//

Salgado desmente Bava e diz que 18 milhões do saco azul do GES foram para o cativar

11

Mário Cruz / Lusa

Ricardo Salgado, ex-presidente do BES

Ricardo Salgado justificou, no âmbito de um interrogatório no caso Monte Branco, as transferências no valor total de 18,5 milhões de euros para Zeinal Bava como uma forma de “cativar” o ex-CEO da PT, contrariando assim, a versão apresentada por este.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

No segundo interrogatório a que foi sujeito, no Tribunal Central de Instrução Criminal de Lisboa, no âmbito do caso Monte Branco, Ricardo Salgado justificou o pagamento de 18,5 milhões de euros feito a Zeinal Bava, através do chamado “saco azul” do Grupo Espírito Santo, a offshore Espírito Santo Enterprises, como sendo uma “remuneração extra” para o “cativar”.

Um dado apurado pelo Observador que salienta que as justificações apresentadas pelo ex-presidente do BES para aquele pagamento contradizem as que foram apresentadas, há menos de um mês, pelo próprio Zeinal Bava.

Em declarações ao jornal online, a 20 de Maio deste ano, Bava referiu que o valor seria um financiamento do GES para a compra de acções da própria PT, num cenário de privatização total da empresa, sem a intervenção do Estado.

Ora, Salgado disse no TIC, a 24 de Julho de 2015, que foi ele a ordenar as transferências como “sendo uma remuneração extra para cativar o CEO da PT e a equipa de “primeiríssima água” que Bava tinha seleccionado para ir para o Rio de Janeiro no início de 2011 para reorganizar a Oi”, cita a mesma publicação.

O ex-banqueiro terá também garantido no interrogatório que a ideia das transferências terá sido do próprio Bava, com o objectivo de “evitar que os quadros da PT fossem trabalhar para empresas concorrentes e, designadamente, que o ex-CEO da PT fosse contratado pelo mexicano Carlos Slim, o homem forte das telecomunicações na América Latina.

Os 18,5 milhões de euros foram transferidos para uma conta de Zeinal Bava na Suíça em duas tranches, em 2010 e em 2011, e a fusão entre a PT e a Oi só foi anunciada em Outubro de 2013.

ZAP

11 Comments

  1. A POUCA VERGONHA E GOZO TOMOU CONTA DESTE PAÍS de gente miserável q faz com que sejamos vistos de soslaio fora de fronteiras por saberem o q internamente se passa de forrobobó mas andam sempre a ser postos em liberdade por más praticas dos serviços de justiça repetidamente depois de Armando Vara, Oliveira Costa e estes dois gozões amiguinhos do peito do criador das amplas liberdades MSoares o tartaruga gigante…

  2. Antigamente eles “desviavam” uns milhares de escudos, para uma segunda casa ou para fazer uma piscina no quintal, ou para comprar um automóvel.
    Agora roubam milhões e milhões e milhões, aos quais nem sabem o que lhe fazer.
    Mandam para os bancos da Suiça e outros destinos, quiçá para, por caminhos enviesados, emprestar depois a Portugal sem que nos reconheçam sequer o direito a renegociar a divida…

  3. Também quero. Também quero desviar uns milhões, por favor. Deixem -se lá de CEO da treta e dêem-me um lugar. Também sou capaz de desviar.Por favor só uma vez e prometo não reincidir.

  4. É só gente séria! De tal forma que ninguém está atrás das grades. Um país tão pequeno já não comporta tanto trafulha. Emigrem por favor e deixem os portuguese que trabalham, descansados.

  5. Tenho filhos e não sei como os educar. Ensino a honestidade mas será que faço bem? Começo a perder as forças…..

  6. Cá está o tão conhecido monhé, mais conhecido pelo “melhor gestor” da Europa e arredores, a abotoar-se ao “guitarro” da populaça poupadinha…
    Pobre país que tal povo tens!!!

  7. maiores condenados sao todos aqueles aquem o salgado roubou para encher o … a bavas e companhia mas sore-lhe agora tempo para gastar o que lhe resta so a fianca cobre quase tudo

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.