Puigdemont responde a ultimato de Madrid mas não esclarece nada

Alberto Estevez / EPA

O presidente da Generalitat de Catalunya, Carles Puigdemont

Carles Puigdemont enviou esta segunda-feira uma carta a Mariano Rajoy a propor diálogo, sem precisar se declarou ou não a independência da região. O Governo espanhol não considera válida a resposta dada pelo chefe do executivo regional da Catalunha.

Na missiva enviada ao Governo central, Puigdemont dá uma margem de “dois meses” e quer fixar “o mais rapidamente possível” uma reunião para explorar eventuais acordos.

O documento não clarifica se na passada terça-feira declarou ou não a independência da Catalunha, esclarecimento exigido pelo Governo espanhol. Por essa razão, o Governo espanhol não considera válida a resposta dada pelo chefe do executivo regional da Catalunha, disse esta manhã o ministro da Justiça espanhol, Rafael Catalá.

Citado pela agência Efe, o ministro recordou que, além de lhe perguntar se tinha declarado independência, o presidente do Governo, Mariano Rajoy, deu ao Governo da Catalunha um segundo prazo, até quinta-feira, para explicar as medidas que vai adotar para recuperar o cumprimento das suas obrigações.

Madrid tinha dado até às 10h00 desta manhã (9h00 em Lisboa) para que o executivo da região esclarecesse de uma vez por todas se na declaração ambígua feita na semana passada foi ou não proclamada a independência da região.

De acordo com o Diário de Notícias, no entanto, Rajoy já terá um plano para tirar o poder a Puigdemont e está neste momento a estudar vários cenários para estabelecer um governo de transição até que sejam realizadas eleições autonómicas antecipadas na região, no espaço de três a seis meses, avançou ontem o jornal espanhol El Mundo.

Inspirado num artigo semelhante da Constituição alemã, o artigo 155º da Constituição espanhola nunca foi acionado em 40 anos de democracia. É uma espécie de bomba atómica, que existe como ameaça escrita mas que nunca ninguém aplicou.

A primeira hipótese na qual os advogados do Estado espanhol trabalham é a formação de um governo de concentração em que participem políticos de todos os partidos, incluindo nacionalistas críticos da forma como o processo tem sido conduzido.

A segunda é um governo de gestão, mais tecnocrático, composto por altos funcionários do Estado.

A terceira é a designação de um ministro para a Catalunha, encarregado de administrar a autonomia. O objetivo será assegurar o funcionamento das instituições até que haja novas eleições, num prazo de entre três e seis meses.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Concluindo: Atar os braços aos catalães, impor-lhes o máximo possível de representantes de Madrid para uma lavagem ao cérebro e por fim talvez dar-lhes a hipótese de se prenunciarem quando os de Madrid entenderem que a altura é propícia.

RESPONDER

Mais 3.960 casos e 24 mortes. É o pior dia desde o início da pandemia

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 3.960 casos positivos e 24 mortes por covid-19. Os dados foram divulgados no mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este foi o pior dia desde o …

Reconhecimento para cuidadores informais vai ser mais fácil e rápido

O pedido de estatuto de cuidador informal fica, a partir de hoje, mais fácil, deixando de ser necessário apresentar atestado médico e permitindo que documentos que impliquem atos médicos possam ser apresentados posteriormente. De acordo com …

OE2021 ainda não foi votado, mas já se espera um aumento da despesa em mais de 300 milhões

Entre a entrega da proposta e a votação, o Governo voltou a negociar com os partidos, mostrando abertura para medidas na especialidade que deverão custar pelo menos mais 300 milhões de euros. O Orçamento do Estado …

Portugal é dos 10 países com melhores políticas de integração de migrantes

Portugal está no grupo dos dez países com melhores políticas de integração de migrantes, segundo uma avaliação de 52 estados que destaca o combate à discriminação ou a reunificação familiar como pontos fortes. Segundo o Índice …

Lukashenko classifica grevistas e manifestantes como terroristas. Mais de 600 pessoas foram detidas

O Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, comparou com terrorismo a atitude de manifestantes e grevistas que participaram na greve nacional convocada pela oposição e nos protestos de cidadãos para exigir a sua renúncia. "Estamos a começar …

"Não acredito que cumpra as nossas leis". Trump diz que voto por correspondência é "inapropriado"

O Presidente dos Estados Unidos (EUA) disse que é "inapropriado" os estados levarem vários dias a contar os votos por correspondência, defendendo que o vencedor deve ser declarado na noite das eleições. "Seria muito, muito apropriado …

Reservas de sangue O+ e A+ com níveis críticos. Federação apela à dádiva

A Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sangue (FEPODABES) alertou, esta terça-feira, que as reservas nacionais estão com níveis críticos dos tipos O+ e A+, apelando aos portugueses para darem sangue. Em comunicado, a FEPODABES refere …

Madeira quer visitantes infetados a ajudar nas despesas da estadia. "É aquilo que é justo"

O presidente do Governo madeirense anunciou esta terça-feira que decorrem diligências para encontrar mais uma unidade hoteleira para acolher doentes com covid-19, defendendo que os visitantes infetados devem ajudar a custear as despesas da sua …

Filhos de pais separados não podem circular entre concelhos no fim-de-semana

Os filhos de pais separados não poderão deslocar-se entre concelhos para efetuar trocas de residência entre os progenitores entre 30 de outubro a 3 de novembro, o próximo fim-de-semana que abrange o Dia de Todos …

Receita fiscal cai 2.822,7 milhões arrastada pela quebra do IVA e IRC

A receita fiscal do subsetor Estado registou uma redução de 2.822,7 milhões de euros até setembro, recuando 8,3% face ao mesmo período de 2019, refletindo os efeitos da pandemia, segundo a Síntese de Execução Orçamental. “No …