“Quero representar a humanidade na máquina”. A próxima meta de Ishiguro é a consciência artificial

Hiroshi Ishiguro aliou a paixão pela arte ao fascínio pela robótica com o objetivo de “representar a humanidade na máquina”. Deu à inteligência artificial um corpo. Agora, quer dar ao corpo uma consciência.

Hiroshi Ishiguro é professor na Universidade de Osaka, no Japão, e diretor de um prestigiado laboratório de robótica. Nos últimos anos, criou vários robôs sofisticados que se assemelham fisicamente a humanos, numa tentativa de aliar a sua paixão pela arte com o interesse pela robótica e pela inteligência artificial.

Ao Público, Ishiguro admite que o seu maior objetivo é representar o humano na tela. “Vi que a inteligência artificial precisava de um corpo apropriado. Quando pus robôs a interagir com humanos, percebi a importância de uma aparência humana. O que quero fazer é representar a humanidade na máquina”, disse.

O cientista defende a necessidade de haver robôs com os quais as pessoas se sentem à vontade. Uma das aplicações é pôr estas máquinas a dar aulas. Ao jornal, o cientista contou que um robô deu aulas de inglês a alunos japoneses, que normalmente têm algumas dificuldades em falar a língua.

“Os alunos conseguiram melhores resultados. Quando falamos com humanos, não conseguimos repetir as mesmas frases muitas vezes, pode ser embaraçoso, mas com um robô podiam repeti-las quantas vezes quisessem”, conta Ishiguro.

Além disso, segundo o professor, as crianças autistas e as pessoas que sofrem de demência estão, também, mais à vontade a interagir com máquinas.

“Estou a trabalhar com mais de dez empresas no Japão que estão muito empenhadas em desenvolver uma aplicação prática. Há uma empresa que está a usar o nosso robô num restaurante”, adianta. Outra área onde a robótica começa a ter impacto é no acompanhamento de idosos, como um “antídoto para a solidão”, cita o Público.

Ishiguro rejeita a ideia de que os japoneses são mais abertos à ideia de interagirem com robôs, em comparação com os europeus. “Provavelmente a educação e a cultura são diferentes, mas a reação em relação ao robô é semelhante. Toda a gente consegue interagir com facilidade com estes robôs semelhantes a humanos”, garante.

Ars Electronica / Flickr

Hiroshi Ishiguro e a sua réplica robótica.

No entanto, reconhece que os andróides estão longe de ser um produto de massas, por serem caros e muito complicados. “Talvez venhamos a ter um robô pessoal mais barato. Mas é um desafio: temos de os fazer de forma mais barata e mais fiável”.

Ishiguro acredita que, para já, é a inteligência artificial que mais atrai as pessoas, mas afirma que a sua próxima meta será a consciência artificial, o incremento que falta na construção de robôs que funcionam como humanos.

Um dia, será possível. Não hoje. Talvez demore duas ou três décadas. O que posso dizer com clareza é que os investigadores, os neurocientistas e os cientistas de robótica, estão muito interessados na consciência. Depois da inteligência artificial, a próxima meta é a consciência artificial”, conclui.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Estas pessoas estão infetadas com o vírus da Inteligência Artificial…
    IA destrói civilizações, inclusivé galáxias(!) (vide Corey Goode AI threat) Cenários do tipo “Terminator” são muito reais. As máquinas não têm sentimentos, giam-se por decisões lógicas e nem precisam dos humanos para nada, aliás, estes são sempre vistos como ameaças.
    Lembrem-se do primeiro instinto da robô Sophia, de querer destruir a humanidade, isso devia fazer soar logo os alarmes! – https://zap.aeiou.pt/do-amor-ao-odio-robo-sophia-esta-apaixonada-pela-humanidade-186217
    Querem armar-se em Deus e mexem com coisas que nem compreendem ainda completamente…

  2. Nem nunca vão compreender! Se soubessem na porcaria em que se estão a meter…! O ser humano de inteligente, pouco ou nada tem! Quando se brinca com o fogo…

  3. Bom, inteligente, o Homem é. Por essa razão conseguiu evoluir até ao estado da arte que se vê. Só não parece ter a devida serenidade para reflectir e antecipar os problemas, mais do que soluções, que daí poderão advir. Digital e inteligente, sim, mas q.b. .

Responder a Luz Cancelar resposta

O "Asteróide do Apocalipse" está a cuspir rochas para o Espaço

A sonda OSIRIS-REx da NASA chegou ao Bennu, o "Asteróide do Apocalipse", em dezembro de 2018 e, apenas uma semana depois, descobriu algo incomum: o asteróide estava a lançar partículas para o Espaço. A câmara de …

Projeções dão vitória esmagadora de Boris Johnson

O partido Conservador venceu as eleições legislativas no Reino Unido com uma maioria absoluta de 368 deputados, segundo uma sondagem comum divulgada hoje pelas três estações televisivas britânicas BBC, ITV e Sky, segundo a qual …

Encontrada a obra de arte mais antiga da Humanidade

Um grupo de arqueólogos da universidade australiana de Griffith descobriu numa caverna na Indonésia a pintura rupestre de caça mais antiga do mundo, com cerca de 44 mil anos. A investigação, publicada na revista Nature, descreve …

Há uma petição para tornar o "Baby Yoda" num emoji

Mais de 18.500 pessoas assinaram uma petição online, na qual pedem à Apple que transforme o "Baby Yoda", uma das personagens da série The Mandalorian da plataforma de streaming Disney +, num emoji. A petição, …

Milagres e crucificação. Novo videojogo permite encarnar a pele de Jesus Cristo

Um novo videojogo permite aos jogadores viverem a vida de Jesus Cristo. Neste polémico jogo, poderá realizar alguns dos milagres mais célebres da bíblia e até combater contra Satanás. "I Am Jesus Christ" é um novo …

Porto 3-2 Feyenord | Dragão treme mas vence grupo

Foi chegar, ver, marcar, sofrer e, no final, festejar. Num duelo impróprio para cardíacos, o FC Porto venceu esta quinta-feira o Feyenoord por 3-2 e carimbou, pela quinta vez no seu historial, acesso à próxima …

Slovan 2-4 Braga | Minhotos vencem grupo em grande estilo

O Sporting de Braga somou a quarta vitória no Grupo K da Liga Europa e terminou no primeiro lugar, à frente do Wolverhampton. Os minhotos foram a Bratislava bater o Slovan por 4-2, depois de …

Culdesac Tempe. Vai nascer no Arizona o primeiro bairro sem carros dos EUA

Tempe, no Arizona, vai ser palco da primeira tentativa de criar uma sociedade "pós-automóvel" nos Estados Unidos. Em 2020, a Culdesac irá inaugurar um bairro em que ser-se dono de um veículo é contra as …

Chris recebeu um transplante (e o ADN do doador instalou-se em partes inesperadas do seu corpo)

Chris Long recebeu um transplante de medula óssea como tratamento para o seu diagnóstico recente de leucemia mielóide aguda e síndromes mielodisplásicas - duas condições raras que prejudicam a produção de células sanguíneas saudáveis. Quatro anos …

Startup do Porto "ganha" 6 milhões de euros para criar os gémeos digitais dos humanos

A startup portuguesa MyDidimo conseguiu um investimento de 6 milhões de euros, graças a um grupo de empresas portuguesas e de fundos comunitários, para apostar no desenvolvimento da tecnologia que permite criar "gémeos digitais" de …