O Governo “sentou-se à sombra” e a economia portuguesa “não sairá da cepa torta”

António Cotrim / Lusa

O partido Aliança considerou que a economia portuguesa “não sairá da cepa torta” e que Portugal “não vai prosperar” nos próximos quatro anos, acusando o Governo de governar para Bruxelas, ao comentar o Programa de Estabilidade.

Num comunicado enviado às redações, a Comissão Executiva do partido aponta que “retira uma certeza do Programa de Estabilidade 2018-2022”, que “o desempenho da economia portuguesa não sairá da cepa torta e o país não vai prosperar”.

“Se a frente de esquerda continuar a governar-nos, não temos dúvidas sobre o que será Portugal nos próximos quatro anos”, lê-se no documento, elencando que “o crescimento será insuficiente”, o que não permitirá ao país “sair da cauda da zona euro”.

A Aliança refere também que, “nos últimos quatro anos, a frente de esquerda governou para Bruxelas e para os que julga serem os seus grupos clientelares eleitorais”, agravou “as desigualdades entre os trabalhadores públicos e privados e, sobretudo, faliu, através do garrote das cativações, os serviços públicos essenciais, de que o mais grave exemplo é o setor da saúde”.

O Governo apresentou na segunda-feira o Programa de Estabilidade para 2019-2023, no qual mantém a meta de défice de 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB) para 2019 e prevê um excedente para 2020 (0,3% do PIB).

Na ótica da Aliança, o executivo, liderado pelo socialista António Costa, “não soube aproveitar as tréguas da austeridade e da baixa das taxas de juro, para promover um grande programa de incentivo ao investimento”, e, ao invés, “sentou-se à sombra e contentou-se com as receitas do turismo”.

“Este Programa de Estabilidade mostra bem a visão curta do Governo para o país, uma visão limitada e submissa”, critica o partido liderado pelo antigo primeiro-ministro Pedro Santana Lopes. Para a Aliança, “com este programa, o futuro de Portugal não tem por base nem estratégia nem visão, muito menos um plano com métricas suscetíveis de escrutínio, salvo, como sempre, para o défice orçamental”.

Assim, alegou aquela força política, “o futuro de Portugal, a economia portuguesa, ficarão à mercê das ocorrências, do desempenho e das contingências da economia europeia e mundial”, considerando que esta é “uma forma de governar passiva e acomodada, omissa em ambição”. “Portugal tem de crescer mais, não basta acompanhar o crescimento médio que se espera para a zona euro”, salienta a nota.

Indicando que “Portugal precisa de mais receita fiscal virtuosa, por via do crescimento e não à custa do rendimento disponível das famílias”, a Comissão Executiva do partido salienta também que “a carga fiscal sobre os rendimentos do trabalho atingiu uma dimensão que contribui para o flagelo social que hoje existe no universo dos portugueses que trabalham”.

Cabe-nos agir e não só reagir. A carga fiscal sobre as empresas tem de baixar, tem de haver um forte apoio ao investimento privado e sobretudo estabilidade fiscal”, remata.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Mas quem disse que eles estao la pra governar um país? Eu pensei que eles tivessem la se governarem a eles a as suas familias …e acreditando na maçonaria para controlar obras publicas

"Um tsunami de dívidas". O mundo deve a si mesmo 277 mil milhões de dólares

Prevê-se que até ao final deste ano, a dívida da economia mundial atinja os 277 mil milhões de dólares. A pandemia de covid-19 é um dos fatores responsáveis. A pandemia de covid-19 não só está a …

Empresas podem negar trabalho a quem não se quiser vacinar

"É obviamente possível" que as empresas evitem contratar um trabalhador se não quiserem ser vacinadas contra a covid-19. A presidente do Comité Económico e Social Europeu (CESE), Christa Schweng, admitiu a possibilidade de uma empresa se …

"A Suitable Boy". Um beijo numa série da Netflix provocou um escândalo (social e político) na Índia

A Netflix está a enfrentar uma reação negativa na Índia por causa de uma cena de um beijo entre duas personagens na série A Suitable Boy ("Um bom partido"). O partido no poder já pediu …

Irmãos transformaram 7 linhas de código num império de 36 mil milhões de dólares

Patrick e John Collison são dois jovens empreendedores irlandeses que fundaram a Stripe, uma empresa que criou uma solução alternativa para os pagamentos online, avaliada em 36 mil milhões de dólares. Em vez de construirem soluções …

ECDC. Portugal terá "níveis muito baixos" de novos casos se mantiver restrições

Se Portugal mantiver as restrições adotadas atualmente, irá registar em dezembro “níveis muito baixos” de novos casos de covid-19. O Centro Europeu para Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), criado com a missão de ajudar os …

Com apenas 14 anos, Xiaoyu é o adolescente mais alto do mundo. Mede 2,21 metros

Ren Keyu nasceu na China a 18 de outubro de 2006, e no dia em que comemorou o seu 14º aniversário recebeu também o título do Guinness World Records do adolescente mais alto do mundo, …

Jerónimo "não está a prazo" no PCP (e vai continuar a negociar com o PS)

O PCP continua disponível para negociar com o PS, mas não a troco de nada. Quanto ao quinto mandato consecutivo enquanto secretário-geral do partido, Jerónimo avisou, este domingo, que não está "a prazo". No discurso de …

Hackers expõem na cloud dados que roubaram de utilizadores do Spotify. Foi um acidente

Um grupo de piratas informáticos compilou uma base de dados com cerca de 250.000 palavras-passe do Spotify e armazenaram os dados na cloud. No entanto, esqueceram-se de proteger o armazenamento com uma palavra-passe. De acordo com …

Disney vai colocar em lay-off mais de 30.000 trabalhadores em 2021

A gigante norte-americana Walt Disney Company anunciou esta semana que vai colocar em regime de lay-off 32.000 trabalhadores no primeiro semestre de 2021 devido às quebras financeiras causadas por causada da pandemia de covid-19. A …

Ventura responde a Rodrigues dos Santos (e os ânimos à direita tornam-se cada vez mais ácidos)

Depois de Francisco Rodrigues dos Santos ter afirmado, em entrevista ao Sol, que o CDS "não fará alianças políticas com o partido Chega", André Ventura reagiu em tom irónico: "Como é que o Chega conseguirá …