Reacção em cadeia: Irlanda e Escócia já falam em referendo, Espanha quer Gibraltar

SammCox / Flickr

-

O voto dos britânicos a favor do Brexit esteve longe de ser unânime: Ingleses e galeses querem sair, escoceses, irlandeses e gibraltinos preferiam ficar. E no seio da União Europeia, surgem as primeiras vozes a pedir referendos.

De acordo com dados do Telegraph, o Reino Unido dividiu-se: o ‘brexit’ venceu na Inglaterra, com 53,2%, e no País do Gales, com 51,7%, enquanto que na Escócia (62%) e na Irlanda do Norte (55,7%) a maioria votou a favor da permanência no bloco.

No enclave britânico de Gibraltar, uma península de sete quilómetros quadrados no sul de Espanha, 92% dos eleitores escolheram a permanência na União Europeia.

Na sequência dos resultados do referendo, a Espanha propôs já a soberania partilhada com o Reino Unido do enclave britânico, que assim continuaria a ter acesso ao mercado único da União Europeia mesmo com o Brexit.

“A fórmula de co-soberania — para ser claro, ter a bandeira espanhola hasteada no Rochedo — está agora mais próxima do que nunca”, disse José Manuel García-Margallo, ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol.

Cedida ao Reino Unido em 1713, a soberania de Gibraltar é há décadas disputada por Madrid, que a considera como uma colónia britânica e pretende a reintegração do território em Espanha.

Saída da Irlanda do Norte e reunificação da Irlanda

Na Irlanda, primeiro-ministro irlandês Enda Kenny afirmou que a saída do Reino Unido da União Europeia, vai ter “consequências muito significativas” para a Irlanda, o Reino Unido e a UE.

A declaração foi divulgada num breve comunicado emitido após a confirmação da vitória dos partidários da saída do Reino Unido da UE no referendo britânico de quinta-feira, com 52 por cento, contra 48% a favor da permanência.

Enda Kennytem previsto presidir hoje de manhã a uma reunião de emergência do governo e falará depois à imprensa sobre os resultados do referendo.

O presidente honorário do partido republicano irlandês Sinn Fein, Declan Kearney, afirmou hoje que a vitória do “Brexit” deve ser seguida da convocatória na Irlanda do Norte de um referendo sobre a reunificação da Irlanda.

O Governo britânico perdeu qualquer mandato que tivesse para representar os interesses políticos dos norte-irlandeses”, disse o dirigente do Sinn Fein, antigo braço político do IRA, Exército Republicano Irlandês.

Na Irlanda do Norte, 55,78% dos eleitores votaram pela permanência do Reino Unido na UE, contra 44,22% que apoiaram a saída da União.

Escócia vê o seu futuro na União Europeia

A primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, já afirmou que a Escócia vê o seu futuro como “parte da União Europeia”.

“A Escócia vê o seu futuro como parte da UE”, afirmou a primeira-ministra, em declarações à BBC.

A Escócia votou de forma clara e decisiva para permanecer como parte da União Europeia, 62% contra 38%”, declarou Nicola Sturgeon.

Sturgeon já tinha indicado que caso o Brexit ganhasse, tal poderia precipitar um novo referendo sobre a independência da Escócia.

Há dois anos, os escoceses rejeitaram  a independência do Reino Unido por uma diferença de menos de 400 mil votos em mais de 3,6 milhões de eleitores.

A saída do Reino Unido da União Europeia ameaça ter como consequência, a prazo, a saída dos escoceses do reino e um futuro pedido de adesão da Escócia – se a União Europeia ainda existir.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Se Gibraltar passar a ter soberania partilhada com a Inglaterra, resta-nos voltar exigir a devolução de Olivença! Algo que de uma maneira ou de outra nos foi reconhecido em tratados, que os espanhóis convenientemente esquecem.
    Pena os nossos pulhíticos se esquecerem dessa questão.

    • Apoiado PJ, os espanhóis assobiam para o lado, e como diz muito esquecem e armam em patetas, e nós, bem nós, infelizmente, somos o elo mais fraco. Olivença a Portugal! Já.

  2. Boa ideia!
    Que Gibraltar passe para a Espanha, Olivença para Portugal, a Catalunha e o País Basco independentes, a Irlanda unificada, a Escócia livre do Reino Unido e a União Europeia com estes todos e transformada numa federação como os EUA, para nós europeus não andarmos atrapalhados com as desigualdades que sempre existem.

    • Plenamente de acordo no que toca a restituições dos territórios aos seus verdadeiros donos, nem espanhóis nem ingleses têm o direito de subjugar seja quem for quer pela força das armas ou da manipulação de ameaças politicas, o tempo do colonialismo já deveria ter cessado.

  3. Confusão? Adaptação a novas realidades. Quanto a federações sou contra, não gosto de passar de cavalo para burro. Deixar de pertencer a um Estado Soberano para pertencer a uma provinciazeca de segunda como esta Europa, versus Alemanha e outras querem? Não obrigada. Enquanto tiver voz sou sempre contra a Europa federalista. Gosto de conversar com amigos, combinar coisas em conjunto, mas gosto de estar em casa sem interferências e ordens do exterior, se é que me entendem. A minha casa é Portugal e não gosto de devassa.

  4. Pois…
    Só mesmo um palerma como o Cameron para não ver as consequências do referendo nesta altura…
    Se convenceram a Escócia a não sair do RU para ficar na UE (e agora saem da UE!), é obvio que a Escócia não vai ficar no RU!:..
    .
    Sim, Gibraltar volta para Espanha, quando Olivença voltar para Portugal, quando deixarem Ceuta e Melilla, etc ,etc..

  5. Notem o que está escrito: “Cedida ao Reino Unido em 1713, a soberania de Gibraltar é há décadas disputada por Madrid, que a considera como uma colónia britânica e pretende a reintegração do território em Espanha”.
    Ora PORTUGAL nunca cedeu o distrito de Olivença a Espanha.
    Esse distrito foi ocupado por tropas espanholas covardemente e oportunisticamente, na sequencia da designada guerra das maçãs. Tratados e convençoes internacionais, assinados por representantes Portugueses espanhois Austriacos etc etc, convencionaram confirmaram e ratificaram que TERRITORIO DISTRITO de OLIVENÇA era Territorio Portugues.
    Desde entao NUNCA entregue a soberania a Portugal, porque ESPANHA não tem caracter a cumprir seus compromissos internacionais.
    Portanto só apoiaria a entrega de Gibraltar, que Espanha cedeu a Inglaterra em 1703, SE e SÓ SE Distrito de Olivença regressasse DE PLENO à soberania Portuguesa.

      • Olivença é portuguesa e os portugueses têm andado a dormir há 2 séculos; será que os portugueses ainda temem Napoleão que,com as suas tropas perto de Olivença, deu então apoio aos nossos “amigos” castelhanos? Apesar disso, ainda creio que os cerca de 800 Km quadrados de território pilhado ainda venha a reintegrar a nossa Pátria e, nomeadamente, El Rei D. Dinis “descanse em paz” no seu túmulo. A Espanha não cumpriu os Tratados de Paris e Viena e mal cumpriu o Tratado de Alcanizes…

RESPONDER

Suárez aborda eventual saída de Messi. "Saberá do que precisa"

O futebolista Luis Suárez comentou a possível saída do seu companheiro de equipa Lionel Messi do Barcelona. "Saberá do que precisa", disse o internacional uruguaio, frisando que não consegue ver o astro argentino noutra equipa. …

Mário Centeno nomeado governador do Banco de Portugal

O Conselho de Ministros aprovou, esta quinta-feira, o nome do ex-ministro das Finanças para o cargo de governador do Banco de Portugal (BdP). A decisão foi revelada, esta quinta-feira, depois do Conselho de Ministros, pela ministra …

Finanças admitem queda de 9% no PIB. Governo prepara-se para rever projeção inicial de 6,9%

O Ministério das Finanças admite a possibilidade de que a queda do PIB se aproxime dos 9%, revelou esta quinta-feira o Jornal de Negócios, adiantando que o Governo se prepara para rever a projeção inicial …

Vacina de Oxford testada em humanos com "resultados promissores"

Os testes clínicos em humanos da potencial vacina contra a covid-19 que a Universidade de Oxford criou tiveram "resultados prometedores" e desencadearam a resposta imunitária que se pretendia. Os testes em humanos, que desde abril envolveram …

Goa decreta novo confinamento, com Índia a rondar um milhão de casos

Depois de ter aberto portas ao turismo, Goa decreta um novo confinamento de três dias. Registaram-se 198 novos casos nas últimas 24 horas, o número mais alto desde o início da pandemia. O estado de Goa, …

Tribunal da Concorrência confirma coima de 75 mil euros a Ricardo Salgado

O Tribunal da Concorrência confirmou, esta quinta-feira, a coima de 75 mil euros aplicada pelo Banco de Portugal a Ricardo Salgado, no caso do financiamento do Grupo Alves Ribeiro (GAR) para compra de ações da …

Mais três mortes e 339 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, esta quinta-feira, mais três mortes e 339 novos casos de infeção por covid-19 em relação a quarta-feira, mostra o boletim mais recente da DGS. Segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS), dos …

Crise entrou em nova fase mas mundo "não está fora de perigo", diz FMI

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, disse esta quinta-feira que a crise provocada pela pandemia entrou numa nova fase, que exige flexibilidade para assegurar "uma recuperação sustentável e equitativa", alertando que o mundo …

China bane importação de ovelhas portuguesas

As alfândegas chinesas baniram as importações de ovelhas e produtos relacionados de Portugal, alegando um aviso da Organização Mundial de Saúde Animal sobre um surto de paraplexia enzoótica dos ovinos na Guarda. A notícia foi avançada …

Tânia já pode abraçar os filhos. Livrou-se do coronavírus ao 16º teste após 4 meses isolada

A algarvia Tânia Poço foi, finalmente, dada como "curada" de covid-19 após quatro meses de confinamento. Aquele que terá sido o caso mais prolongado da infecção em Portugal, chegou ao fim com o 16º teste …