Quase metade da população alemã tem cancro

Segundo um relatório publicado por dois institutos médicos alemães, a incidência média da enfermidade entre mulheres está actualmente em cerca de 43%, e entre os homens, chega aos 51%. Entre 20% e 30% das mortes no país ainda têm tumores malignos como causa.

O relatório, assinado conjuntamente pelo Robert Koch-Institut e pela sociedade para o registo do cancro na Alemanha, afirma que mais de metade dos alemães do sexo masculino, em algum momento da vida, vê ser-lhe diagnosticado um cancro.

Entre as mulheres alemãs, a percentagem é mais baixa, mas chega ainda aos 43 por cento.

As partes do corpo mais frequentemente afectadas, concentrando mais da metade dos diagnósticos, são as mamas, próstata e pulmões.

Cigarro, o mau da fita

Contrair cancro ou não depende de diversos factores. Em algumas formas da doença, as causas são ainda hoje desconhecidas, mas em outros casos, têm origem genética, sendo praticamente impossíveis de influenciar.

Uma parte dos diagnósticos, contudo, tem origem no comportamento do próprio paciente, sendo o fumo um dos principais vilões.

Diz o relatório que, “segundo estimativas do Centro para Registo de Dados do Cancro, em 2008, cerca de 15% de todas as doenças cancerígenas na Alemanha são atribuíveis ao fumo”.

Outros factores de risco podem ser alimentação pouco saudável, falta de exercício e excesso de peso.

O mesmo estudo considera que é frequentemente exagerado o papel cancerígeno da poluição atmosférica ou da manipulação química de alimentos, bem como das doenças profissionais que possam dar origem a neoplasias.

Mas há excepções: materiais de construção com substâncias radioactivas como o rádon, ou o amianto, estiveram na origem de 10% dos cancros de pulmão.

Algumas boas notícias

O tratamento dos cancros da mama, da próstata ou do intestino tem registado grandes progressos e a taxa de mortalidade dos pacientes caiu de forma espectacular: cinco anos depois do diagnóstico, 90% dos pacientes de cancro do testículo ou da próstata continuavam vivos.

Os doentes também têm, hoje, melhores probabilidades de sobrevivência: em 2011 e 2012, 62% dos pacientes masculinos e 67% dos femininos ainda estavam vivos cinco anos depois de contraírem cancro.

O cancro é hoje a causa de cerca de 20% dos óbitos de mulheres e de 30% dos homens. Essa proporção tem-se mantido mais ou menos estável desde a década de 90.

O relatório baseou-se no estudo dos 252.060 de cancro em pacientes do sexo masculino e dos 225.890 em pacientes do sexo feminino registados na Alemanha em 2012, bem como sobre os casos registados em 2011.

Mais de metade desses diagnósticos dizia respeito a cancros da mama, da próstata ou do pulmão.

ZAP / DW / RTP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Esquecem-se de mencionar os plásticos, que nos rodeiam por todo o lado.
    Estamos rodeados de “sopas químicas”, para mim não é exagerado, ao contrário do que nos querem fazer crer!…
    Mesmo podendo ser causado por origem genética, o cancro precisa de um gatilho para ser despoletado.

RESPONDER

Escócia também adia desconfinamento para julho

A Escócia também decidiu adiar o desconfinamento por várias semanas, tal como Inglaterra, devido ao agravamento da pandemia no Reino Unido, que registou 27 mortes e 11.625 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas. Inicialmente …

Países do Golfo continuarão dependentes do petróleo por mais uma década

Um estudo da agência de notação financeira Moody's revelou que os países exportadores de petróleo do Golfo vão continuar dependentes da produção de hidrocarbonetos pelo menos na próxima década. Segundo o estudo, citado pela agência Reuters, …

PSP do Porto reforça policiamento no São João e apela ao cumprimento das regras

A PSP do Porto garantiu, esta terça-feira, que vai reforçar o policiamento na noite de São João, de quarta para quinta-feira, e apela ao cumprimento das regras atendendo ao contexto atual da pandemia de covid-19. “Solicita-se …

UE garante compra de mais 150 milhões de doses da vacina da Moderna

A Comissão Europeia aprovou esta terça-feira a alteração ao segundo contrato com a farmacêutica Moderna para a ativação, em nome de todos os Estados-membros da União Europeia (UE), de 150 milhões de doses adicionais em …

Lisboa sobe mais de 20 lugares no ranking. É a 83.ª cidade mais cara do mundo

Lisboa é a 83.ª cidade mais cara do mundo em termos de custo de vida, subindo 23 posições no ranking em relação ao ano passado, num estudo da Mercer divulgado esta terça-feira, que é liderado …

Governo espanhol aprova indultos a nove líderes independentistas catalães na prisão

O governo espanhol aprovou esta terça-feira a concessão de indultos a nove líderes independentistas catalães a cumprir penas de prisão pelo seu envolvimento na tentativa de autodeterminação daquela região espanhola em 2017, anunciou o primeiro-ministro …

Direitos humanos. Confronto entre China e Canadá na ONU

O Canadá denunciou esta terça-feira na ONU, em nome de cerca de 40 países, a situação dos direitos humanos na província chinesa de Xinjiang e em Hong Kong, pedindo a Pequim uma investigação às violações …

Ministra da Saúde afasta limitação de visitas. Mas Associação de lares defende regresso da proibição

A ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou esta terça-feira que não há necessidade de voltar a limitar as visitas a lares de idosos, advogando que as pessoas vacinadas contagiadas com o novo coronavírus desenvolvem “uma …

Tripulantes da TAP queixam-se de "extrema violência psicológica" e escrevem carta ao ministro

Um grupo de tripulantes de cabine da TAP escreveu uma carta a Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, na qual dizem temer que o processo de despedimento coletivo avance em julho e que já saíram …

Marcelo considera que legislativas de 2023 devem servir para julgar uso dos fundos europeus

O Presidente da República defendeu esta terça-feira que Portugal tem de dar "o salto" com os fundos europeus e considerou que as eleições legislativas de 2023 devem servir para os portugueses julgarem a sua utilização. "Cabe …