Quatro anos e quatro meses e meio na oposição. O recorde de Rio a uma semana de sair

Ricardo Castelo / Lusa

O ainda presidente do Partido Social Democrata, Rui Rio

Cavaco Silva foi o líder que mais tempo esteve à frente do PSD, durante quase dez anos, seguido de Pedro Passos Coelho, que completou perto de oito como presidente dos sociais-democratas

O presidente do PSD, Rui Rio, deixará de ser líder do PSD em 3 de julho, saindo como o 4º presidente social-democrata mais duradouro, atrás de Cavaco Silva, Passos Coelho e Durão Barroso, mas o único que esteve sempre na oposição.

As eleições diretas no PSD realizaram-se em 28 de maio e o Congresso que consagrará Luís Montenegro como novo presidente será no próximo fim de semana, marcando a data de saída de Rui Rio, que tinha mandato até dezembro de 2023.

No entanto, Rio antecipou o calendário e anunciou que não se recandidataria depois da derrota eleitoral do PSD nas legislativas de 30 de janeiro.

Desta forma, Rui Rio, que formalmente é presidente do PSD desde o Congresso que terminou em 16 de fevereiro de 2018, apesar de ter sido eleito em diretas em 13 de janeiro, vai completar quatro anos e quatro meses e meio na liderança.

Nos seus quase 47 anos de história, o PSD, fundado em maio de 1974, já teve 18 presidentes, o que dá uma média de um líder a cada 2,6 anos — já largamente ultrapassada por Rui Rio.

Cavaco Silva foi o líder que mais tempo esteve à frente do PSD, durante quase dez anos, seguido de Pedro Passos Coelho, que completou perto de oito como presidente dos sociais-democratas.

Miguel A. Lopes / Lusa

Pedro Passos Coelho, oito anos à frente do PSD, um dos sete primeiro-ministros do partido

O terceiro lugar deste ‘pódio’ cabe a Durão Barroso, cinco anos à frente do PSD, seguindo-se Rio e, depois, o fundador Francisco Sá Carneiro que, somando as duas vezes em que presidiu ao partido, totalizou menos de quatro anos de liderança.

A fechar o ‘top’ dos líderes mais duradouros está o atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que liderou o PSD por três anos e dois meses, entre 1996 e 1999, e nunca chegou a ser primeiro-ministro.

Rui Rio já salientou que detém o “recorde nacional” de um líder da oposição em Portugal: “Não há ninguém que tenha resistido quatro anos na liderança da oposição”, afirmou, por várias ocasiões.

Entre os seus 18 líderes, o PSD já produziu dois Presidentes da República – Cavaco Silva e Marcelo Rebelo de Sousa.

Mário Cruz / Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecora o anterior presidente, Aníbal Cavaco Silva

O partido teve sete primeiros-ministros: Carlos Mota Pinto, Francisco Sá Carneiro, Francisco Pinto Balsemão, Cavaco Silva, Durão Barroso, Pedro Santana Lopes e Pedro Passos Coelho.

Carlos Mota Pinto foi nomeado primeiro-ministro num Governo de iniciativa presidencial de Ramalho Eanes, e Pedro Santana Lopes foi indigitado pelo Presidente da República Jorge Sampaio após a demissão de Durão Barroso.

Dos 18 presidentes do PSD, seis já morreram – Sá Carneiro, Emídio Guerreiro, Sousa Franco, Menéres Pimentel, Nuno Rodrigues dos Santos e Carlos Mota Pinto – e apenas uma mulher liderou os sociais-democratas em quase 47 anos de história: Manuela Ferreira Leite.

PSD / Flickr

A antiga ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, foi a única mulher a liderar o PSD

Apenas três presidentes do PSD não tiveram qualquer experiência governativa, casos de Rui Rio, que foi presidente da Câmara do Porto durante 12 anos, Emídio Guerreiro e Nuno Rodrigues dos Santos.

A estes junta-se agora o novo líder, Luís Montenegro, que também nunca integrou qualquer executivo tendo sido presidente da bancada parlamentar do PSD durante seis anos.

  // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.