Nem a morte (ou os fãs a cantar) impediram Prince de defender os seus direitos de autor

(dr) Robert Reiff / Warner Brothers

Prince em “Purple Rain”

Estrela maior da música norte-americana, Prince tornou-se conhecido por proteger agressivamente os direitos de autor das suas músicas. E mesmo após a sua morte, os detentores dos direitos das suas obras continuam a defender a vontade do cantor, perseguindo sem quartel qualquer (alegada) violação.

Apesar de o artista anteriormente conhecido como Prince ter morrido há dois anos, os direitos de autor das suas músicas não deixaram de ser acerrimamente defendidos. Desta vez, os herdeiros do artista norte-americano exigiram que o vídeo de um tributo ao seu maior sucesso, “Purple Rain”, de 1984, fosse removido das redes sociais.

No dia da morte do ídolo pop, o fotojornalista Aaron Lavinsky, do Star Tribune, jornal local da cidade natal do músico, Minneapolis, publicou no Twitter um vídeo de fãs a cantar em uníssono na rua o clássico da obra de Prince. O vídeo, que tinha sido retweetado 13.500 vezes, desapareceu entretanto de forma misteriosa.

Segundo explicou o jornalista, a distribuidora Universal Music, proprietária dos direitos de autor das canções de Prince, exigiu que o vídeo fosse removido.

A Universal baseou a sua posição no controverso Digital Millennium Copyright Act, de 1998, “uma ferramenta importante para os artistas protegerem a sua propriedade intelectual na internet”, observou Aaron Lavinsky no Twitter.

Mas uma grande empresa abusar do sistema para exigir a remoção de um simples vídeo, cantado por fãs na rua e filmado por um fotógrafo de jornal, “não está certo“, sustentou Lavinsky. “Este era claramente um caso de Fair Use” da obra de um artista, diz.

A posição da Universal gerou na internet inúmeras reacções negativas, que tudo indica, segundo revelou no Twitter o próprio Lavinsky, levaram a produtora a voltar atrás e a retirar o pedido de remoção do vídeo.

A decisão, diz o Star Tribune, permite que “continue vivo um dos mais belos momentos da história da música: o vídeo viral dos fãs a cantar Purple Rain na noite da morte de Prince“, que se encontra de novo acessível no post original de Lavinsky no Twitter.

Unanimemente aclamado pelos críticos, que elogiam o seu trabalho, a versatilidade a compor, tocar, cantar e dançar e as suas extraordinárias performances, Prince é considerado uma das maiores estrelas da música pop de todos os tempos.

Prince manteve sempre uma posição dura quanto à distribuição da sua obra online, e guardou zelosamente os seus trabalhos durante toda a carreira. Entre outras posições extremas, o artista impedia a publicação de vídeos gravados durante os seus espectáculos e de covers das suas músicas.

A Universal já tinha pedido, em 2007, que uma mãe removesse do YouTube um vídeo de 30 segundos do filho a dançar “Let’s Go Crazy”, de Prince.

O caso acabou por chegar ao Tribunal de Recurso dos Estados Unidos. O mês passado, a Universal chegou a um acordo extra-judicial com a mãe da criança, Stephanie Lenz.

O vídeo, “Dancing Boy”, permanece assim no YouTube, onde já foi visto quase dois milhões de vezes – e onde se podecavaliar com clareza a enorme ameaça que o menino representa para a propriedade intelectual de Prince.

ZAP // RFi / Billboard

PARTILHAR

RESPONDER

Trump admite testemunhar no inquérito para a sua destituição

O Presidente dos EUA admitiu, esta segunda-feira, "considerar seriamente" a possibilidade de testemunhar por escrito no inquérito para a sua destituição, que decorre no Congresso. "Embora não tenha feito nada de errado e não goste de …

INE espanhol está a "espiar" telemóveis para estudo estatístico

Um estudo do INE espanhol está a receber duras críticas por alegadamente infringir a privacidade de dados dos cidadãos. O gabinete irá monitorizar os telemóveis dos espanhóis. O Instituto Nacional de Estatística (INE) de Espanha deu …

Donald Tusk vai presidir o Partido Popular Europeu

O presidente do Conselho da União Europeia (UE) é o único candidato à presidência do Partido Popular Europeu (PPE) e vai suceder no cargo ao francês Joseph Daul. Esta será a primeira vez que um europeu …

EUA. Casal vegan vai ser julgado por homicídio depois da morte do filho de 18 meses

Um casal americano, que segue uma alimentação vegan, vai ser julgado por homicídio depois da morte do filho de 18 meses, por malnutrição. Ambos vão permanecer detidos até à data do julgamento, em dezembro. Segundo noticiou …

Carrinha com 52 migrantes entra em Ceuta após derrubar barreiras fronteiriças

Uma carrinha com 52 migrantes rompeu, esta madrugada, as barreiras fronteiriças entre Marrocos e Espanha para entrar no enclave espanhol de Ceuta, incidente que a Guarda Civil espanhola já está a investigar. A carrinha lançou-se a toda …

Chef que renunciou à estrela Michelin espera sair do Guia em 2020

O chef Henrique Leis, que em julho renunciou à estrela Michelin que o seu restaurante detinha há 19 anos, afirma que o seu "compromisso com a Michelin acabou" e espera não ver renovada a distinção …

Morreu a fadista Argentina Santos

A fadista portuguesa morreu, esta segunda-feira, aos 95 anos de idade. As exéquias realizam-se, a partir das 17h00, na Basílica da Estrela, em Lisboa. A fadista Argentina Santos, que esta segunda-feira morreu aos 95 anos, despediu-se …

Governo apresenta queixa no Ministério Público contra 21 pedreiras

O ministro do Ambiente e da Ação Climática anunciou que 21 pedreiras, de um universo de 185, estão em incumprimento por falta de vedações, exigidas pelo levantamento do Governo, tendo sido apresentada queixa ao Ministério …

Adeus EDP Universal. Vem aí a SU Eletricidade, mas os preços não mudam

A EDP Serviço Universal vai deixar de existir a partir de 15 de Janeiro de 2020. Em seu lugar vai nascer a SU Eletricidade, a nova marca do universo EDP que vai abranger os clientes …

Mais de 41 mil idosos vivem sozinhos ou isolados em Portugal

A Guarda Nacional Republicana (GNR) sinalizou 41.868 idosos a viverem sozinhos ou isolados em todo o país em outubro no âmbito da operação "Censos Sénior", anunciou esta segunda-feira a guarda. Em comunicado, a GNR adiantou ter …