Cientistas quebram limite teórico com décadas e criam a prata mais forte do mundo

(dr) Joshua Brown

Cientistas criaram a prata mais forte de sempre, quebrando assim um limite teórico com décadas relacionado com a força de metais e a sua condutividade elétrica.

Uma equipa de investigadores conseguiu criar prata muito mais forte do que o normal e mantendo a sua condutividade elétrica. Os cientistas aproveitaram-se dos defeitos deste metal, que por vezes são responsáveis por problemas como a sua fragilidade e amolecimento.

Às vezes estes defeitos são disfarçados combinando outros metais para ajudar a disfarçar o problema. Contudo, normalmente a adição de novos metais tem um custo inerente: a perda de condutividade elétrica.

Foi aqui que cientistas encontraram um nicho e conseguiram criar prata mais forte e ao mesmo tempo condutora elétrica. Os resultados do estudo foram publicados no mês passado na revista científica Nature Materials.

De acordo com o New Atlas, para conseguirem estas duas características na prata, misturaram uma pequena quantidade de cobre. Desta forma, o metal tornou-se 42% mais forte e manteve-se um condutor elétrico. Com isto, conseguiram superar aquela que é conhecida como a relação de Hall-Petch.

Este é um limite teórico que estabelece que, à medida que os grão de um metal se tornam mais pequenos, o próprio material fica mais forte. Contudo, diz que cada se os grão ficarem demasiado pequenos, o material fica instável e mais fraco.

Os cientistas conseguiram ultrapassar este limite teórico com décadas ao criar esta prata. Como os átomos de cobre são um pouco menores do que os de prata, tendem a cair nos defeitos, fortalecendo o metal. Além de lhe garantirem dureza, também não impedem a eletrocondutividade do material.

Batemos o recorde mundial e o limite de Hall-Petch, não apenas uma vez, mas várias vezes no decorrer do estudo. Espero que a abordagem possa ser usada para ser aplicada em muitos outros metais. Esta é uma nova classe de materiais e estamos apenas a começar a entender como funcionam”, explicou Frederic Sansoz, da Universidade de Vermont, citado pelo Tech Explorist.

“Como uma espécie de jiu-jitsu em escala atómica, os cientistas tiraram vantagem dos defeitos, usando-os para fortalecer o metal e manter a sua condutividade elétrica”, acrescentou

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Contrariando as autoridades, Hong Kong assinala aniversário de Tiananmen. "Podem reprimir as nossas atividades mas não o nosso espírito"

Evocando razões de saúde pública devido à pandemia, as autoridades de Hong Kong proibiram a vigília de quinta-feira que visava assinalar o 31.º aniversário do massacre de Tiananmen. As aglomerações com mais de oito pessoas …

Governo pondera criar nova contribuição sobre a banca para financiar Segurança Social

O Governo de António Costa está a estudar a criação de uma contribuição adicional de solideriedade sobre o setor bancário para ajudar a financiar a Segurança Social e fazer face aos custos de resposta à …

Arqueólogos encontram rara ferramenta de caça com 300 mil anos

Arqueólogos encontraram uma ferramenta de madeira utilizada na caça há 300 mil anos. É muito raro encontrar artefactos paleolíticos feitos de madeira, realça o autor do estudo. Uma equipa de investigadores da Universidade de Tübingen e …

Twitter não descarta suspender conta de Donald Trump

Um alto responsável da plataforma digital Twitter não excluiu a suspensão da conta da Donald Trump caso o Presidente norte-americano prossiga a publicação de mensagens incendiárias que transgridam as regras daquela rede social. Com 81,7 milhões …

Patrões agradados com o plano do Governo. PSD diz que "é muito fraco"

Enquanto patrões e sindicalistas ficaram bastante satisfeitos com o Programa de Estabilização Económica e Social apresentado pelo Governo, o PSD deixou duras críticas. Esta quinta-feira, no final do Conselho de Ministros, onde foi aprovado o plano …

Na resposta a uma crise, ligações humanas podem piorar ainda mais as coisas

Um novo estudo sugere que a conexão humana nem sempre é uma coisa boa, sobretudo quando se trata de ultrapassar uma crise com sucesso. De acordo com o site Science Alert, os investigadores reuniram 2480 voluntários …

Brasil ultrapassa Itália e torna-se no terceiro país com mais mortes

O país sul-americano, que tem uma população estimada em 210 milhões de habitantes, contabiliza 34.021 vítimas mortais e 614.941 casos confirmados. O Brasil ultrapassou a Itália e tornou-se no terceiro país do mundo com mais mortes …

PCP é o primeiro partido a retomar comícios ao ar livre

O PCP foi o último partido a fazer um comício, em março, antes de o país "parar" devido à pandemia de covid-19 e vai ser o primeiro a organizar uma iniciativa deste tipo, no domingo, …

Asteróide que matou os dinossauros criou uma província hidrotermal nove vezes maior do que Yellowstone

O asteróide que dizimou os dinossauros da face da Terra criou uma província hidrotermal nove vezes maior do que a caldeira do supervulcão Yellowstone, localizado nos Estados Unidos, conclui um novo estudo agora divulgado. De acordo …

Encontrar uma agulha num palheiro cósmico. Astrónomos resolvem mistério do primeiro Anel de Einstein

Determinados a encontrar uma agulha num palheiro cósmico, um par de astrónomos viajou no tempo através dos arquivos de dados antigos do Observatório W. M. Keck em Mauankea e do Observatório de Raios-X Chandra da …