Boris confiante de que é possível um acordo com UE em julho

Neil Hall / EPA

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, está de volta a Downing Street, depois de ter estado infetado com o novo coronavírus

O primeiro-ministro, Boris Johnson, afirmou esta segunda-feira ser possível um acordo com a União Europeia sobre o relacionamento pós-Brexit em julho, garantindo que as posições de Londres e Bruxelas “não estão assim tão distantes”.

“O que dissemos hoje é que quanto mais depressa, melhor. Não há razão para não conseguir concluí-lo em julho“, afirmou Johnson, em declarações transmitidas pela estação Sky News após uma reunião por videoconferência com dirigentes europeus.

O chefe do governo britânico reiterou a recusa em aceitar a submissão a leis europeias ou ao Tribunal Europeu de Justiça e defendeu a prioridade em dar acesso às águas de pesca britânicas aos pescadores nacionais.

“Não penso que estejamos assim tão distantes. O que precisamos agora é ver um pouco de energia”, afirmou.

Boris Johnson participou esta segunda-feira numa reunião de alto-nível com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, para fazer um balanço do progresso das negociações sobre o futuro relacionamento.

Tendo ficado clara a decisão do Reino Unido de não solicitar qualquer extensão ao período de transição que acaba em 31 de dezembro de 2020, ambas as partes sublinharam, num comunicado conjunto, a “intenção de trabalhar arduamente para concluir um relacionamento que funcione no interesse dos cidadãos da União e do Reino Unido”.

Perante a falta de progresso e um impasse numa série de questões após o final da quarta ronda de negociações, os negociadores chefes europeu, Michel Barnier, e britânico, David Frost, já tinham decidido intensificar as reuniões nas próximas semanas e meses.

Johnson e os dirigentes europeus admitiram que é “necessário um novo impulso” e aprovaram os planos para intensificar as negociações a partir de julho de forma a “criar condições mais favoráveis para a conclusão e ratificação de um acordo antes do final de 2020”.

“Isto deve incluir, se possível, chegar mais cedo a uma compreensão dos princípios subjacentes a qualquer acordo”, vincaram.

O Reino Unido abandonou oficialmente a UE em 31 de janeiro passado, mas permanece dentro do seu espaço económico e regulatório até ao final do ano, durante o chamado período de transição.

Entre os entre os assuntos com mais divergências nas negociações estão o acesso equilibrado a ambos os mercados, a governança da futura parceria, a proteção dos direitos fundamentais e o setor das pescas.

O governo britânico tinha admitido, em fevereiro, abandonar as negociações para um acordo pós-Brexit se não encontrasse progressos até junho.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Noiva de Khashoggi processa príncipe herdeiro saudita

Hatice Cengiz, noiva de Jamal Khashoggi, colocou um processo contra o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman e outros alegados mentores do assassínio. A noiva do jornalista Jamal Khashoggi, assassinado na Turquia em outubro de …

Papa Francisco defende pela primeira vez uniões de facto para casais homossexuais

O Papa Francisco defendeu a regulação do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, afirmando que os homossexuais têm direito a constituir família. "Homossexuais têm o direito de constituir família. São filhos de Deus", defendeu o …

“Uma desgraça completa”. Ex-ministro do PSD arrasa atuação do Ministério da Saúde no combate à pandemia

O antigo governante do PSD Fernando Leal da Costa acusou esta quarta-feira o Ministério da Saúde de “falta de liderança” na gestão da pandemia de covid-19, e falou até de “uma desgraça completa” do ponto …

Ministro defende que investimento nas Forças Armadas “é tão relevante” como na saúde

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, destacou o papel das Forças Armadas no combate à pandemia de covid-19 e defendeu que o investimento público nesta área “é tão relevante” quanto na saúde ou …

Giro. João "Rosa" Almeida segura liderança da geral

O português João Almeida (Deceuninck-QuickStep) manteve esta quarta-feira a liderança da Volta a Itália em bicicleta, numa 17.ª etapa ganha pelo australiano Ben O'Connor (NTT). O'Connor, de 24 anos, cumpriu os 203 quilómetros entre Bassano del …

Investimento público atinge máximo de uma década em 2021

Dados do relatório do Orçamento do Estado mostram que o Governo conta terminar 2020 com um investimento público de 4.884 milhões de euros (75 milhões de euros a menos do que a previsão do Orçamento …

Audições urgentes pedidas pelo PS sobre StayAway Covid são por escrito ou em dezembro

O Parlamento aprovou, esta terça-feira, a audição de entidades e personalidades sobre a obrigatoriedade da aplicação Stayaway Covid, proposta pelo PS, "com caráter de urgência", por escrito ou em dezembro, após o debate do Orçamento …

Taxa de nascimentos de linces no Vale do Guadiana é a mais alta da Península Ibérica

A taxa de nascimentos na população de linces ibéricos no Vale do Guadiana é a mais elevada da Península Ibérica, segundo os resultados dos censos 2019 divulgados hoje pelo Instituto da Conservação da Natureza e …

Pai de aluna teria ligações ao assassino do professor decapitado em França

Os investigadores encontraram uma possível ligação entre o assassino do professor francês Samuel Paty, decapitado em Paris, e o pai de uma aluna. Em declarações à AFP, citadas pelo Diário de Notícias, uma fonte próxima do …

Nove anos de prisão efetiva para a mãe que abandonou bebé no contentor do lixo

A mulher que abandonou o filho recém-nascido num caixote do lixo na zona de Santa Apolónia, em Lisboa, em novembro de 2019, foi esta quarta-feira condenada a nove anos de prisão efetiva, por tentativa de …