PS vai revelar acordo à esquerda antes de Passos cair

(dr) PSocialista / Flickr

O líder do Partido Socialista, António Costa

O líder do Partido Socialista, António Costa

O acordo à esquerda fica fechado até à moção de rejeição e será revelado até à queda de Passos Coelho, quando o programa de governo da coligação estiver prestes a ser rejeitado na Assembleia.

Apesar de Carlos César ter dito, em entrevista à SIC, que só faria sentido divulgar o acordo quando António Costa fosse indigitado pelo Presidente da República, o presidente do PS corrigiu-se na sexta-feira passada, numa nova entrevista à RTP, e garantiu que o acordo estará “fechado em associação à deposição do Governo” da coligação.

De acordo com as informações apuradas pelo Observador junto de fontes socialistas, o partido quer mesmo dar a conhecer o acordo com o Bloco de Esquerda e Partido Comunista quando o Governo de Passos Coelho estiver para cair, episódio que pode acontecer já nas próximas semanas.

Também o Diário de Notícias já tinha noticiado que este acordo à esquerda deverá estar pronto esta semana. Segundo o jornal, os três partidos querem levar a Cavaco Silva um acordo escrito, com ideias bem assentes para o próximo governo, logo depois da moção de rejeição ao programa do PSD-CDS.

Enquanto isso não acontece, Passos Coelho estará ocupado a formar o seu novo Governo e a escolher os futuros ministros da próxima legislatura. Já do outro lado, as negociações entre o PS, BE e PCP vão continuar.

Jerónimo de Sousa já garantiu que “o acordo está bem encaminhado” e Catarina Martins disse que já há medidas negociadas como, por exemplo, a co-adopção e o fim dos exames do quarto ano.

Porém, de acordo com o Diário Económico, as negociações com o BE estarão mais avançadas do que com o PCP. Por isso, há a possibilidade de virem a existir dois acordos separados das negociações – um entre o PS e o BE e outro entre o PS e o PCP que poderão resultar num único documento assinado pelos líderes dos três partidos.

Em cima da mesa das negociações continua a estar a atualização do salário mínimo que ainda é o ponto que está a gerar maior confronto, uma vez que tanto o BE como o PCP querem que o salário mínimo nacional suba para os 600 euros. Está também a ser discutido o fim da sobretaxa do IRS e a redução do IVA da eletricidade.

Para já, o PS cedeu em não avançar com o corte da Taxa Social Única para as empresas, o que permitirá financiar o descongelamento das pensões.

Caso assuma a posse do Governo, o PS também não vai avançar com a reforma do IRC e os salários da Função Pública serão repostos a um ritmo de 25% por trimestre até ao final do próximo ano o que, segundo o Económico, representa uma despesa que ronda os 600 milhões de euros.

Relativamente à moção de rejeição, é cada vez mais certo que o PS também deverá apresentar um documento, mesmo depois de o Bloco e o PCP terem garantido que iam avançar contra qualquer Governo de Passos. Assim sendo, neste momento existem dois cenários possíveis: ou um texto único entre os três partidos ou documentos diferentes para cada um.

ZAP

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Depois de ler isto, só me resta sugerir aos Srs jornalistas, a seguinte questão, aos presidenciáveis: Se “quem” for eleito para Belém,, faz caír o governo de António Costa, assim que tomar posse?
    É que o que está aqui muito claro é o seguinte:
    1 – houve um programa de governo que ganhou as eleições, sem maioria parlamentar, é certo, mas ganhou;
    2 – aqui, estamos perante 3 programas de governo distintos, e que não ganharam, não representam por si só uma maioria de um só programa. Não foi desta forma que se apresentaram aos portuguesas;
    É uma grande mentira o que estão a passar ao país, e uma clara demonstração de ganancia pelo poder, disso não há duvida. Nós, os portuguesitos, temos que sustentar tudo isto.
    Haja novamente eleições, o mais rapidamente possível, e que quem ganhar, PSD; CDS; PS; PCP; BE, ou seja lá quem for, que tenha uma maioria parlamentar, para poder governar com um só programa de governabilidade, apresentado aos portugueses sem espinhas.
    Agora desta forma, é uma MENTIRA
    tenho dito

  2. O António Gomes é mesmo “bacalhau cru”
    Então acha que houve um programa de governo submetido às eleições?
    Ninguém viu qualquer programa de Governo. A única coisa que o Governo apresentou foram algumas dica a Bruxelas e não aos portugueses que iriam votar…
    Palerma…………….
    Você é daqueles que tanto quer eleições e só não deixará de querer eleições, quando o PPD e o CDS tiverem a maioria.
    O PPD/CDS deu-lhe quantos tachos?????????????????????????????
    Vá dar banho ao cao.

  3. As eleiçoes legislativas não se fazem para eleger o 1º ministro, fazem-se para eleger deputados. É o parlamento que vota o programa do governo. Neste caso, a maioria parlamentar vota contra o programa . Sem programa não há governo.
    Passos e Portas têm 107 deputados, Costa tem 86+19+17= 122.
    Em 2011 Passos teve 108 e Portas 24, uniram-se para terem a maioria.
    O caso repete-se. A esquerda une-se como fez a direita em 2011.
    A direita perdeu 819.808 votos, perdeu 25 deputados.
    A esquerda ganha 445.564 votos, ganha 24 deputados.
    Dizem que ganharam? Deve ser ficção!!

  4. Queriam ser governo á força sem programa, como poderia o presidente indigitá-los de mãos vazias? A verdade está cada vez mais visível, o PS está-se a tornar numa encruzilhada de incertezas e dúvidas e a descredibilidade cada vez maior preste a rebentar a qualquer momento bastará um pouco de inteligência por parte dos dois outros partidos de extrema-esquerda e poderão beneficiar da ala esquerda do PS que em próximas eleições passarão para estes partidos enquanto a outra se verá obrigada a votar nos outros partidos mais á direita.

  5. Afinal os programas e os ideários do centro/esqª são tão inconciliáveis que 20 dias depois ainda se arrastam por credibilidade impossível menos para os que resistentemente permanecem com palas de nora!
    O poder cega…

  6. A esquerda BE e PC, quer apenas e só derrubar o Governo PAF e ficar a fazer oposição ao PS, por isso mesmo é que não querem fazer coligação a três!!! Também não sei para quê tanto trabalho, com entendimentos/desentendimentos. uma vez que o PR vai indigitar um Governo de Gestão…

RESPONDER

Mulan a preço premium estreia na Disney+ em setembro

A adaptação live-action de Mulan tem nova data de estreia. O anúncio foi feito pela Disney nesta terça-feira (4). O filme chega à plataforma de streaming Disney+ no dia 4 de setembro, estando disponível em …

Belgas trocam as voltas à pandemia e passam férias nas árvores

Enquanto uns passam o verão em casa, outros atrevem-se a ter uma experiência diferente. Alguns belgas estão a passar as noites de verão pendurados em árvores, em tendas em forma de lágrima. A pandemia de covid-19 …

Máscara inteligente traduz até oito línguas (mas não protege do coronavírus)

Esta máscara inteligente, criada por uma empresa japonesa, consegue traduzir o discurso do seu utilizador em várias línguas (mas, por si só, não o protege do novo coronavírus). Quando a pandemia de covid-19 transformou as máscaras …

Empresa fica com excedente de 40 mil quilos de frutos secos devido à covid-19

A GNS Foods, a empresa que nos últimos 30 anos forneceu os frutos secos à American Airlines, ficou com um excedente de 40 mil quilos por causa de restrições impostas devido à covid-19. Servir frutos secos …

Astronautas da NASA fizeram partidas por telefone para "matar" tempo durante o regresso à Terra

Os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley fizeram algumas partidas por telefone durante o regresso à Terra a bordo cápsula Dragon, da empresa SpaceX de Elon Musk, num voo que foi duplamente histórico. …

Em plena pandemia, há um venezuelano que assegura os funerais no Peru

Ronald Marín é a última esperança para os habitantes de Comas, em Lima. O venezuelano é o único que realiza funerais católicos num cemitério longe do centro da capital, em plena pandemia. Vestido com uma túnica …

Covid-19 pôs mais de um milhão de portugueses em teletrabalho no 2.º trimestre

Um milhão de pessoas esteve em teletrabalho no segundo trimestre, sobretudo devido à covid-19, o equivalente a 23,1% da população empregada, enquanto mais de 600 mil não trabalharam nem no emprego nem em casa. De acordo …

Dia da Defesa Nacional regressa ao formato presencial a 2 de setembro

O Dia da Defesa Nacional, que está suspenso desde o dia 9 de março devido à pandemia de covid-19, irá regressar ao formato presencial a 2 de setembro, anunciou o Governo esta quarta-feira. Em comunicado, o …

Norte-americano detido depois de usar fundos da covid-19 para comprar um Lamborghini

As autoridades dos Estados Unidos detiveram um empresário que comprou um carro de luxo da marca Lamborghini com dinheiro que recebeu de programas federais para ajudar os afetados pelo novo coronavírus (covid-19). A notícia é …

FC Porto e Benfica disputam Supertaça a 23 de dezembro

O jogo da Supertaça, que vai opor o FC Porto ao Benfica e que deveria a abrir a temporada 2020/21, vai disputar-se a 23 de dezembro, anunciou, esta quarta-feira, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF). Em …