//

Ricardo Salgado pode ter que cumprir pena de prisão na Suíça

6

José Sena Goulão / Lusa

Ricardo Salgado, ex-presidente do BES

O ex-presidente do BES, Ricardo Salgado, já foi acusado de vários crimes pela Justiça suíça, no âmbito da investigação em torno do Banque Priveé Espírito Santo, e poderá ter que cumprir pena de prisão naquele país.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Esta ideia é apontada como possível pelo jornal i com base em declarações do advogado Júlio Castro Caldas, ex-ministro da Defesa que representa mais de 50 clientes que se dizem lesados pelo Banque Privée Espírito Santo.

O número de alegados lesados do Banque Priveé Espírito Santo, pertencente ao Grupo Espírito Santo, chegará aos 1.500 clientes, maioritariamente emigrantes, de acordo com dados divulgados pelo jornal.

A representar 50 desses clientes, Júlio Castro Caldas salienta ao i que “o desfecho dos processos [na Suíça] pode estar por meses”.

Ricardo Salgado e elementos da Administração do Banque Privée já terão sido acusados de diversos crimes, nomeadamente lavagem de dinheiro e corrupção, de acordo com o i, e o advogado acredita que está “para muito breve” um desfecho neste âmbito.

“Os processos estão muito mais avançados na Suíça e à Suíça interessa um desfecho o quanto antes e sobremaneira”, aponta Júlio Castro Caldas.

Em cima da mesa poderá assim colocar-se a extradição de Ricardo Salgado para a Suíça para cumprir uma potencial pena de prisão, um cenário que Júlio Castro Caldas aborda, notando desconhecer se há “algum acordo de cooperação” em torno deste processo.

ZAP

6 Comments

  1. Por cá, apesar do tabuleiro estar repleto de peões não se define a estratégia de roque (pequeno 0-0 ou grande 0-0-0) e recorrentemente excede-se o tempo com mate à vista!

  2. E em Portugal, os (ir)responsáveis continuam a assobiar para o lado.
    É tão revoltante esta impunidade dos “poderosos” que o meu comentário fica por aqui para não correr o risco de ser censurado.
    Cada vez mais vezes, sinto ganas cada vez mais fortes de atender ao refrão do Hino de Portugal e, da forma nele sugerida, “pela Pátria lutar”.
    Se os juízes suíços têm que vir cá fazer justiça para o Povo de Portugal, podemos mandar vir políticos da Islândia? Eu quer lá saber qual a língua que fala o juiz, o que eu quero é Justiça. Eu quero lá saber a língua que fala o governante, o que e quero é que ele governe e devolva ao Povo Português o que lhe foi roubado.

  3. só se for condenado na Suiça por cá vai continuar a viver do que roubou aos depositantes . E mesmo condenado na Suiça certamente o Estado o protegerá evitando a extradição

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.