partida no Estádio da Luz, ante o Marítimo. Desta vez frente ao …

Morreu o ator Danny Aiello

Morreu esta quinta-feira, em Nova Jérsia, o ator Danny Aiello, que recordamos pelos seus muitos êxitos dos anos 80. Tinha 86 anos. "É com profunda dor que comunicamos que Danny Aiello, amado marido, pai, avô, ator …

Videojogo chinês incita jogadores a atacar os "traidores" em Hong Kong

Há um novo videojogo que está a ganhar popularidade na China. Chama-se "Fight the Traitors Together" e permite que os jogadores ataquem manifestantes de Hong Kong. No jogo, os jogadores podem bater nos manifestantes pró-democracia, sendo …

Mundial de Clubes proíbe demonstrações públicas de afeto

Começou na passada quarta-feira, dia 11 de dezembro, em Doha, capital do Catar, o Mundial de Clubes da FIFA, prova onde estão inseridos clubes como Flamengo e Liverpool. E esta até poderia ser mais uma …

Al Gore diz ser o maior fã de Greta Thunberg

Al Gore, antigo vice-presidente de Barack Obama e autor do documentário ambiental "Uma verdade inconveniente", elogiou esta semana o trabalho desenvolvido pela ativista sueca Greta Thunberg, dizendo ser o seu maior fã. "Sou o seu …

A água é comum nos mundos extraterrestres (mas surpreendentemente mais escassa do que se esperava)

A presença de água em exoplanetas é comum, mas surpreendentemente mais escassa do que se esperava, concluiu uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Cambridge, no Reino Unido. Para chegar a …

"Encontrei a minha alma gémea". Presidente do Flamengo disposto a (quase) tudo para segurar Jesus

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, ficou encantado com Jorge Jesus logo quando o conheceu. É o que o dirigente diz numa entrevista, onde admite que encontrou a sua "alma gémea", não revelando dados sobre …

COP25: uma traição ao Acordo de Paris "e às pessoas em todo o mundo"

Organizações não governamentais ambientalistas consideraram que os projetos de resolução que a cimeira do clima da ONU tem para aprovar são "uma traição" do Acordo de Paris e dos milhões de pessoas que sofrem com …

Governo admite novo aumento extra das pensões (com a simpatia das Finanças e de olho na geringonça)

O Governo está a equacionar um novo aumento extraordinário das pensões no âmbito da preparação da proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020). A medida agrada a PCP e Bloco de Esquerda e terá …

Na última noite no Porto, Óliver foi sozinho à Ponte D. Luís (e vieram-lhe as lágrimas aos olhos)

O médio espanhol Óliver Torres confessa que a sua saída do Porto foi "emotiva" e que se despediu do clube e da cidade na Ponte D. Luís, de noite e sozinho, com "as lágrimas nos …