Polícia suspeita que incêndio de Monchique foi provocado por linha da EDP

Miguel A. Lopes / Lusa

As autoridades policiais suspeitam que o incêndio de Monchique, que ardeu durante cerca de uma semana, teve origem numa linha eléctrica da EDP. Essa terá sido também a causa dos incêndios de Pedrógão Grande, Góis e Lousã, em 2017.

A suspeita é revelada pelo jornal Expresso que salienta que as autoridades estão a investigar a possibilidade de o incêndio que deflagrou a 3 de Agosto, na Serra de Monchique, no distrito de Faro, ter sido causado por uma linha eléctrica da EDP.

“Ainda serão necessárias mais duas semanas para ter uma ideia final do que aconteceu em Monchique”, afiança contudo uma fonte da Polícia Judiciária citada pelo semanário.

O incêndio que começou em Monchique alastrou-se aos concelhos de Silves, Portimão e Odemira, provocando 41 feridos e consumindo mais de 27 mil hectares.

O presidente da Câmara de Monchique, Rui André, já tinha acusado as linhas eléctricas da EDP de serem responsáveis por vários incêndios no concelho, denunciando a alegada “negligência” da empresa.

A EDP refuta estas críticas, considerando, numa nota enviada ao Diário de Notícias, que “a linha eléctrica da rede de média tensão situa-se a mais de 400 metros do ponto identificado pelas entidades oficiais (site da ANPC) como o local onde terá deflagrado o incêndio de Monchique”.

“Os nossos sistemas de monitorização permanente das linhas não registaram nenhuma ocorrência no período inicial do incêndio, tendo depois a linha sido desligada para facilitar a intervenção dos meios aéreos naquela zona”, refere ainda a EDP.

A empresa nota também que, nos últimos cinco anos, “investiu 25 milhões de euros na limpeza e manutenção de 40 mil quilómetros de rede aérea de alta e média tensão em todo o país”.

Além disso, a eléctrica frisa que “a responsabilidade na limpeza de vegetação que interfira com as redes e iluminação pública, não é da EDP Distribuição, mas sim dos proprietários e outras entidades”. Todavia, “sempre que nos é identificado ou comunicado situações de risco nas linhas de Baixa Tensão, a empresa procede à intervenção pontual da zona identificada”, destaca ainda.

A Comissão Técnica Independente que analisou os grandes incêndios do ano passado, atribuiu o início das chamas que deflagraram em Pedrógão Grande, Góis e Lousã, provocando várias mortes, às linhas eléctricas da EDP.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Estão a esquecer que um individuo chamou a gnr e entregou um engenho incendiario. Não me parece que tenha sido a linha da edp.

RESPONDER

Bloco apoia travão ao desconfinamento na região de Lisboa

O Bloco de Esquerda apoiou o adiamento do levantamento de restrições impostas pela pandemia na região de Lisboa e Vale do Tejo, destacando que é importante aumentar a vigilância nas empresas de construção e trabalho …

Descoberto "cemitério" de mamutes nos arredores da Cidade do México

Investigadores descobriram um "cemitério" com cerca de 60 mamutes nos arredores da Cidade do México, avança o Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) do país. De acordo com o site Live Science, a descoberta aconteceu, …

David Luiz confirma rumores. Regresso "vai acontecer se o presidente permitir e os adeptos quiserem"

David Luiz confirmou este sábado os rumores que davam conta que o Benfica e o jogador estavam a negociar um eventual regresso do brasileiro à Luz. Em entrevista ao desportivo Record, David Luiz confirmou a …

Cães treinados para proteger animais selvagens salvam 45 rinocerontes

Há inúmeras razões que explicam o motivo pelo qual os cães são conhecidos como o melhor amigo do Homem. Além de leais e inteligentes, dão sempre o corpo às balas, mesmo nos piores momentos. Quarenta e …

Fez-se história. Foguetão da SpaceX lançado com sucesso rumo à EEI

O primeiro foguetão concebido e construído por uma empresa privada, a SpaceX, de Elon Musk, levando a bordo dois astronautas foi lançado este sábado na presença do Presidente do Estados Unidos, Donald Trump. O lançamento decorreu …

"A Rússia não permitirá a privatização da Lua", avisa Roscosmos

A Rússia não permitirá a privatização da Lua, independentemente de quem avance a iniciativa, avisou o chefe da agência espacial russa (Roscosmos), Dmitri Rogozin, em entrevista ao jornal Komsomólskaya Pravda. "Não permitiremos que ninguém privatize a …

Plataforma flutuante extrai energia das ondas, do vento e do Sol

A empresa alemã Sinn Power criou uma plataforma marítima flutuante capaz de gerar energia renovável a partir de ondas, vento e energia solar. A plataforma híbrida combina turbinas eólicas, painéis solares e coletores de energia das …

Balneários proibidos e 3 metros de distância. As regras da DGS para a prática de exercício físico

A Direção-Geral da Saúde (DGS) recomenda uma distância mínima de três metros entre pessoas que pratiquem exercício físico, no âmbito das medidas de prevenção da pandemia de covid-19. A orientação, intitulada “Procedimentos de Prevenção e Controlo …

Astronautas da NASA já se preparam para voo histórico a bordo do foguetão da Space X

Dois astronautas da NASA já estão a equipar-se para o lançamento histórico de um foguetão concebido e construído pela empresa SpaceX, de Elon Musk, apesar de as previsões meteorológicas indicarem mais tempestades. Com o voo já …

Há dez anos, Portugal adotou a lei que permitiu o casamento entre pessoas do mesmo sexo

Portugal adotou há 10 anos a lei que permitiu o casamento entre pessoas do mesmo sexo, após um debate fraturante que remeteu para mais tarde a adoção de crianças por estes casais, possível apenas desde …