Putin pede a Merkel que dissuada a Ucrânia de cometer “atos irrefletidos”

(cv) NBC News / Youtube

O presidente da Rússia, Vladimir Putin

O Presidente russo expressou à chanceler alemã a “séria preocupação” de Moscovo após a introdução da lei marcial na Ucrânia e pediu a Angela Merkel para dissuadir Kiev de cometer quaisquer “atos irrefletidos”, anunciou o Kremlin.

Numa conversa telefónica mantida com Merkel, Vladimir Putin “expressou séria preocupação com a decisão de Kiev de introduzir a lei marcial” e disse “esperar que Berlim pudesse influenciar as autoridades ucranianas e dissuadi-las de futuros atos irrefletidos”, pode ler-se no comunicado.

Na segunda-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Heiko Mass, já tinha proposto que a Alemanha e a França pudessem fazer a mediação entre a Ucrânia e a Rússia para evitar que a tensão entre os dois países se agravasse.

O pedido russo surgiu um dia depois de o parlamento da Ucrânia ter aprovado a imposição da lei marcial nas regiões fronteiriças do país durante 30 dias, num contexto de fortes tensões com a Rússia, que apresou no passado domingo três navios militares ucranianos no mar Negro.

A decisão, sem precedentes desde a independência desta ex-república soviética, em 1991, foi adotada por iniciativa do Presidente, que a justificou com o risco aumentado de uma ofensiva terrestre russa.

“As informações dos serviços secretos mostram a ameaça extremamente elevada de uma operação terrestre contra a Ucrânia”, afirmou o Presidente Petro Poroshenko horas antes, numa mensagem à nação transmitida pela televisão. “Assim que um soldado russo atravessar a nossa fronteira, eu não perderei um segundo para proteger o nosso país”, disse o chefe de Estado ucraniano aos deputados, antes da votação.

Já a Rússia acusou o Presidente da Ucrânia de orquestrar a crise no estreito de Kerch, com o objetivo de cancelar as eleições de março e permanecer no poder.

“Todos percebemos do que se trata. Isto aconteceu para cancelar as eleições, apesar das promessas em contrário”, disse o vice-embaixador russo na ONU Dmitry Polyanskiy numa reunião do Conselho de Segurança na segunda-feira.

Por seu lado, a embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, considerou, no mesmo dia, “ilegal” a captura de navios ucranianos pela Rússia, dizendo que esta ação torna “impossível” uma “relação normal” com Moscovo.

“Como o Presidente do meu país disse muitas vezes, os Estados Unidos são a favor de um relacionamento normal com a Rússia, mas ações ilegais como esta tornam isso impossível”, disse a diplomata norte-americana, também durante a reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU. A porta-voz da Comissão Europeia para os Negócios Estrangeiros considerou na segunda-feira “inaceitáveis” os desenvolvimentos no mar de Azov e apelou a uma diminuição da escalada da tensão entre a Rússia e a Ucrânia na região.

Na conferência de imprensa diária do executivo comunitário, Maja Kocijancic abordou a “escalada perigosa” no mar de Azov e qualificou de “inaceitáveis” as decisões da Rússia de encerrar o estreito de Kerch, que une o Mar Negro ao Mar de Azov, ao largo da Crimeia, e de apresar três navios da Armada da Ucrânia (duas lanchas e um rebocador da Marinha de guerra) em águas territoriais russas.

Já o Reino Unido acusou a Rússia de um “ato de agressão”. O porta-voz do governo britânico, James Slack, disse que o incidente é “mais uma prova do comportamento desestabilizador da Rússia na região e da sua contínua violação da integridade territorial ucraniana”.

Antes, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, garantira ao Presidente da Ucrânia que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), mantém o apoio ao país sobre a integridade territorial, incluindo o direito de navegação nas suas águas e nas internacionais.

No domingo, embarcações russas apoderaram-se de três navios militares ucranianos – duas pequenas lanchas blindadas e um rebocador – depois de terem disparado sobre eles, fazendo uma vintena de prisioneiros no estreito de Kertch, que liga o mar Negro ao mar de Azov.

Este incidente armado fez também diversos feridos entre os ucranianos – seis, segundo Kiev, e três, segundo Moscovo – e desencadeou reações de condenação na Ucrânia e em vários dos seus aliados ocidentais.

Nos últimos meses, Kiev e o Ocidente têm com regularidade acusado a Rússia de deliberadamente “colocar entraves” à navegação de barcos comerciais ucranianos entre o mar Negro e o mar de Azov.

A Rússia anexou em 2014 a península ucraniana da Crimeia e é acusada por Kiev e pelo Ocidente de apoiar militarmente os separatistas pró-russos no leste da Ucrânia, num conflito que já fez mais de dez mil mortos.

// Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Se fosse a América, França ou Reino Unido a fazerem o mesmo já era tudo normal e apenas estavam a defender as fronteiras e a sua soberania, mas como é a Rússia já é um escândalo. Mas que fantochada!

    • Sim, senhor! Nota-se que é realmente esclarecido!…
      Informe-se do que os Russos andam a fazer pela Europa fora e pelo resto do mundo.
      Um dia destes, ainda vamos todos acabar a ter de dizer Heil Putin!
      É melhor ir abrindo os olhos.

      • idiota.estuda,informa-te de fontes fidedignas e depois vais ter com os teus amigos Ucranianos, ex- apoiantes de do regime nazi e derrotados e lá já podes berrar com os Russos a vontade…

        • Se for tão inteligente como tu, não vai adianta nada estudar!..
          “Regime nazi”?!
          Além do resto, tu andas umas décadas desactualizado…

  2. Ah, ok, então não têm nada haver com o Trump, Marine Le Pen, assassinatos de opositores, de jornalistas, de empresários, apoiar os rebeldes separatistas e atacar o exercito ucraniano, etc… peço desculpa tinha a ideia errada, afinal a Rússia respeita tudo e todos.

RESPONDER

Estudo europeu releva que carros híbridos são “desastre ambiental”

Um estudo europeu chamou aos carros híbridos plug-in um "desastre ambiental" - as emissões de dióxido de carbono destes carros encontrar-se-ão acima do legalmente declarado e a associação ambientalista Zero pede o fim dos benefícios …

Fisco alerta para mensagens falsas enviadas a contribuintes

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) alertou os contribuintes, numa mensagem no portal das Finanças, para o envio de mensagens falsas para o telemóvel nas quais é pedido que se carregue em 'links' que são …

"Pandemia do medo". Crianças brincam cada vez menos e isso pode aumentar a ansiedade

A pandemia assim o obriga. Mais tempo fechadas em salas de aula e sem oportunidades para brincarem com os amigos, as crianças estão cada vez mais sedentárias e isso não é positivo para o seu …

Convívio deve ser limitado às pessoas com quem se vive, apela DGS

A diretora-geral da Saúde apelou aos portugueses, esta segunda-feira, na conferência de imprensa sobre a evolução da pandemia em Portugal, para limitarem os contactos físicos às pessoas com quem vivem. "Ao conviver em presença com familiares …

"Lembranças da Lua." China prepara missão para recolher amostras do solo lunar

A China vai fazer a primeira tentativa desde os anos 70 de ir à Lua recolher rochas. A missão ficará a cargo da Chang'e 5, que será lançada esta terça-feira. A Chang'e 5 vai realizar a …

Hotéis já podem ser usados como escritórios e centros de dia

Os estabelecimentos hoteleiros, de turismo de habitação e resorts já estão autorizados a serem temporariamente usados como escritórios, showrooms e centros de dia, segundo o decreto-lei publicado em Diário da República. O diploma publicado no domingo, …

Bolsonaro critica "ataques injustificados" sobre a desflorestação da Amazónia

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, considerou durante a cimeira virtual do G20, que as críticas sobre o aumento da desflorestação são "ataques injustificados" e "demagógicos" que surgem de países "menos competitivos". “Eu apresento factos, dados …

Dois novos casos de legionella diagnosticados no Grande Porto

Mais duas pessoas foram diagnosticadas com legionella, esta segunda-feira, na região do Grande Porto, elevando para 87 o número de casos identificados desde o início do surto. Fonte da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-Norte) …

Reformaram-se 1.649 professores este ano. É o valor mais alto desde 2013

Este ano, reformaram-se mais 1.649 professores em Portugal continental. É o valor mais alto dos últimos sete anos. De acordo com o Correio da Manhã, entre janeiro e dezembro deste ano, aposentaram-se 1.649 professores em Portugal …

Já foram assassinadas 30 mulheres este ano, metade por violência doméstica

O Observatório das Mulheres Assassinadas (OMA) contabilizou 30 mulheres assassinadas entre 1 de janeiro e o dia 15 de novembro, 16 das quais em contexto de relações de intimidade, um valor abaixo das 21 registadas …